Buscar

Literatura é destaque da semana no #MISemCASA

Encontro com o escritor Richard Zimler e sarau de poesia acontecem ao vivo. Programação traz também mais uma edição Ciclo de Cinema e Psicanálise, que debate o longa Rede de Ódio

A partir dessa semana, o #MISemCASA, campanha virtual com conteúdo diário e inédito do Museu da Imagem e do Som – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – traz duas programações de literatura.


Na segunda (07.09), feriado do Dia da Independência, acontece o Sarau do Grito.  Realizado em  parceria com a PUC-SP e com curadoria de Frederico Barbosa – poeta, crítico literário e professor de literatura –, 18 poetas contemporâneos declamarão ao vivo seus poemas, embalados ao som da cantora e compositora Fortuna. No domingo, a terceira edição do MIS Ex-Libris traz um encontro com o escritor norte-americano, naturalizado português, Richard Zimler, autor de Último cabalista de Lisboa

Jà na terça (08.09), às 18h30, o público pode participar da masterclass Cinema: A montagem visual de um mundo, com Cristina Amaral, montadora com mais de 60 trabalhos cinematográficos em seu currículo. Realizada pela Mostra Ecofalante de Cinema, em parceria com a Spcine e com o apoio do MIS, a masterclass tem inscrição  gratuita, mas é necessário realizar o cadastro por este link (vagas limitadas). 

Também na terça, às 20h, acontece mais uma edição do  Ciclo de Cinema e Psicanálise, que, em parceria com a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP) e a Folha de S.Paulo, debate o longa Rede de ódio (Hejter, dir. Jan Komasa, Polônia, 2020, 136 min,18 anos). O filme, que ganhou o prêmio de melhor filme internacional no Festival de Cinema de Tribeca, tem como protagonista um rapaz especializado em destruir reputações nas redes sociais

Completam a programação do #MISemCasa desta semana o Bate-papo de Cinema Pontos MIS, que exibe e debate o filme A hora da estrela, longa de estreia de Suzana Amaral, e mais uma edição da Mostra Cinema de Acervo, que, sob o recorte Sétima arte, exibe três filmes que mostram o cinema a serviço de um olhar sobre as diversas manifestações artísticas e suas criações.

Programação #MISemCasa |07 a 13.09


07.09 | Segunda-feira | 17h | Sarau do Grito (ao vivo)

Em parceria com a PUC-SP, o MIS realiza, ao vivo, o Sarau do Grito. Sob a curadoria de Frederico Barbosa – poeta, crítico literário, professor de literatura e diretor da Casa das Rosas – 18 poetas contemporâneos declamarão seus poemas, embalados pelo som de Fortuna, cantora e compositora dedicada a resgatar o cancioneiro ladino. O Sarau do Grito, programação idealizada pela PUC-SP que integra o #poesianapuc, será transmitido ao vivo no canal do YouTube das duas instituições (TV PUC e MIS). “No dia sete de setembro de 1822, o príncipe Dom Pedro deu o famoso Grito do Ipiranga e, assim, reza a lenda, proclamou a independência do Brasil. Todos conhecemos os aspectos fantasiosos dessa independência e desse grito, mas é difícil discordar de que hoje nós todos temos muitas razões para gritar”, comenta Barbosa. “Na poesia, temos talentos muito diversos e consequentes: vozes bastante potentes que podem nos auxiliar a gritar a plenos pulmões. Não gritar no sentido literal, de elevar a voz destemperada, mas no sentido de dar intensidade e tempero à linguagem, para que seja capaz de atingir, mover, reconfortar ou acordar todos os brasileiros”, completa. 

08.09 | Terça-feira | 18h30 | Mostra Ecofalante: Masterclass com a montadora Cristina Amaral

Realizada pela Mostra Ecofalante de Cinema, em parceria com a Spcine e com o apoio do MIS, acontece na terça-feira a masterclass com Cristina Amaral, montadora com mais de 60 obras cinematográficas em seu currículo. “A ideia é pensar a montagem como trabalho no cinema – reflexo/reflexão, captura e provocação de sentimentos, posturas e reações humanas frente a seu tempo e sua relação com o mundo”, diz Amaral. A masterclass tem inscrição gratuita, mas é necessário realizar o cadastro por este link (vagas limitadas). 

Cristina Amaral nasceu em São Paulo e formou-se em Cinema na Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP) nos anos 1980. Iniciou sua carreira em 1977 no filme Parada 88, de José Anchieta, e desde então assinou a montagem de diversos diretores, como Carlos Reichenbach, Guilherme de Almeida Prado, Edgar Navarro e Andrea Tonacci, com quem criou em 1997 a Extrema Produções Artísticas, que mantém até hoje. Entre os principais trabalhos, estão Serras da desordem (2006), de Tonacci, e Falsa loura (2007), de Reichenbach. 

08.09 | Terça-feira | 20h | Ciclo de Cinema e Psicanálise l Rede de ódio (ao vivo)

O programa, realizado em parceria com a Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo (SBPSP) e a Folha de S.Paulo, traz em cada edição um debate sobre um filme com um jornalista e um psicanalista convidado. Desta vez, entra em debate Rede de ódio (Hejter, dir. Jan Komasa, Polônia, 2020,  136 min, 18 anos). O filme, que ganhou o prêmio de melhor filme internacional no Festival de Cinema de Tribeca, tem como protagonista um rapaz especializado em destruir reputações nas redes sociais. Participam da conversa, mediada por Luciana Saddi, diretora de Cultura e Comunidade da SBPSP, a psicanalista Rahel Boraks e o jornalista Rogério Simões. O longa não será exibido, mas pode ser assistido na Netflix. Sinopse: Tomesz tem uma obsessão por Gabi e sua rica família. Quando é expulso da faculdade de Direito por plágio, ele começa a trabalhar em uma agência de marketing e é encarregado de destruir a reputação de um político liberal. Participe do bate-papo.

