Buscar

Prefeitura e Metrô de São Paulo iniciam campanha contra preconceito à pessoa idosa

Atualizado: Jan 4

Campanha #SouMaisSessenta terá vídeos, cartazes e avisos sonoros que reforçam autoestima dos idosos


Os usuários do Metrô de São Paulo vão notar nos próximos dias a veiculação de vídeos na TV Minuto, que fica dentro dos vagões e nas estações e a presença de cartazes nas áreas de circulação com conteúdo que reforça a autoestima das pessoas idosas. A Campanha Sou Mais Sessenta é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e do Metrô, em conjunto com a USP60+ e outros importantes parceiros da Sociedade Civil Organizada. A partir do dia primeiro de dezembro, múltiplas ações de combate ao idadismo – o preconceito contra pessoas idosas. Serão usados avisos sonoros de estações e trens, televisores nas plataformas e dentro das composições, além de redes sociais. O objetivo é mostrar que o metrô, que possibilita o encontro diário de diversas gerações, é contra esse e todos os demais preconceitos.


A campanha #SouMaisSessenta apresenta por meio de cartazes fixados na Estação Sumaré do Metrô paulista, histórias de vida de pessoas socialmente ativas e que contribuem com a sociedade em vários aspectos, são exemplos de superação, de amor ao próximo, generosidade, objetividade e de alegria de viver. (vide em anexo minibiografia dos personagens homenageados).


Para a coordenadora de Políticas para a Pessoa Idosa da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Sandra Regina Gomes, a ação é um importante passo na construção de políticas públicas feitas para quebrar estigmas negativos que recaem sobre a população 60+. “É muito importante que todos saibamos que o envelhecimento é um processo natural e viver mais e melhor é um direito. Com essa campanha chamaremos a atenção para a valorização das pessoas idosas para que sintam orgulho da idade que tem e reforçar que não podemos negar todo o passado construído que faz parte da nossa história. Vamos lutar por um envelhecimento digno e por uma sociedade para todas as idades”, afirma Sandra.


A emissão de mensagens sonoras ocorre nos trens e estações. As falas têm como objetivo conscientizar o usuário acerca da importância do respeito aos idosos. Já nas redes sociais, os perfis oficiais do Metrô aderem a #OrgulhoSessentaMais, que deve atingir um público para além do passageiro habitual.


“Uma parcela de 15% da população de São Paulo é formada por pessoas com mais de 60 anos e este índice tende a dobrar em 30 anos. Tratar bem os idosos, não só no transporte, mas em todo o espaço urbano é, além de uma questão de direitos, uma ação crucial para uma São Paulo inclusiva e economicamente ativa, diz Cláudia Carletto, secretária de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de São Paulo.


Ainda no meio eletrônico, as TVs instaladas dentro dos trens reproduzirão quatro esquetes com dramatizações inspiradas no cinema mudo. A performance de atores voluntários da Cia. T3rceiro Ato visa evidenciar e fazer refletir, por meio de esquetes, situações diversas e cotidianas de discriminação de pessoas pela idade.


A campanha não se limita somente aos passageiros. Internamente, funcionários do Metrô foram apresentados a campanha antes mesmo dela ir ao ar e puderam participar de um evento virtual com autoridades no assunto. A intenção é que metroviários sirvam de referência e que possam conferir reconhecimento e valorização aos mais velhos, buscando distanciar a discriminação, a marginalização e a exclusão social dessas pessoas.


É preciso reforçar que, no Metrô, quem tem idade igual ou superior a 60 anos goza de direitos e conquistas. A acessibilidade, o atendimento preferencial com auxílio de funcionários capacitados para tal, o número de assentos preferenciais acima da quantidade determinada e o bilhete do idoso são exemplos de destaque.


Outro ponto importante é um programa de relacionamento específico, chamado "Experiente Cidadão". Nas visitas às dependências da Companhia, empregados do Centro de Controle Operacional formam grupos especiais com idosos. Além de ficar por dentro do funcionamento do sistema, tirar dúvidas e dividir experiências, o idoso recebe diversas orientações de prevenção à queda e de bom uso do metrô.

O Polo Cultural da Pessoa Idosa, equipamento da Prefeitura de São Paulo para o atendimento e promoção de oficinas socioculturais nos campos da cultura, lazer, esporte, educação e saúde, para o estimulo, motivação e sensibilização da pessoa idosa no fortalecimento e integração social da pessoa idosa, atendeu 99 pessoas antes da chegada da pandemia, e mantém contato com usuários de todas as regiões da cidade por meio do serviço “WhatsApp Solidário”.


