top of page
Buscar

Viveiro Manequinho Lopes promove semanalmente as atividades do projeto Bem Te Vi Passarinhando

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Coordenação de Educação Ambiental/Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz (UMAPAZ) e da Divisão de Fauna Silvestre (DFS), da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA), passa a promover atividades semanais no projeto Bem Te Vi Passarinhando, no Viveiro Manequinho Lopes, localizado no Parque Ibirapuera, Zona Sul da capital. Antes a ação era realizada quinzenalmente.

Imagem: Prefeitura de São Paulo

As visitas ao local são gratuitas, sempre às sextas-feiras das 8h às 10h30, e devem ser previamente agendadas pelas escolas públicas ou privadas, para grupos de 10 a 30 alunos, de 6 a 13 anos. Para fazer a inscrição é necessário preencher o formulário em bit.ly/Passarinhando2023.


A atividade, voltada para alunos do Ensino Fundamental I e II, tem como objetivo despertar nas crianças e adolescentes o encantamento pelos pássaros e promover a educação ambiental, importante para ensinar sobre perda de biodiversidade, poluição e questões como mudanças climáticas, além de outros impactos negativos causados pelo ser humano. Ao compreender esses problemas, os estudantes poderão adotar práticas para minimizar impactos e preservar o meio ambiente.


Sabiá laranjeira, joão-de-barro e bem-te-vi

Durante a visitação os monitores explicam como funciona a interação das espécies com o ambiente do Viveiro e qual o papel que cada uma desempenha no habitat.


De acordo com Juliana Summa, coordenadora de Gestão de Parques e Biodiversidade Municipal, a observação dos pássaros possibilita aprender sobre seu comportamento, ter noção de biologia e ecologia, além da importância de sua preservação e do meio ambiente. Os alunos que participam do Bem Te Vi Passarinhando têm a oportunidade de avistar aves como sabiá laranjeira, joão-de-barro, bem-te-vi, sabiá-do-campo, tico-tico, gavião-carijó e carcará, além de urubu-de-cabeça-preta, pica-pau-de-cabeça-amarela, e corruíra. Espécies como cambacica, pardal, pitiguari, sanhaço-cinzento, sanhaço-do-coqueiro, tesoura, alma-de-gato, nei-nei, risadinha, papagaio-verdadeiro e periquito-rico, assim como asa-branca, rolinha e jacuguaçu, entre outros, habitam o local. Em 2022, quando o projeto teve início, a atividade contou com 105 participantes. Neste ano já foram recebidas 53 estudantes, entre crianças e adolescentes.

Kommentare


bottom of page