Buscar
  • Redação JBA

Prefeitura de São Paulo amplia rede com mais 124 leitos exclusivos para Covid-19

Capital passa a contar com mais 100 novos leitos de UTI e 24 de enfermaria

Unidade anexa do Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch (M'Boi Mirim) tem 100 leitos (Imagem: Edson Hatakeyama)

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informa que mais 124 leitos exclusivos ao acolhimento e atendimento de pacientes com Covid-19 foram abertos na cidade de São Paulo. São 100 vagas em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 24 de enfermaria, para os casos de baixa complexidade, abertos desde a segunda-feira (1º) na capital. Os novos leitos chegam num momento de agravamento da pandemia.


Com as novas vagas abertas pela área de gestão hospitalar da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a capital passa a ter um total de 1.973 leitos exclusivos Covid-19. As vagas de UTI passaram de 976 para 1.042. Na enfermaria foram abertos 58 novos leitos, passando de 873 para 931.


Antes da Covid-19, a cidade contava com 507 leitos de UTI e, no auge da pandemia, alcançou 1.340 vagas de terapia intensiva. Desde os primeiros casos da doença registrados na capital, Prefeitura e SMS atuam de maneira efetiva na ampliação da capacidade hospitalar.


Os novos leitos serão instalados em quatro hospitais municipais:


- Moyses Deutsch (M’Boi Mirim) - 20 leitos de UTI e 30 de enfermaria

- Carmino Caricchio (Tatuapé) - 10 leitos de UTI e 20 de enfermaria

- Gilson de Cassia Marques de Carvalho (Vila Santa Catarina) - 10 leitos de UTI e 8 de enfermaria

- Tide Setúbal (São Miguel) - 26 leitos de UTI


No domingo (28), a taxa média de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 na rede municipal alcançou 77%, entre os leitos próprios e os contratualizados.


A ocupação chegou a 100% nas UTIs do Hospital Cruz Vermelha e Santa Casa de Santo Amaro, dois hospitais que dispõem de leitos contratualizados pela Prefeitura. O Hospital Santa Marcelina (Itaquera) tinha 97% de ocupação. O HM Carmem Prudente (Cidade Tiradentes) alcançou 100% de ocupação e o HM Brasilândia, 93%. Vale ressaltar que a taxa de ocupação é dinâmica e pode variar ao longo do dia.


Em caso de necessidade, outros leitos de enfermaria poderão ser adaptados para terapia intensa Covid-19, de acordo com a demanda. As unidades destinadas ao atendimento de coronavírus só recebem pacientes referenciados de outras unidades da rede municipal, via central de regulação de vagas do município de São Paulo.


Atualmente, a cidade dispõe de 26 hospitais municipais, sendo oito deles entregues à população durante a pandemia: Brigadeiro, Brasilândia, Bela Vista, Capela do Socorro, Guarapiranga, Sorocabana, Parelheiros e Santo Amaro.


Já o Hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch (M'Boi Mirim) ganhou uma unidade anexa e 100 leitos foram incorporados à operação do hospital, que permanecerão após o fim da pandemia para uso dos moradores da região.

6 visualizações0 comentário