top of page
Buscar

Vitor Pereira e Fernando Diniz são destaques do primeiro turno do Brasileirão

Por Roberto Maia


O primeiro turno do Brasileirão chegou ao final com o Palmeiras na liderança. Até aí nenhuma surpresa, visto que o Verdão é atualmente o melhor time do futebol nacional.


Surpresas para mim são o Flamengo e o Atlético-MG, os outros dois times considerados favoritos ao título pelo histórico apresentado em 2021. Mas, diferentemente do Palmeiras, que manteve seu treinador Abel Ferreira, o Galo e o Mengão trocaram o comando técnico e não foram felizes.


Na minha opinião, os destaques do primeiro turno do Campeonato Brasileiro foram os treinadores Vitor Pereira do Corinthians e Fernando Diniz do Fluminense. O português do Timão tirou “leite de pedra” como dizem e mantém o Alvinegro vivo na Libertadores, Copa do Brasil e na segunda colocação do Brasileirão. Já Diniz fez o Tricolor carioca jogar forma vistosa e eficiente e em uma arrancada incrível já é o terceiro colocado.


Há alguns meses eu já havia utilizado esse espaço para falar de Diniz, que na ocasião estava desempregado. Em 2020, o treinador fez um excelente trabalho no comando do São Paulo. Sob seu comando o Tricolor realizou apresentações em que mostrou futebol arrojado e de intensidade. Porém, após fase ruim marcada pela ausência de jogadores importantes, ficou seis jogos sem vencer no Brasileirão daquele ano. Favorito ao título, o time perdeu a liderança e como sempre acontece no Brasil, o treinador foi demitido.

Fernando Diniz é um treinador exigente nos treinamentos e durante os jogos. (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Apesar do jogo vistoso, o trabalho de Diniz ainda não foi coroado com a conquista de campeonatos importantes. Ele tem uma visão do jogo diferente da maioria dos técnicos, que privilegiam a defesa e jogam no erro do adversário. Os times comandados por ele querem ter a posse de bola e sair jogando desde o seu goleiro. Evitam os chutões desnecessários dos zagueiros e têm transição rápida ao ataque.


No Fluminense os jogadores parecem ter comprado a ideia de Diniz e estão se entregando em campo. Inclusive Paulo Henrique Ganso, considerado atleta com ótimo nível técnico, mas que não era afeito a ajudar na marcação e muitas vezes lento na transição. Até ele se enquadrou e hoje é o maestro e comandante do time dentro de campo.


Já o treinador corinthiano virou o novo ídolo da fanática fiel torcida. E não é para menos. Dono de um ótimo currículo com conquistas internacionais, Vitor Pereira chegou ao Corinthians dizendo que seus times jogam com muita intensidade o tempo todo.


"Há qualidade técnica no elenco. Vamos pensar na intensidade, pois temos jogadores experientes. Minha carreira toda foi projetando uma metodologia de treino e um modelo de jogo", disse em sua primeira entrevista coletiva como técnico do Corinthians.


Mas VP também ressaltou que temia não conseguir por causa dos vários jogadores acima dos 30 anos no elenco do Timão. E ele estava certo. O time também tinha muitos meias e poucos atacantes. Alguns com elevada qualidade técnica e outros jovens em início de carreira. Disputando três competições simultaneamente vários jogadores se contundiram, desfalcando o time por vários jogos. A alternativa foi mudar os planos alternando esquemas táticos e recorrerendo aos “miúdos”, os garotos revelados pela base corinthiana.


A torcida, claro, queria ver todos os medalhões em campo e jogando juntos. Impossível, segundo Vitor Pereira, que deu início a um revezamento de jogadores nunca visto no Brasil anteriormente. Jovens foram alçados ao time principal e jogadores experientes como Jô, que estava visivelmente acima do peso, e Luan foram afastados. Atletas como Mantuan, Adson, Lucas Piton, Raul Gustavo, João Vitor, Giovani, Xavier, Gustavo Mosquito, Robert Renan, Felipe, Wesley, Mateus Donelli, Carlos Miguel, Biro e principalmente Du Queiroz, viraram protagonistas e estão dando conta do recado.


Torço para que trabalhos como os de Fernando Diniz e Vitor Pereira sejam vitoriosos. Tal como o de Abel Ferreira foi até o momento à frendo do Palmeiras. O futebol agradece!

Para manter o Corinthians competitivo, Vitor Pereira faz revezamento de jogadores nunca visto no Brasil. (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)


Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


Comments


bottom of page