10.09 | Quinta-feira | 20h | Mostra Cinema de Acervo – Sétima arte A campanha #MISemCASA apresenta a Mostra Cinema de Acervo, uma seleção de filmes brasileiros digitalizados a partir de material físico tais como 16mm, 35mm ou Super 8, disponíveis no Acervo MIS. Na mostra Sétima Arte, os filmes selecionados são um pequeno retrato da composição de linguagens que é o cinema. A Mostra, que tem duração de 48 min, exibe na sequência três filmes que mostram o cinema a serviço de um olhar sobre as diversas manifestações artísticas e suas criações. Serão exibidos Grandes são os desertos... (dir. Marily da Cunha Bezerra, 1990, Brasil, 8 min, livre), que traz para a tela a angústia e a solidão da poesia de Álvaro de Campos; God Jokes: a arte de Abdul Mati Klarwein (dir. Adelino dos Santos Abreu, Brasil, 1981, 30 min, livre), que apresenta a arte do artista francês que teve muitas de suas obras estampando capas de discos musicais; e, por fim, Titãs da pintura (dir. Primo Carbonari, Brasil, 1974, 10 min, 10 anos), que revela o rico e vasto acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Assista à mostra.

12.09 | Sábado | 18h | Bate-papo de Cinema Pontos MIS | A hora da estrela (ao vivo) O programa, que traz uma sessão de cinema online seguida por bate-papo ao vivo, apresenta neste sábado o longa nacional A hora da estrela (dir. Suzana Amaral, 1985, Brasil, 96 min, 12 anos), estreia de Suzana Amaral na tela grande e adaptação de uma das maiores obras de Clarice Lispector. Para assistir gratuitamente ao filme, que será exibido às 16h, basta preencher um cadastro neste link. Já o bate-papo ao vivo acontece às 18h ao vivo no canal do MIS no YouTube


Sinopse: Macabéa é uma imigrante nordestina que vive em São Paulo. Ela trabalha como datilógrafa em uma pequena firma e vive em uma pensão miserável, onde divide o quarto com outras três mulheres. Macabéa não tem ambições, apesar de sentir desejo e querer ter um namorado. Um dia ela conhece Olímpico, um operário metalúrgico com quem inicia namoro. Só que Glória, colega de trabalho de Macabéa, tem outros planos após se consultar com uma cartomante.

13.09 | Domingo | 17h | MIS Ex-Libris 2 – Encontro com Richard Zimler (ao vivo)

A terceira edição do MIS Ex-Libris, programa do Museu que traz bate-papos ao vivo sobre literatura e debate novos suportes tecnológicos, apresenta ao vivo um encontro com o escritor norte-americano, naturalizado português, Richard Zimler, autor de Último cabalista de Lisboa. Participam da conversa José Luiz Goldfarb, curador do MIS Ex-Libris, e a crítica literária e escritora, formada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, Helena Vasconcelos.

Richard Zimler nasceu em Roslyn Heights, um subúrbio de Nova York, em 1956. É formado em Religião Comparativa pela Universidade de Duke (1977) e mestre em Jornalismo pela Universidade de Stanford (1982). Trabalhou durante oito anos como jornalista na zona administrativa da Baía de São Francisco. Radicou-se em Portugal em 1990, residindo desde então na cidade do Porto. Deu aulas na Escola Superior de Jornalismo e na Universidade do Porto durante 16 anos, lecionando disciplinas na área do jornalismo. Obteve a nacionalidade portuguesa em 2002. Zimler publicou vários romances, alguns dos quais se tornaram best sellers em diversos países, e ganhou prêmios como o National Endowment for the Arts Fellowship in Fiction, em 1994, e o Herodotus Award de melhor romance histórico em 1998. Participe do bate-papo.

Exposições virtuais e Acervo Online MIS

Além da programação digital #MISemCASA, o Museu MIS apresenta cinco exposições virtuais realizadas em parceria com o Google Arts & Culture: Moventes, que traz imagens de diversas situações de deslocamentos e trabalhos itinerantes que muitas vezes passam despercebidos, invisíveis, na correria cotidiana; Coleção Guilherme Gaensly no acervo MIS: uma paisagem humana, com imagens históricas sobre o cultivo do café no interior paulista; Cinema paulista nos anos 1970, sobre a produção e bastidores do cinema paulista dessa década presente no acervo do MIS; Lambe-lambe: fotógrafos de rua em São Paulo nos anos 1970, resgate de uma das primeiras coleções do acervo do MIS com documentação dos fotógrafos de rua em atividade no início dos anos 1970; e A mulher na Revolução de 32, mostra com fotografias, arquivos de áudio e trocas de correspondências (exclusivas do acervo do MIS) relatando o dia a dia de voluntárias da Revolução.  


O público também pode conferir parte do Acervo MIS que está digitalizado e pode ser acessado neste link. No Acervo online, os visitantes encontram informações sobre os itens que compõem os acervos museológico e bibliográfico do MIS e, em alguns casos, terá amplo acesso ao conteúdo das coleções de fotografia, áudio e vídeo. Tendo como base um banco de dados desenvolvido especialmente para o acervo do Museu, o Acervo online apresenta-se ao público como um instrumento para a exploração dos milhares de itens que fazem parte da documentação reunida ao longo dos 50 anos do Museu.

S e r v i ç o #MISEMCASA www.mis-sp.org.br

8 visualizações

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br