top of page
Buscar

Pessoas com deficiência intelectual e múltipla podem ser atendidas em 23 Centros Especializados

Desde 2019, mais de 15 mil pessoas com deficiência intelectual passaram por avaliação multiprofissional na rede municipal, que conta com 32 CERs

Imagem: Prefeitura de São Paulo

Durante os dias 21 a 28 de agosto foi celebrada a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, com o objetivo de conscientizar a sociedade para a importância da inclusão das pessoas com essa deficiência e o combate ao preconceito e à discriminação, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) destaca as ações voltadas a esse público.


Na capital, de janeiro de 2019 a julho deste ano, mais de 15 mil pessoas com deficiência intelectual (DI) passaram por avaliação multiprofissional com especialistas em reabilitação intelectual e desenvolvimento. Somente em 2022, até o mês de julho, 3.105 pessoas com DI foram atendidas nos 32 Centros Especializados em Reabilitação (CERs) da rede municipal de saúde.


A deficiência intelectual, também conhecida por DI, é causada pelo atraso no desenvolvimento cognitivo de algumas crianças, que apresentam dificuldade no aprendizado e entendimento, pouca interação com outras pessoas, dificuldade de coordenação e concentração, e incapacidade de realizar atividades simples e adequadas para a faixa etária correspondente. O transtorno pode acontecer em função de diversas situações, desde complicações durante a gestação até alterações genéticas, como as síndromes de Down e de Noonan.


Dos 32 CERs distribuídos pela cidade, que integram a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, 23 dispõem de atendimento a deficiência intelectual e auxiliam os pacientes no processo de reabilitação física e intelectual.


“Os CERs são unidades de fundamental importância para as pessoas com deficiência, que são acolhidas em suas necessidades com o suporte de profissionais de saúde especializados”, destaca a secretária-executiva de Atenção Básica, Especialidades e Vigilância em Saúde, Sandra Sabino.


O acesso a esses serviços se dá a partir do encaminhamento por uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Nos CERs é realizada uma avaliação da equipe multiprofissional, que define o tratamento mais adequado para cada paciente. São promovidas terapias, orientações às famílias e, caso seja necessário, a entrega de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção. Os atendimentos realizados nesses centros contam com uma equipe de trabalho composta por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, assistentes sociais, médicos e enfermeiros.


Cabe destacar, ainda, que 27 CERs têm equipes de acompanhantes da pessoa com deficiência (APD), estratégia diferenciada de cuidado no município. Segundo a coordenadora da Área Técnica da Pessoa com Deficiência da SMS, Sandra Maria Vieira Tristão de Almeida, “a ação visa fornecer suporte para o cuidado em saúde nos diferentes ciclos de vida, bem como ampliação da autonomia e participação social, ajudando a pessoa com deficiência intelectual a exercer as atividades da vida diária nos diversos espaços e serviços de saúde, e do território”. Essas ações são desenvolvidas nos domicílios, na comunidade e em unidades de saúde com periodicidade diversificada (de uma a cinco vezes por semana), de acordo com as necessidades específicas das pessoas atendidas e objetivos do programa terapêutico.


As equipes realizam visitas domiciliares a esses cidadãos, definindo quais projetos terapêuticos podem atender as demandas particulares de cada um, como, por exemplo, conseguir ir até o trabalho sozinho. Além disso, a equipe vincula o paciente a outros serviços de saúde, como Centros de Convivência e Cooperativa (Ceccos), Centros de Atenção Psicossocial (Caps), UBSs, assistência social e educação, entre outros.

Os endereços dos serviços podem ser encontrados por meio da plataforma Busca Saúde.

Comments


bottom of page