top of page
Buscar

Mulheres que Nascem com os Filhos volta em cartaz no Teatro MorumbiShopping

Espetáculo dirigido por Rita Elmôr e protagonizado por Samara Felippo e Carolinie Figueiredo investiga a transformação vivida pelas mulheres na maternidade

Foto: Lorena Zschaber

Samara Felippo e Carolinie Figueiredo investigam seus processos de transformação após a maternidade em Mulheres que Nascem com os Filhos, que estreou em 2022 e, desde então, teve apresentações sempre esgotadas e uma ótima recepção da crítica. Dirigida por Rita Elmôr, a peça tem uma nova temporada no Teatro MorumbiShopping entre 6 de outubro e 19 de novembro, com apresentações às sextas e aos sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h.


Cômica e dramática como a própria vida de mãe, a peça acompanha a trajetória do renascimento da mulher após a maternidade. Indicada para mulheres, mães, homens e todos que são filhos, a montagem aborda de forma sensível, bem-humorada e sarcástica – como a própria vida das mães – o cotidiano e os dilemas do universo da maternidade, além da trajetória de renascimento da mulher com a chegada desse momento.


O trabalho busca desconstruir e convidar as mulheres a pensarem na maternidade fora dos rótulos a partir de temas como gravidez, puerpério, criação, aceitação do corpo pós-filhos e o encontro de sua nova identidade como mulher.


“Eu renasci com a maternidade. Saí de uma zona de “conforto” e fui atrás da desconstrução para me reconstruir e reaprender junto com minhas filhas. Descobri que me vulnerabilizar e falar de dores que são oprimidas pelo machismo na maternidade, ressoava de forma curadora e potente, diluía culpas, amenizava traumas e trazia identificação. Nessa peça, quero trazer a desromantização e a transformação que é, em qualquer vida (principalmente para as mulheres), a chegada de uma criança. Quero poder ecoar a voz de milhares de mães, que buscam diariamente fazer o seu melhor na criação dos filhos”, conta a atriz Samara Felippo, mãe de duas meninas, Alicia de 14 anos e a Lara de 10 anos.


“Desde que uma das minhas filhas, aos 7 anos, questionou a beleza do seu cabelo, por ser uma menina negra, minha vida tomou outro rumo. Me deparei com algo que não batia à minha porta por ser uma mulher branca e privilegiada nessa sociedade racista, cruel e covarde, fui em busca de soluções, representatividade e acolhimento”, acrescenta a atriz, que criou o canal no YouTube “Muito além de cachos” depois desse episódio.


No processo criativo, que durou o tempo de uma gestação, as três artistas levaram para a sala de ensaio suas vivências e memórias, fazendo emergir questões femininas que, muitas vezes, são silenciadas por padrões impostos pela sociedade. A criação do trabalho também simbolizou para elas um processo de cura, pois puderam revisitar suas relações com a maternidade e a ancestralidade.


E, para trazer outras vozes para a cena, a peça ainda conta com outros depoimentos de mulheres que tiveram suas vidas transformadas quando se tornaram mães. São muitas as mães com quem a peça dialoga: jovens, maduras, solteiras, casadas, dependentes e independentes, presentes e ausentes.


Sobre as mudanças na vida ao se tornar mãe de um menino e uma menina, a atriz e terapeuta Carolinie Figueiredo compartilha:


“As duas maternidades precoces mudaram minha vida completamente. Tem uma parte minha que até hoje não se recuperou e poder falar isso no palco me emociona e me cura a cada sessão. São 12 anos de reinvenção profissional, pessoal e sexual. A separação também foi muito impactante, então, desde muito nova me vi ‘fracassando’ em todos os aspectos que dão status a uma mulher”.


“Em seguida vieram as formações como doula, educadora parental e terapeuta. A artista segue comigo porque sou atriz desde os meus 5 anos. Então, a peça veio reacendendo o que eu tenho de maior conexão na vida que é o palco. A maternidade colocou a atriz para descansar e agora é a maternidade que devolve a atriz para cena. Isso é sobre retomada de poder, de lugar de fala. Hoje entendo que Mulheres que Nascem com os Filhos vai além da peça: é um movimento sobre autonomia, expressão e recolocação profissional das mulheres que são mães”, conta Carolinie.


Foto: Lorena Zschaber

O espetáculo fez sua pré-estreia no final de 2019, em São José dos Campos (SP), e devido a lotação, retornou semanas depois. Em 2020 e 2021, participou de lives e exibições online, além de participar da FITA – Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis, sendo o maior público presencial e online do festival.


A estreia oficial foi em janeiro de 2022, no Rio de Janeiro, numa curta temporada de 1 mês no Teatro XP, no Jockey Club da Gávea, com lotação de 366 lugares. Depois disso, desembarcou em São Paulo para uma temporada de 2 meses no Teatro Nair Bello, no Shopping Frei Caneca. E, em 2023, teve algumas apresentações no Teatro MorumbiShopping.


Sinopse


Cômica e dramática como a própria vida de mãe, a peça acompanha a trajetória do renascimento da mulher após a maternidade. Indicada para mulheres, mães, homens e todos que são filhos, a montagem aborda de forma sensível, bem-humorada e sarcástica – como a própria vida das mães – o cotidiano e os dilemas do universo da maternidade, além da trajetória de renascimento da mulher com a chegada desse momento.


Mulheres que Nascem com os Filhos

Apresentações: 6 de outubro a 19 de novembro de 2023

Sexta e sábado, às 20h, e domingos, às 19h

Teatro MorumbiShopping

Av. Roque Petroni Jr., 1089 Piso Superior G1, 0 – Jardim das Acácias

Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada)

Vendas pelo site: clique aqui

Capacidade: 250 lugares

Classificação: 12 anos

Duração: 60 minutos


Ficha Técnica

Texto: Carolinie Figueiredo, Rita Elmôr e Samara Felippo

Elenco: Carolinie Figueiredo e Samara Felippo

Direção, Cenografia e Trilha Sonora: Rita Elmôr

Produção Executiva: Rafael Salmona

Figurino: Mel Akerman e Mônica Xavier

Iluminação: Paulo Cesar Medeiros

Projeto Gráfico: Raquel Alvarenga



Comments


bottom of page