Buscar
  • Redação JBA

Série Especial - Viajando no tempo: Zipaquirá e a espetacular Catedral de Sal

Por Paulo Panayotis


São Paulo – SP. Continuamos a viajar por lugares mágicos que eu conheci e gostaria muito de voltar a ver. Viajamos hoje para a obra prima da Colômbia: uma Catedral a centenas de metros de profundidade e que encanta e choca quem a visita pela primeira vez. "Bamo-nos?"


Zipaquirá, Colômbia. Um arrepio toma conta de mim. Os pelos da nuca se crispam. Antes da visão, chega a audição. Ao som de “Jesus a alegria dos homens” (J.S.Bach) descortina-se bem na minha frente a monumental cruz totalmente esculpida em sal! Estou em Zipaquirá, pequeno município a 47 quilômetros de Bogotá, a capital Colombiana.

Arrepio na nuca: quarteto executa Jesus alegria dos Homens

Fundada em 1600, esta pequena cidade guarda um grande tesouro: a surpreendente Catedral de Sal. Foram os índios locais que descobriram a riqueza que o sub solo guardava sob a forma de milhões de toneladas de sal! Até chegar ao coração desta obra gigantesca, é preciso descer dezenas de metros por uma rampa de cerca de 400 metros. O caminho, para mim, leva a uma viagem inusitada.

Caminho multicolorido marca o início da descida

Para atingir o principal altar da catedral passo pelas 14 estações que compõem a Via Sacra (percorridas por Cristo antes de ser crucificado em Israel). A ideia é essa mesmo. Trata-se de uma reprodução da Via Sacra. Enquanto desço, vejo capelas esculpidas em pleno sal que mudam de cor e desembocam em grandes túneis que se espalham em todas as direções. É a Via Crucis na Colômbia!

Jesus carregando a cruz... Uma das estações da Via Crucis

Explico: a catedral, inaugurada em 1995 , foi construída aproveitando uma grande mina de sal. Tornou-se a grande maravilha da Colômbia, visitada por milhares de turistas. Antes de chegar ao fundo do coração salgado desta obra prima do gênero humano, vou sendo instigado. Em vários pontos, o jogo de luz e sombras, misturado a imagens de arcanjos de sal olhando para você , cria um ambiente mágico, místico!

Arcanjo esculpido em sal observa turistas

Um dos pontos que mais me chama a atenção é a reprodução de parte do teto da capela sistina, em Roma, onde o famoso pintor e escultor Michelangelo realizou uma de suas obras primas, o Juízo Final! Parte dela, representada no chão da Catedral de Sal, se destaca. É aquela pintura que você já deve ter visto de Deus tocando, com seu dedo, o dedo de um homem. Chama-se a “ A criação de Adão”.

A criação de Adão colombiana de Michelangelo

Olho para frente em meio a um clima meio sagrado, meio profano. Estou na grande cúpula da Catedral. Bem a minha frente uma monumental cruz de 16 metros de altura domina tudo a sua volta. Obviamente esculpida em sal, chama-se “A Criação do Homem” em homenagem a Michelangelo. Tenho que concordar.

Obra A Criação do Homem, monumental cruz de 16 metros no coração da Catedral

Não sou religioso. Nunca fui. Sou cristão não praticamente. Mas devo admitir que, nas profundezas do solo Colombiano, cercado por aquele ambiente de paz e tranquilidade, pensei seriamente nas frases que compõe a música imortalizada por Johan Sebastian Bach. Aquela que ouvi antes de ver a grande cruz, lembra? Jesus continua sendo minha alegria,

O conforto e a seiva do meu coração

Jesus refreia a minha tristeza

Ele é a força da minha vida

É o deleite e o sol dos meus olhos,

O tesouro e a grande felicidade da minha alma,

Por isso, eu não deixarei ir Jesus

Do meu coração e da minha presença.

Jornalista Paulo Panayotis prestes a descobrir a Catedral de sal

Gostou? Quer mais dicas sobre a Catedral de Sal? Vai lá no www.oquevipelomundo.com.br

O jornalista viajou a convite do Visit Bogotá (http://en.investinbogota.org/)


Fotos: Paulo Panayotis


Paulo Panayotis é jornalista especialista em turismo, mergulhador e fundador do Portal OQVPM - O Que Vi Pelo Mundo. Mora na Europa, tem passaporte carimbado em mais de 50 países e viaja com patrocínio e apoio Avis, Travel Ace e Alitalia.

4 visualizações0 comentário