Buscar
  • Redação JBA

Entenda o tratamento de Alexandre Correa, que dá exemplo ao falar do câncer nas Redes Sociais


Por Dr. Paulo Lázaro


Alexandre Correa, marido da apresentadora Ana Hickmann, noticiou há pouco tempo que está em tratamento para combater um tipo de câncer na região do pescoço. Ele trata do assunto abertamente nas Redes Sociais. A abordagem franca e humana adotada por Alexandre é louvável e, com certeza, ajudará muitos pacientes e seus familiares que passam pela mesma situação. A sua postura em contar os sintomas iniciais também é um excelente exemplo que vai auxiliar muitas pessoas a procurarem auxílio médico quando apresentarem sintomas ou lesões semelhantes.


Não sabemos mais detalhes sobre a localização da lesão que originou alguns gânglios metastáticos, mas podemos inferir como deverá ser o tratamento a ser realizado com intuito de cura.


Entenda o tratamento

Após o diagnóstico de câncer da região de cabeça e pescoço, área compreendida entre a base de crânio e clavícula, a equipe médica realiza um procedimento chamado estadiamento, em que por meio de vários exames confirma-se a extensão da doença e propõe-se um tratamento.


Nos casos em que a doença localizada está restrita a esta região deve-se realizar tratamento curativo local seja com cirurgia ou radioterapia e quimioterapia.


Grande parte dos casos em que a doença já se encontra nos linfonodos (gânglios) a radioterapia concomitante a quimioterapia é o procedimento indicado. Ele consiste na emissão de radiação ionizante, particularmente o Raio X, para tratamento de lesões de crescimento rápido como as neoplasias.


O objetivo então é expor diariamente o tumor e áreas de alto risco a uma dose diária pré-determinada e, aos poucos, fazer com que lesões celulares se acumulem nas células malignas, enquanto são “reparadas" pelas células benignas.


O tratamento é muito efetivo e tem alto potencial de cura, entretanto também é normalmente acompanhado por efeitos colaterais por conta da alta sensibilidade da mucosa à radiação, podendo gerar entre outros efeitos dor na deglutição e diminuição de saliva.


O uso da técnica de radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT), por exemplo, permite com que a dose de radiação se concentre no tumor e ao mesmo tempo diminua dose na região das parótidas, permitindo assim que haja menos efeitos colaterais sobre a glândula que é responsável pela salivação. Estudos robustos mostram que a radioterapia IMRT é efetiva nesses casos e permite com que as pessoas se recuperem melhor após o tratamento com radiação ionizante.


Durante a radioterapia sintomas comuns são dor a deglutição devido ao efeito inflamatório da radiação, fraqueza e alterações de pele na área tratada. Além de técnicas avançadas de radioterapia para diminuir esses efeitos também devem ser utilizadas medicações para possíveis sintomas e um acompanhamento próximo da equipe médica, permitindo que essa fase passe com menor incômodo possível.


Para o sucesso do tratamento a estratégia adotada por Alexandre Correa é a ideal: ter pensamento positivo, acreditar e falar abertamente sobre os processos do tratamento. Além de ajudar outras pessoas com o diagnóstico precoce, vai inspirar e dar força para demais pacientes com câncer.



Paulo Lázaro é médico, graduado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), com doutorado na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Especialista em Radioterapia e Neuro-oncologia. Idealizador do site Radioterapia Legal https://radioterapialegal.com.br

144 visualizações0 comentário