Para não se sentirem só no período de isolamento social, o “WhatsApp Solidário” inclui mais de 200 pessoas do Polo, do Grande Conselho Municipal do Idoso e do programa “Espaço Longevidade”. O objetivo é reunir orientações sobre prevenção ao coronavírus, dicas de bem-estar e qualidade de vida mediante vídeos temáticos a além de jogos on-line, filmes, yoga, teatro, aulas de dança entre outras alternativas.


A SMDHC também mantém o Blog InterATIVIDADE, um espaço de interlocução de atividades oferecidas pela Coordenação de Políticas para Pessoa Idosa. Foram postados no site oficial da SMDHC, 61 vídeos-aula desde o início da pandemia para as pessoas idosas acompanharem de casa. Cerca de 40% dos usuários do Polo participam das atividades.


Em parceria com a startup ISGAME o aplicativo Cérebro Ativo, foi desenvolvido um programa de aulas on-line. A ferramenta incentiva raciocínio lógico, criatividade, planejamento, concentração e socialização de pessoas idosas, público ainda mais vulnerável devido ao isolamento. O público desenvolve seus próprios jogos de videogame, desenvolvendo aspectos cognitivos e físicos de forma leve e divertida.


Além disso, em parceria com o HCOR e a UNINOVE, houve uma ação multisetorial para combater a propagação da Covid-19 dentro das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs). Por meio de plataforma online, os funcionários das ILPIs receberam dos profissionais de geriatria, enfermagem e fisioterapia do HCOR treinamentos e orientações sobre a COVID-19, como uso adequado de EPIs e higienização correta dos espaços. 604 estudantes do último ano de enfermagem da UNINOVE deram orientações sobre cuidados paliativos para a manutenção da saúde dos residentes, funcionários e familiares por meio de tele-enfermagem. Mais de 1.500 idosos foram beneficiados com os resultados da capacitação.

Outras ações em prol dos idosos já são realizadas em parceria com o metrô. Em fevereiro, a SMDHC firmou uma parceria com o Metrô de São Paulo para a realização de ações que visam a diminuição de acidentes relacionados a quedas, sensibilização sobre envelhecimento, e o combate à violência contra a pessoa idosa.


Ainda na área do combate à pandemia do novo coronavírus, o conselho gestor do FMID (Fundo Municipal do Idoso) aprovou a criação de uma Linha Emergencial Covid-19 temporária, voltada ao apoio financeiro das ILPIS.


O município de São Paulo conquistou no mês de novembro o Selo Pleno Amigo do Idoso, que é entregue pelo governo estadual às cidades que garantem instrumentos de amplo processo de mobilização promovendo o desenvolvimento do seu território amigável e valorizando a pessoa idosa, visando à garantia e à defesa dos seus direitos.


O Selo Amigo do Idoso foi lançado no Decreto nº 58.047 em maio de 2012 e é reconhecido pela Secretaria de Desenvolvimento Social do estado.

Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde informa que o município possui 12 Unidades de Referência em Saúde do Idoso (URSI), nas quais tem sido realizado o atendimento remoto (por contato telefônico) aos idosos ativos, principalmente os mais frágeis, e priorizados os atendimentos presenciais para os casos mais necessários, por meio de visitas domiciliares aos impossibilitados de locomoção ou mais vulneráveis à contaminação.


As ações preconizadas por SMS, por meio da Atenção de Saúde da Pessoa Idosa, são:

  • Vacinação contra Influenza em idosos residentes e profissionais;

  • Orientação, supervisão e monitoramento de ações preventivas e de controle de surtos;

  • Acompanhamento clínico de sintomáticos respiratórios suspeitos ou positivos para COVID-19;

  • Organização da rede pública do território para gestão de casos, encaminhamentos, internação e atendimento de urgência;

  • Organização de referência para isolamento dos idosos residentes positivos para COVID-19 (sintomáticos ou não) em locais de apoio (centro de acolhida e hospitais de campanha);

  • Afastamento de profissionais sintomáticos (suspeitos ou positivos) e assintomáticos (positivos);

  • Realização de testagem coletiva nos serviços para contenção de focos e surtos;

  • Acompanhamento diário de casos;

  • Ações de educação e promoção de saúde e prevenção dos demais agravos nos idosos residentes e capacitação dos profissionais que compõem as equipes dos serviços sócio sanitários.

12 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br