top of page
Buscar

Otite de Verão (ouvido de nadador) tem prevenção, sabia?

Dr. Alexandre Colombini, otorrinolaringologista, dá 05 dicas para proteger o ouvido e curtir as praias e piscinas sem dor

Imagem: Freepik

Já ouvir falar sobre ouvido de nadador? Esse apelido é de uma infecção do ouvido chamada de Otite. Só quem tem sabe a dor incômoda que é e isso acontece por causa do excesso de umidade (muitas vezes causada pelos mergulhos de piscina, mar, cachoeira). Infelizmente, esse problema pode trazer consequências ruins se não for tratado adequadamente, e claro, não só para crianças, os adultos estão na lista dos afetados, principalmente nesta época do verão.

Segundo Dr. Alexandre Colombini, otorrinolaringologista, as consultas triplicam a partir de dezembro triplicam em seu consultório quanto nos hospitais que ele atende.

“Os sintomas são diversos, entre eles, as queixas como entupimento, dores constantes, sensação de água no ouvido e surdez temporária. A famosa Otite Externa ou de Verão, que é uma doença causada por bactérias e fungos que geram inflamação ou obstrução e que está diretamente atrelada ao canal responsável por ligar nossa orelha ao tímpano. É uma infecção no canal auditivo externo que pode comprometer a porção mais externa da membrana do tímpano até o pavilhão auricular, comumente chamado de orelha”, explica o especialista.


Colombini ressalta que trata-se de uma inflamação grave devido ao excesso de umidade e também de traumas causados nos ouvidos pelo uso recorrente e errado, por exemplo, de cotonetes. A água, em contato com a cera, gera uma hidratação extra no ouvido, por isso, dá essa sensação de estar cheio de líquido. Quando a pessoa tenta retirar a água, acaba retirando a cera também (proteção do canal auditivo), consequentemente deixar a região exposta para promoção de germes e bactérias. Calma, tem prevenção. Confira a listinha de dicas do Dr. Alexandre Colombini e curta as piscinas e praia:

  • Procure se proteger durante os mergulhos.

  • Use protetores de silicone nas orelhas se possível, principalmente, as pessoas que já tiveram Otite.

  • Não utilize hastes flexíveis (cotonetes) e nem objetos ponte agudos em suas orelhas. Esses objetos retiram grande quantidade a cera do ouvido ( que é a proteção).

  • Não use medicamento ou receitas caseiras, como óleo quente na região. Esses procedimentos prejudicam muito a integridade desse importante órgão, que é o ouvido.

  • Ao sair do banho, enxugue o ouvido com a ponta de uma toalha. Isso evita o excesso de umidade.

“Infelizmente, o brasileiro, muitas vezes, só vai ao médico quando está em estado grave. O ideal é procurar ajuda médica já nos principais sintomas, pois é a melhor maneira de evitar complicações mais sérias”, finaliza o especialista.


Dr. Alexandre Colombini é otorrinolaringologista, formado pelo renomado Instituto Felippu e Membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial – ABORL-CCF. Suas áreas de atuação: Otorrinolaringologia clínica e cirúrgica com enfoque nas patologias nasais, cirurgia endoscópica, ronco e apneia.

Comments


bottom of page