Buscar
  • Redação JBA

Práticas esportivas exigem cuidado redobrado com as mãos

SBCM alerta cautela para iniciantes de atividades físicas; lesões têm recuperação demorada, como casos recentes de atletas

Mãos são bastante vulneráveis às lesões no esporte (Imagem: Divulgação)

Lesionar a mão ou o punho pode implicar em uma longa recuperação, impactando toda a rotina. O lutador de UFC, Derrick Lewis, pode ficar até seis meses afastado após lesionar a mão direita, durante luta que o sagrou vencedor.


Outro atleta que precisará de tempo para se recuperar é o goleiro do Guarani, Lucas Cardoso. Ele está fora das rodadas iniciais do Campeonato Paulista, depois de sofrer uma fratura no quarto metacarpo da mão direita, durante treinamento. O prazo estimado de recuperação é de até seis semanas.


Se as lesões atingem atletas com acompanhamento e preparo, para quem deseja iniciar alguma prática esportiva é preciso redobrar os cuidados. A falta de orientação tem aumentado casos de lesões por exercícios na pandemia, alerta o presidente da SBCM (Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão), Dr. Henrique de Barros Pinto Netto.


“Por possuir várias e pequenas articulações, e apresentar uma grande quantidade de tendões que realizam os movimentos, as mãos são bastante vulneráveis às lesões no esporte. Exercícios feitos de forma inadequada sobrecarregam todas as estruturas do corpo, como ossos, articulações, ligamentos e músculos. Ao iniciar uma prática esportiva, a recomendação é incluir uma rotina de exercícios de fortalecimento, que prepara o organismo para o esforço a que vai ser submetido e, principalmente, ter acompanhamento de um profissional especializado”, fala o médico.


As lesões podem ser traumáticas, decorrentes do impacto, ou por repetição. Um dos tipos mais comuns é a fratura dos ossos do carpo, que atinge diretamente o punho. A articulação do punho é formada pelos chamados ossos do carpo, um conjunto de oito pequenos ossos. “A fratura pode ocorrer em um ou mais desses ossos e ser causada por uma queda sobre o punho estendido, traumas repetitivos ou pela prática intensa de esportes de grande impacto”, explica Dr. Henrique.


Em outro tipo, o chamado “dedo em martelo”, ocorre, geralmente, em esportes que envolvem bola, como basquete, vôlei e handebol. “É provocado pelo impacto, quando a bola vem de encontro ao dedo, causando uma flexão repentina e bastante acentuada na ponta do dedo, o que pode provocar a ruptura do tendão extensor do dedo ou ainda uma fratura”, pontua o médico.


Entre as pessoas que praticam esportes de impacto, como judô e jiu-jitsu, a lesão mais comum é a avulsão do tendão flexor, uma das estruturas mais importantes do dedo e que é responsável pela sua flexão. A lesão acontece quando há uma extensão forçada do dedo durante a contração máxima do músculo flexor.


Quando a mão ou o punho sofre uma lesão traumática, dependendo do caso, é necessário passar por cirurgia. “Caso sinta fortes dores nas articulações do punho e região, a pessoa deve rapidamente procurar um médico especializado para o diagnóstico e a melhor forma de tratamento”, conclui Dr. Henrique.

9 visualizações0 comentário