Buscar
  • Redação JBA

Sesc Consolação promove bem-estar por meio de automassagem, meditação, yoga, dança e música

Como nos apropriar do meio virtual sem nos deixar sermos engolidos por ele? Neste período atípico em que vivemos, realizar ações mediadas por ferramentas de comunicação digitais abrem espaço para um desconforto decorrente da forma como essas experiências afetam nossos corpos e mentes. A falta de presença, do contato, pode aparecer como um problema, como uma sensação coletiva latente.


Essa discussão é o ponto de partida para o projeto Atos para Convocar a Presença, do Sesc Consolação, cujo intuito é discutir noções de presença, corpo e tecnologias de saúde. Partindo de diferentes referenciais artísticos, terapêuticos, pedagógicos ou espirituais, o projeto pretende promover experiências e ações para que o público participe de processos de autoconhecimento e cuidado compartilhado. Deste modo, os participantes podem restabelecer, minimamente, os vínculos com a vitalidade, a expressividade e a coletividade.


Seguindo a tendência crescente do cruzamento entre os campos da arte (especialmente aquelas que envolvem o corpo), da saúde (psicoterapia, massoterapia, fisioterapia, neurologia, práticas integrativas, educação física etc.), das práticas corporais (yoga, chi kung, meditação) e da espiritualidade (chi kung, budismo, taoísmo, umbanda, candomblé, xamanismo etc.), a programação busca intercalar e valorizar os saberes e as práticas ancestrais e contemporâneas da cultura brasileira, principalmente as indígenas e as afrobrasileiras, muitas vezes marginalizadas. São curso e palestras sobre automassagem, meditação, dentre outros, minimistrados de maneira online e divididos em sete temas diferentes. Para participar basta acessar o site da instituição, buscar pela unidade Consolação e se inscrever.


Confira a programação:


Curso Meditação e equilíbrio emocional | Com Felipe Futada e Flávia Sato

Imagem: Mirmila Musse/Flávia Sato (Montagem)

O curso oferece conteúdo de sensibilização quanto ao desenvolvimento de competências essenciais para o equilíbrio emocional, como auto-observação e autorregulação. Por meio de uma abordagem teórico-prática, os participantes terão a oportunidade de conhecer o que há de científico por trás dessa metodologia e como começar a cultivar esse hábito em suas vidas. Felipe Futada é instrutor de Ashtanga Yoga, Lian Gong em 18 Terapias, e Reeducação do Movimento pelo Método Ivaldo Bertazzo. Especialista em Shiatsu, Quiropraxia japonesa e Auriculoterapia. Pós-graduado em Gestão Emocional nas Organizações pela Faculdade Israelita Albert Einstein e instrutor certificado do Programa Cultivating Emotional Balance. Flávia Sato é professora de mindfulness e Ashtanga Yoga pela Yoga Alliance UK, Yogaterapeuta pelo Ciência Meditativa. Pós-graduada em Gestão Emocional nas Organizações pela Faculdade Israelita Albert Einstein e instrutora certificada pelo Programa Cultivating Emotional Balance.

Dias 24, 27 e 29/4; sábado das 10h às 12h, terça e quinta das 19h30 às 21h30.

A partir de 16 anos.

R$ 9,00 (credencial plena) | R$ 15,00 (meia) | R$ 30,00 (inteira)

Inscrições aqui de 15/4, quinta, a partir das 14h, a 22/4, quinta, até 14h, ou enquanto houver vagas.


Yoga para Corpos Urbanos | Com Danilo Patzdorf

Imagem: Vinicius Bernardo

Com a pandemia, nossos corpos estão cada vez mais on-line, cada vez mais sentados, cada vez mais olhando para uma tela. A combinação da imobilidade do corpo com a hiperexcitação mental-visual pode estar nos levando cada vez mais a uma sensação de esgotamento, porque, embora o corpo não esteja muscularmente cansado, nossa mente está exausta. Neste minicurso, experimentaremos diferentes ferramentas de autocuidado (automassagem, meditação, alongamento, respiração e relaxamento) que poderão te ajudar a recarregar as energias para seguir sua rotina com mais vitalidade. Danilo Patzdorf é artista do corpo, arte-educador, pesquisador e professor de yoga. Autor do livro "Sobre aquilo que um dia chamaram corpo: corporalidade nas ambiências digitais", está concluindo um doutorado sobre corpo, neoliberalismo e autocuidado em arte-educação. Desde 2018 realiza o projeto Yoga Para Corpos Urbanos, do qual já participaram mais de 800 pessoas.

