Buscar
  • Redação JBA

Aumentam as buscas por universidade americana destinada a brasileiros

Reitor de universidade americana voltada para os brasileiros mostra como é possível estudar em um curso de qualidade, mesmo sem ter o domínio de outro idioma


Uma oportunidade de crescimento pessoal e profissional é investir no conhecimento acadêmico. Tanto é que nomes de sucesso sempre presentes na mídia brasileira, como Dr. Lair Ribeiro, Dr. Robert Rey, por exemplo, são reconhecidos pelos seus conhecimentos e domínio dos assuntos de sua área de atuação. Os dois receberam o título de doutor Honoris causa pela Emil Brunner World University, ou simplesmente EBWU, uma universidade americana voltada para brasileiros. O título de doutor Honoris causa é o maior reconhecimento dado a personalidades que possuem um trabalho exemplar na sociedade e que de alguma forma contribuíram para o conhecimento científico.

Italu Colares (Imagem: Divulgação / MF Press Global)

O reitor desta universidade é o Dr. Italu Colares, nome já consagrado no meio educacional quando se fala em educação eletrônico. Ele lembra que esta qualificação no exterior só tem a trazer benefícios para seus estudantes: “Basta ver que grandes personalidades brasileiras estudaram em sua maioria no exterior. Ainda mais quando se fala em estudar em um país com a quinta melhor educação do planeta”, explica.

A princípio, ele deixa uma dica valiosa para quem deseja retomar a vida acadêmica: “Se você não deseja notoriedade, não é recomendado que você faça um curso de Stricto Sensu. Esses cursos existem para tirar a pessoa do senso comum. Caso não deseje sair dele, não o faça”, recomenda. Porém, “deve-se lembrar que o Brasil possui um dos piores índices educacionais do planeta”, lamenta o educador.

Apesar de existirem várias opções no Brasil de programas de mestrado e doutorado, Dr. Italu lembra que para muitos realizar estes estudos é um sonho quase que inalcançável. Por isso, ele apresenta quais são os principais empecilhos de se cursar um mestrado e doutorado no Brasil e no exterior. “Daí será possível compreender as razões da procura por parte de brasileiros por universidades americanas”, reforça.

1. Estudar em uma Universidade Federal Brasileira

Dr. Italu acredita que “estudar nessa opção poderá acabar com a sua vida. Não podemos esquecer que as universidades públicas brasileiras se tornaram centros de doutrinação marxista. Isso não ajuda a reflexão e sequer a produção de novas ideias. Deve-se ter em mente que são poucas vagas ofertadas nessas universidades (em média 25 vagas anuais). Isso não atende a população que deseja prosseguir seus estudos”. Outro problema, ele conta, é que “os professores dessas universidades já possuem os seus ‘indicados’ para assumir essas vagas. Parte dessas universidades, estabelecem limites de idade. Elas também exigem que seus alunos não tenham outras atividades. Sendo assim, mesmo que você seja aceito, não poderá trabalhar e fazer mais nada da sua vida, exceto estudar”. A carga horária também é extensa e pode ser prejudicada: “Terá aulas de manhã, de tarde e de noite. Além disso, você poderá contar com as greves sucessivas. Um curso de mestrado de 24 meses poderá ser concluído em até 4 anos. Isso tudo sem contar com os gastos com livros, gasolina e alimentação durante este período”, detalha o especialista.

2. Estudar em uma Universidade Particular Brasileira

Estudar nessa opção poderá acabar com todo o dinheiro do aluno, lamenta Dr. Italu. “Não podemos esquecer que mesmo as universidades particulares brasileiras também disponibilizam poucas vagas para cursos de mestrado e doutorado (em média 25 vagas anuais). Isso não atende a população que deseja prosseguir seus estudos”. Um grande entrave é que “as mensalidades são extremamente caras. Certa universidade particular em Brasília oferta o mestrado com mensalidades nos valores de R$ 3.500. Se somar o que irá gastar no decorrer do programa com gasolina, alimentação, livros e mensalidades, o aluno terá investido algo em torno de R$ 150 mil. Isso equivale ao preço de uma kitnet ou até mesmo uma casa em determinadas regiões do Brasil”. Não é segredo para ninguém que a maior parte da população brasileira não possui recursos financeiros para custear isso tudo, por isso, Dr. Italu reforça que, “mesmo que você tenha um reajuste salarial com seu título de mestre e doutor, se pesar aquilo que foi investido verá que que de fato não valeu a pena tamanho do seu dinheiro”.

