Buscar
  • Roberto Maia

Palmeiras que ser bicampeão e São Paulo joga pelo fim do jejum de títulos

Por Roberto Maia


Após 29 anos, Palmeiras e São Paulo voltam a se enfrentar em uma decisão do Campeonato Paulista. A última vez que os rivais decidiram o Paulistão foi em 1992. Na oportunidade, o Tricolor comandado por Telê Santana sagrou-se campeão após derrotar o Verdão nos dois jogos decisivos realizados no Morumbi.


Palmeiras e São Paulo chegaram à final após vencerem Corinthians e Mirassol, respectivamente. O Verdão, que foi campeão em 2020, disputará sua segunda decisão consecutiva, enquanto o Tricolor, que tem a melhor campanha na competição, foi vice-campeão em 2019. O time do Morumbi não conquista a taça do Paulistão desde 2005.


A decisão do título será em dois jogos. O primeiro no Allianz Parque, na quinta-feira, dia 20, e o segundo no estádio do Morumbi, no domingo, dia 23. Ambos os jogos terão a transmissão da TV Globo.


Outra curiosidade envolvendo a final é que nunca o Paulistão foi decidido por dois times comandados por treinadores estrangeiros. O argentino Hernán Crespo (São Paulo) e o português Abel Ferreira (Palmeiras) serão os primeiros e entram para a história da competição. O treinador campeão de 2021 repetira o feito do argentino José Poy, que comandou e levou o São Paulo ao título de 1975.

O clássico paulista entre São Paulo e Palmeiras é considerado um dos mais equilibrados e recebeu o apelido de Choque-Rei.

O clássico paulista entre São Paulo e Palmeiras é considerado um dos mais equilibrados. O confronto recebeu o apelido de Choque-Rei na década de 1940 pelo jornalista Tomaz Mazzoni, do jornal A Gazeta Esportiva.


Rivais ferrenhos desde o primeiro confronto, a disputa ganhou ainda mais importância entre os anos de 1942 e 1950, período em que São Paulo e Palmeiras decidiram os nove títulos paulistas disputados. O Tricolor levou cinco taças (1943, 1945, 1946, 1948 e 1949) e o Verdão quatro (1942, 1944, 1947 e 1950).


A história mostra que o Palmeiras leva a melhor sobre o São Paulo em decisões diretas entre os clubes. O Verdão ficou com as taças disputadas nos Campeonatos Paulistas de 1933, 1942, 1944, 1947, 1950 e 1972; e no Brasileirão de 1973. Já o Tricolor venceu as decisões do Campeonatos Paulistas de 1943, 1971 (as duas em torneio de pontos corridos) e 1992 (em final disputada em dois jogos).

O Paulistão nunca foi decidido por dois times com treinadores estrangeiros; Abel Ferreira e Hernán Crespo são os primeiros. (Fotos: Cesar Greco/Ag. Palmeiras)

Os números mostram o equilíbrio no Choque-Rei. Apesar dos clubes apresentarem contagens diferentes, o resultado entre um e outro não fica muito distante. Segundo o Palmeiras, foram disputados 320 jogos contra o São Paulo, com 110 vitórias são-paulinas e 106 palmeirenses, além de 104 empates. O clássico registra 413 gols do Verdão e 412 do Tricolor. Pelas contas do São Paulo foram disputados 326 jogos entre os clubes, com 110 vitórias do Tricolor contra 109 do Verdão, além de 107 empates. A contagem registra 430 gols do Palmeiras e 428 do São Paulo.


Nos jogos válidos pelo Paulistão o São Paulo leva vantagem. Foram 68 vitórias, 50 empates e 57 derrotas. Em número de gols o Tricolor também está à frente com 248 contra 220 do rival.


Enquanto o Palmeiras tenta alcançar o bicampeonato paulista, o São Paulo busca colocar fim a um incomodo jejum de títulos que já dura oito anos. Entretanto o tabu é ainda maior quando o assunto é vencer um Paulistão. A última taça do estadual foi conquistada há 16 anos.



Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo