top of page
Buscar

Arábia Saudita busca influência global através do futebol

Por Roberto Maia


A Arábia Saudita, país do Oriente Médio famoso pelas imensas reservas de petróleo, recentemente expandiu sua presença no cenário futebolístico internacional. O início dessa incursão ocorreu na temporada atual, com a icônica transferência de Cristiano Ronaldo no início de 2023. A mudança do jogador português para solo saudita revelou-se como um marco crucial para a nova era do futebol no país. Não apenas por seu impacto esportivo, mas também por suas consequências políticas e econômicas.


A transferência de Cristiano Ronaldo para o Al-Nassr incentivou a ida de vários outros jogadores para a Arábia Saudita. (Foto: Reprodução/Instagram Al Nassr)

O CR7 não hesitou em afirmar que sua transferência para a Arábia Saudita abriu as portas para outros jogadores de todo o mundo. Sem dúvida ele incentivou outros a seguir seus passos e participar dessa fase do futebol no país do Golfo Pérsico. No entanto, é importante notar que, embora o movimento tenha começado com nomes de alto calibre como o craque português, ele desencadeou uma série de transferências que foram menos noticiadas, muitas das quais envolvendo jogadores menos conhecidos e de menor relevância.


O movimento é coordenado pelo governo saudita, que tomou medidas decisivas para consolidar o país no cenário futebolístico. Recentemente, o ministro do esporte saudita anunciou que o Public Investment Fund (PIF), um fundo de investimento controlado pelo governo local, assumiria o controle de quatro dos maiores clubes do país: Al Ahli, Al Ittihad, Al Hilal e Al Nassr. A motivação por trás dessa ação é fortalecer tanto esses clubes individuais quanto a liga como um todo, usando o futebol como uma forma de poder para aumentar a influência do país globalmente.


Neymar receberá 320 milhões de euros, aproximadamente R$ 1,7 bilhão, por dois anos de contrato com o Al-Hilal. (Foto: Reprodução/Twitter Al-Hilal)

Essa mudança de controle demonstra a determinação da Arábia Saudita em consolidar seu papel no mundo do futebol e usar a modalidade esportiva como uma ferramenta para avançar seus interesses nacionais. Além disso, há um projeto ainda maior, que inclui planos de sediar a Copa do Mundo de 2030.


Mas o envolvimento da Arábia Saudita no futebol não se limita apenas aos clubes domésticos. O país também tem investido no patrocínio da Superliga Africana, como forma de expandir ainda mais sua influência global.


O fato é que a Arábia Saudita está usando o futebol em um movimento estratégico que tem o objetivo de passar uma imagem diferente para o mundo. Assim, o esporte entre como uma importante ferramenta política e econômica. Com nomes como Cristiano Ronaldo, Karin Benzema, Sadio Mané, Roberto Fimino, N'Golo Kanté, Fabinho, Malcom, Romarinho, Edouard Mendy, Neymar e muitos outros se juntando à liga saudita, o país mostra sua determinação de deixar sua marca no mundo do futebol, gerando impactos que vão muito além dos gramados.



Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.



Comments


bottom of page