top of page
Buscar

Maioria das jogadoras brasileiras convocadas para a Copa do Mundo jogam no exterior

Por Roberto Maia


A treinadora da Seleção Brasileira Feminina, Pia Sundhage, anunciou as 23 jogadoras convocadas que irão disputar a Copa do Mundo Feminina FIFA Austrália e Nova Zelândia 2023. A lista chamou a atenção para algo que já ocorre nas convocações da seleção masculina há muitos anos: a maioria das atletas chamadas atua em clubes do exterior.


Ou seja, o futebol feminino no Brasil segue a mesma tendência verificada no masculino. Ou seja, entre as jogadoras convocadas, a grande maioria tem como base de atuação times estrangeiros. Essa realidade reflete a busca de oportunidades e experiências em ligas mais competitivas fora do Brasil, onde o futebol feminino tem alcançado um maior desenvolvimento. Mostra também o poderio econômico que leva as nossas melhores jogadoras.


Pois vejamos a lista de convocadas: goleiras: Lelê (Corinthians), Bárbara (Flamengo) e Camila (Santos); defensoras: Antônia (Levante), Bruninha (Gotham FC), Tamires (Corinthians), Kathellen (Real Madrid), Lauren (Madrid CFF), Mônica Hickman (Madrid CFF) e Rafaelle (Arsenal); meio-campistas: Adriana (Orlando Pride), Ary Borges (Racing Louisville), Duda Sampaio (Corinthians), Luana (Corinthians), Ana Vitória (Benfica) e Kerolin (North Carolina Courage); atacantes: Bia Zaneratto (Palmeiras), Debinha (Kansas City Current), Geyse (Barcelona), Nycole (Benfica), Gabi Nunes (Madri CFF), Marta (Orlando Pride) e Andressa Alves (Roma). Além das suplentes Tainara (Bayern de Munique), Aline (Ferroviária) e Angelina (Ol Reign-EUA).


Apesar da presença de novos talentos, o elenco conta com jogadoras experientes que já disputaram edições anteriores da Copa do Mundo. Caso da lendária atacante Marta, eleita seis vezes a “Melhor Jogadora do Mundo”. Ela irá participar de sua sexta competição mundial.


Outras veteranas na Seleção são a goleira Bárbara, que disputará sua quinta Copa do Mundo; Bia Zaneratto, que tem quatro participações; e Andressa Alves, Mônica e Tamires, com três participações. A ideia da treinadora Pia Sundhage é mesclar atletas experientes com outras jovens que irão disputar pela primeira vez a Copa do Mundo.

Treinadora Pia Sundhage anunciou a lista das 23 convocadas que irão representar o Brasil no Mundial na Austrália e Nova Zelândia. (Foto: Thais Magalhães/CBF)

Bem como o fato de convocar as jogadoras que atuam no exterior e já atuam em ligas onde o futebol feminino está bem mais desenvolvido que no Brasil. Acho que as jogadoras brasileiras que atuam no exterior estão certas em buscar melhores oportunidades profissionais e salários maiores. Embora não seja possível mantê-las por aqui, elas servem de exemplo para as jovens meninas que sonham jogar futebol, chegar à seleção brasileira e um dia quem sabe fazer sucesso no exterior.


Isso ressalta o crescimento e o reconhecimento do futebol feminino no Brasil. Cada vez mais nossas jogadoras vão conquistando espaços e mostrando seu talento além das fronteiras do Brasil.


Assim, mesclando experiência e juventude, a Seleção Brasileira tem tudo para realizar uma ótima Copa do Mundo e quem sabe buscar a primeira estrela para o Brasil.


Antes de seguir para a Copa do Mundo a Seleção Brasileira fará um amistoso contra o Chile, no dia 2 de julho, na Arena BRB Mané Garrincha, em Brasília (DF). A estreia brasileira no torneio está marcada para o dia 24 de julho, em jogo contra o Panamá. O Brasil está no Grupo F que tem confrontos contra a França, no dia 29 de julho, em Brisbane (Austrália), e a Jamaica, no dia 2 de agosto, em Melbourne (Austrália).

Marta foi convocada e irá disputar pela sexta vez a Copa do Mundo de Futebol Feminino. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


Comments


bottom of page