top of page
Buscar

São Luiz Campinas realiza procedimento inédito na região para tratamento de próstata aumentada

Cirurgia Rezum durou apenas três minutos e o paciente recebeu alta no mesmo dia; técnica abre nova perspectiva à urologia brasileira


Equipe urológica do Hospital São Luiz Campinas com o equipamento Rezum, utilizado para tratar hiperplasia prostática benigna (HPB) (Foto: Divulgação)

O Hospital São Luiz Campinas realizou uma cirurgia inovadora para tratar hiperplasia prostática benigna (HPB), popularmente conhecida como aumento da próstata.


O procedimento chamado Rezum é inédito na região de Campinas e aconteceu no final do mês de junho. Liderado pelos urologistas Dorival Duarte Jr. e André Berger, durou cerca de três minutos.


Na ocasião, o paciente passou também por uma correção de hérnia inguinal, utilizando técnica robótica e recebeu alta poucas horas depois, com boa recuperação.


O Rezum é baseado na cistoscopia (visão endoscópica do canal urinário) e foi trazido dos Estados Unidos, começando a ser usado no Brasil no último ano. A técnica envolve a introdução de vapor d'água fervente, via agulha, para combater o tecido prostático acumulado.


O vapor é aplicado diretamente na região hipertrofiada, causando necrose térmica pontual e resultando em alívio rápido dos sintomas, com mínima agressão ao corpo.


“Nós identificamos os pontos de inchaço da próstata e fazemos uma injeção com água a 107 graus Celsius no local, por meio de um aparelho em forma de pistola. O líquido vaporiza as células doentes, levando à desnaturação e redução gradual do inchaço em até três meses”, explica Dorival Duarte Júnior, urologista e coordenador desta equipe urológica do Hospital São Luiz Campinas, da Rede D’Or.

Todo o processo é feito com sedação leve e sem necessidade de longas internações. “No final, o paciente fica apenas com sonda por uma semana. Além de desobstruir o canal da uretra, a técnica mantém a potência sexual em aproximadamente 100% dos casos”, complementa Duarte Jr.


Dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) apontam que a hiperplasia prostática atinge 85% dos homens após os 40 anos de idade. A doença deve ser tratada com urgência, pois conforme a próstata aumenta de tamanho, pode comprimir a uretra e a bexiga, causando sintomas desconfortáveis na hora de urinar. Entre as principais complicações estão alterações da função da bexiga e dos rins, incluindo, em casos extremos, a perda da função desses órgãos.


O Rezum é comprovadamente eficaz, seguro e transforma o tratamento da hiperplasia prostática em algo prático, rápido e indolor. “É uma mudança de paradigma na urologia. Trata-se de uma excelente alternativa para pacientes que não querem tomar medicação prostática para preservar o sêmen e desejam manter a virilidade, algo ainda considerado tabu entre homens”, ressalta o médico do São Luiz Campinas.


De acordo com o especialista, homens que têm medo de operações, anestesias ou raspagens prostáticas – que podem afetar a ejaculação –, podem ficar tranquilos com o uso dessa tecnologia.


Maior hospital privado do interior paulista, o São Luiz Campinas tem 47 mil metros quadrados de área construída e mais de 50 especialidades disponíveis em urgência, emergência e clínicas, oferecendo um centro urológico de excelência para consultas, exames e cirurgias de última geração, incluindo o Rezum.

Comments


bottom of page