3. Cursar um Mestrado e Doutorado Profissional nas Faculdades Particulares

Os mestrados e doutorados profissionais são aqueles que são ofertados visando a profissão em particular e não à docência. “Esses visam preparar o profissional para os desafios de sua profissão na atualidade. Podem ser ofertados por faculdades particulares brasileiras. São mais em conta, em alguns casos, no que diz respeito ao valor das mensalidades. Mas o aluno deve ter em mente que, cursando esse mestrado, poderá ter outros gastos com alimentação, hospedagem, viagens e até materiais didáticos e livros”, destaca Dr. Italu Colares. Além disso, ele lembra que “tenha em mente que essas faculdades que ofertam esses programas não podem ser encontradas em quaisquer esquinas. Muitas vezes, o acadêmico deverá viajar no período de férias e passar em média duas semanas para participar das aulas no período de alta temporada. Um grande problema é que nesse período as passagens estão mais caras. Diante disso você ainda contará com valores tão exorbitantes quanto no caso das universidades particulares”, explica.

4. Viajar para Estudar seu Mestrado e Doutorado no Exterior

Estudar nessa opção “não somente acabará com seu dinheiro, mas também irá acabar com as suas férias junto de sua família”, acredita o educador. Nesse caso, a pessoa deve viajar “entre 4 e 8 vezes durante o seu curso no período das férias em alta temporada. Dependendo do país. poderá gastar entre R$ 10 mil e R$ 20 mil por viagem. Se contar com as mensalidades, gastos com livros você gastará quase o mesmo que em uma universidade particular no Brasil”, destaca Dr. Italu. Outro problema, ele aponta, é que “ainda existe o problema de você ficar longe de sua família e daqueles a quem você ama”.

Mas qual caminho seguir, afinal?

Dr. Italu Colares lembra que as universidades americanas para brasileiros com a modalidade EAD suprem todos os problemas apresentados anteriormente. “Isso fará com que você não precise gastar dinheiro com hospedagem, viagens e ficar longe da sua família e daqueles a quem você ama”.

“A EBWU é um exemplo de universidade que trabalha sob essa perspectiva. Esta é uma universidade devidamente registrada nos Estados Unidos da América, certificada pelo Departamento de Educação da Flórida, e está localizada em uma área nobre de Miami”, destaca o educador.

Além disso, “é a única universidade americana que possui um convênio com a Secretária de Justiça de Santa Catarina (Brasil) para a oferta dos programas de mestrado e doutorado”. Vale lembrar que a EBWU foi fundada para atender brasileiros no mundo inteiro sem que esses precisem saber falar inglês. Dr. Italu lembra que “ela foi a primeira universidade americana que possui essa proposta”.

Todos os seus programas, incluindo os programas de mestrado e doutorado podem ser cursados na modalidade EAD em quaisquer partes do mundo. “A mesma possui plataforma digital de aprendizagem com todo o material didático incluso além de uma sala virtual de aprendizagem com capacidade para mais de 500 alunos simultâneos na resolução Full HD”, comenta. Outra vantagem é que a única universidade para brasileiros em todo o mundo que não falam inglês, e “com essa tecnologia, será possível atender pessoas que desejam cursar um mestrado e doutorado na modalidade EAD com um baixo custo e alto benefício”.

Para quem deseja conhecer a EBWU, o seu reitor lembra que ela está cadastrada no MEC do Brasil, “além de possuir mais de 100 diplomas de mestrado e doutorado reconhecidos no Brasil por meio de universidades brasileiras. Os alunos da nossa universidade possuem artigos publicados em revistas Qualis além de terem passado grandes personalidades por ela como Lair Ribeiro, Fernando Capovilla e Dr. Rey. A EBWU hoje conta com a maior nota da internet além de possuir cerca de 100 mil seguidores e vários depoimentos favoráveis de alunos em vídeos em suas redes sociais”, completa.

34 visualizações0 comentário