Dias 25, 27 e 29/5; sábado das 10h às 12h, terça e quinta das 19h30 às 21h30.

A partir de 16 anos.

R$ 9,00 (credencial plena) | R$ 15,00 (meia) | R$ 30,00 (inteira)

Inscrições de 13/5, quinta, a partir das 14h, a 20/5, quinta, até 14h, ou enquanto houver vagas.


Dança Intuitiva | Com Inaê Moreira

Imagem: Safira Moreira

A expressão iorubá èmi wà, significa estou presente/estou aqui-agora. Partindo de três elementos da sabedoria iorubá; èmí (a força interna/espírito), ofó (a intenção/encantamento) e asé (a materialização dessa força vital), nesta prática vamos trabalhar a dança como o movimento de escavar com o corpo memórias e corpografias ancestrais. Ao saudar e evocar as Iyabás, visitando ritmos, sensações e magias negras, retomaremos tecnologias sociais e políticas ancestrais que podem orientar deslocamentos em nossas formas de existir individual e coletivamente. Inaê Moreira é mulher negra e artista do movimento. Licenciada em Dança na Bahia e Formada pela Escola Integral de Circo da Argentina, vem desenhando uma longa trajetória em contato com diversas técnicas corporais: capoeira angola, yoga, danças (clássica, moderna, contemporânea, populares), danças de matrizes africanas, tai-chi, contato-improvisação e práticas somáticas. Desenvolve atualmente uma metodologia de trabalho própria que envolve a criação e a docência. É criadora do projeto Dança Intuitiva.

Dias 19, 22 e 24/6; sábado das 10h às 12h, terça e quinta das 19h30 às 21h30.

A partir de 16 anos.

R$ 9,00 (credencial plena) | R$ 15,00 (meia) | R$ 30,00 (inteira)

Inscrições de 10/6, quinta, a partir das 14h, a 17/6, quinta, até 14h, ou enquanto houver vagas.


Tambor Corpo e Cura | Com Ariane Molina

Imagem: Raquel Santos


Vivência em Ritual, Corpo e Tambor, com o objetivo de proporcionar a experiência musical, ritualizar laços ancestrais e desenvolver o corpo sensorialmente em práticas ancestrais inspiradas na sabedoria da cultura tradicional. Serão vivenciadas práticas rítmicas, exercícios de memória afetiva e desenvolvimento de corporalidades encontradas na cultura de Ritual do Brasil e CUBA. Ariane Molina é percussionista, cantora , sonoplasta e professora de percussão. Pesquisadora de música de Ritual. Criadora dos projetos "Tambores Femininos de Mbeji" e "Tambor e Cura". Cuiqueira há mais de 15 anos, participou de discos de artistas como Ava Rocha , Jards Macalé, Mateus Aleluia e Alessandra Leão. Débora da Fonseca Souza é professora de percussão, Ogã de Umbanda e fundadora da Escola de Tambores Coração da Mata. Como percussionista concentra seus estudos nos ritmos Afro-Caribenhos e Afro-Brasileiros.

Dias 17, 20 e 22/7; sábado das 10h às 12h, terça e quinta das 19h30 às 21h30.

A partir de 16 anos.

R$ 9,00 (credencial plena) | R$ 15,00 (meia) | R$ 30,00 (inteira)

Inscrições de 8/7, quinta, a partir das 14h, a 15/7, quinta, até 14h, ou enquanto houver vagas.


Encontro de Avaliação

O projeto traz 6 atos em que se discute corpo, presença e tecnologias relacionadas a arte e saúde em diversas culturas. Neste ato realizar um encontro de Avaliação e Publicação de Resultados do projeto. Serão convidados os inscritos de todos os cursos, funcionárias e funcionários do Sesc Consolação e artistas-educadores que participaram do projeto.

Dia 27/7, terça, das 11h às 13h.

A partir de 16 anos.

Atividade destinada aos participantes dos atos anteriores.

Grátis.

2 visualizações0 comentário