Buscar

Cinco pratos diferentes para provar na Grécia após a pandemia

Atualizado: Ago 14

Atenas, Grécia. `Menino, por acaso estou falando grego? Professora, pode falar que eu traduzo” . Tal diálogo insólito porém verdadeiro, ocorreu há muito tempo quando eu estudava no primário, em São Paulo. Um coleguinha ao lado não conseguia compreender o que a professora explicava e, eu, ingenuamente, soltei a pérola: “eu traduzo, professora” . Explico. Filho de grego que sou e com dupla cidadania, cresci falando português e grego, logo, “eu traduzo, professora”! Mas direto ao assunto: tão logo termine a pandemia e você, caro leitor, internauta amigo, resolva vir à Grécia, seguem abaixo dicas de cinco pratos incríveis para degustar, preferencialmente, olhando para o mar Egeu. Vamos lá?


Salada grega: campeã na preferência de todos

Greek Salad countryside style, ou, salada grega caipira.Uma unanimidade nas mesas por toda a Grécia, a “horiátiki” , ou simplesmente a “caipira” , está presente em dez de cada dez mesas. Detalhe: gregos e turistas adoram indistintamente. Segue a receita. Tomates cortados em quatro, pepinos descascados cortados em grandes pedaços, cebola roxa em finas fatias, azeitonas, alcaparras de preferencia orgânicas, queijo feta, orégano, sal, e uma quantidade infinita de puro azeite extravirgem! Grego e de preferencia da região de Kalamata, claro.

Creme de alcaparras. Fantástico sobre pão, como entrada ou até mesmo acompanhando algum peixe assado ou na brasa. Segue a receita. Alcaparras inteiras e também trituradas, sal, pimenta, muito azeite de oliva extravirgem grego, uma gema de ovo cozida e uma crua. Junte tudo, menos a gema crua, em uma vasilha. Como se fosse fazer maionese fresca, vá batendo e incorporando aos poucos com um batedor de ovos (ou pode bater com um garfo). Vá batendo e incorporando a gema aos poucos e vigorosamente. Em alguns minutos vira um creme grosso parecido com maionese. Dos deuses gregos!



Sopa Grega de Peixe

Sopa de peixe ou Psarossupa, em grego. Fria ou quente, é algo que remete à famosa“bouillabaisse”francesa, mas com sabor bem mais distinto. Como dá muito trabalho para ser bem feita, sugiro que peça em bons restaurantes sempre à beira mar. Eu prefiro servida fria, especialmente no fustigante verão grego. No inverno, sirva fumegando e com grandes nacos de pão tostados com azeite e orégano. De lamber os dedos! Segue receita: sobras de diversos peixes frescos crus. Após tirar os filés, sobra muita carne junto com espinhas. Cozinhe tudo em um panelão, com água, acrescentando um pouco de limão, sal, pimenta a gosto, temperos frescos, como salsinha, endro e, se gostar, um pouco de coentro. Deixe esfriar, coe tudo, acrescente azeite extravirgem na hora de servir. Vinho branco da uva grega malavousiá é matador para este prato.

Cabrito assado com queijo de cabra e massa chilopita

Cabrito assado lentamente com orégano selvagem, canela e chilopitas (talharim grego). Envolto em papel alumínio, a parte inferior da coxa do cabritinho é assada por horas semi-mergulhada em azeite extra-virgem grego. Quando soltar do osso e puder ser retirada usando apenas o garfo, está pronto. Por conta do aroma divino que exala durante a preparação (atenção, forno deve estar na temperatura máxima de cem graus centígrados), eu chamo este prato de ‘desespero dos vizinhos’! Salada grega é um excelente acompanhamento ou, alternativamente, batatas assadas. Um vinho tinto da uva endêmica grega xinomavro casa perfeitamente!


Giros grego, o salvador das baladas

O tradicional churrasquinho grego que nada tem a ver com o que é vendido no Brasil. Nem vou dar a receita deste prato porque é virtualmente impossível fazer em casa. Mas, quando estiver na Grécia, deixe o preconceito de lado e "mande ver" um giros pita de porco ou de frango. Vai vendo o que tem neste ‘ sanduba’ helénico tradicionalíssimo que é o grande salvador das baladas noturnas. Carne de porco ou frango lentamente grelhadas em um giros (aquele aparelho estranho que parece uma máquina de frango assado mas com o espeto na vertical ao invés de na horizontal), batatas fritas, tomate, molho tzatziki (conto a receita outro dia), cebolas roxas em grossas fatias. Tudo isso aconchegado em um pão tipo pita servido embrulhado em uma espécie de cone. Pronto para viagem ou na mesa, é de fato um santo remédio após baladas regadas a vinho, cerveja e outros produtos etílicos!


Na Grécia se costuma dizer que boa comida é como mulher bonita: não precisa de maquiagem.


Quer mais dicas? Acesse o portal www.oquevipelomundo.com.br ou escreva para mim ppanayotis@oquevipelomundo.com.br.


Agora me desculpem que vou almoçar…


Fotos: Paulo Panayotis & Adriana Reis


Paulo Panaytis é jornalista especialista em turismo, mergulhador e fundador do Portal OQVPM - O Que Vi Pelo Mundo. Mora na Europa, tem passaporte carimbado em mais de 50 países e viaja com patrocínio e apoio Avis, Travel Ace e Alitalia.

3 visualizações

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br