Buscar
  • Redação JBA

Sou a favor da fidelidade no casamento

Por Fernando Jorge

Imagem: Reprodução

Ainda continuo impressionado com o prognóstico do meu querido amigo Ronaldo Côrtes, um grande psicólogo, um eximiu escafandrista das profundezas do oceano da alma humana.


Depois de descrever para o Ronaldo a paixão que eu tive por uma jovem belíssima, com quem desejava me casar, mas desisti, abandonei-a, pelo motivo dessa jovem amar também o seu primo de primeiro grau, o meu amigo Ronaldo Côrtes aconselhou-me:


– Fernando, transforme esta sua história de amor num romance autobiográfico. E forneça a ele o título Eu amo os dois, mas previno, a obra vai perturbar as mulheres e elas, concluída a leitura do romance, lhe mandarão dezenas de e-mails e cartas.


Foi profeta, o Ronaldo.


Outra coisa... Muitos casais que estão mantendo um “relacionamento aberto”, isto é, a adoção da plena liberdade sexual, passaram a ler o meu romance. A venda deste aumentou depois da reportagem “Eu, você e os outros”, publicada no exemplar do dia 24 de fevereiro de 2021 da revista VEJA e da autoria das jornalistas Amanda Péchy e Júlia Braun. Assunto: casais que não se conservam fiéis no “amor físico”, se assim podemos nos expressar...


Diversos leitores da reportagem ficaram impressionados pelo fato dos filósofos Sartre e Simone de Beauvoir terem sido citados no texto das duas jornalistas e igualmente no meu romance autobiográfico Eu amo os dois. Mais uma coincidência, a psicóloga Regina Navarro Lins é citada na reportagem e no meu romance.


Ela afirmou diversas vezes:


– Estamos na época do pluriamor, mulher casada se entregando a outro homem e homem casado se entregando a outra mulher...


Uma jovem que leu o meu romance e o criticou, apesar de o achar “bem interessante”, enviou-me uma carta, na qual pergunta: o senhor é antiquado, reacionário, quadradão? Respondo, sou a favor da fidelidade no casamento. Se não houver essa fidelidade, se a esposa trair o marido e este trair a esposa, a bagunça será total. Ninguém poderá garantir:


– Sou filho de fulana, mas não tenho certeza se ela é de fato a minha mãe. Talvez meu pai é o açougueiro Pafuncio, ou o carteiro Brederodes, ou o taxista Meleca Gorda Amarela.


Fernando Jorge é jornalista, escritor, dicionarista e enciclopedista brasileiro. Autor de várias obras biográficas e históricas que lhe renderam alguns prêmios como o Prêmio Jabuti de 1962. É autor do livro “Eu amo os dois”, lançado pela Editora Novo Século.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo