top of page
Buscar

Os Águias da Polícia Militar de São Paulo

Por Coronel Camilo


De repente observamos o trânsito lento e tudo para. Na tentativa de saber o que está acontecendo, escutamos um forte barulho de aeronave e, em segundos, um Águia passa sobre nós e se prepara para o pouso na via, já isolada pelo policiamento local ou de trânsito. Rapidamente os bombeiros, que já tinham realizado os primeiros socorros, estabilizando e imobilizando a vítima, transportam a maca até o helicóptero, que parte em direção a um dos hospitais da cidade. Mais uma vida salva pelo Comando da Aviação da Polícia Militar. Além do resgate aeromédico, pousando nos mais diversos locais, os Águias da Polícia Militar são diariamente utilizados no apoio ao policiamento, identificando, acompanhando infratores e informando às equipes em terra para efetuarem as prisões. Outra atividade é o transporte de órgãos, onde o tempo é fator vital para não se perder a oportunidade da realização de um transplante e salvar uma vida. Muita outras atividades também envolvem as equipes dos Águias, destaco algumas: resgatar pessoas em enchentes; salvar e resgatar pessoas em risco de afogamento, seja levando bombeiros, seja içando as pessoas em cestos próprios; resgatar pessoas em acidentes em matas, trilhas e encostas de difícil acesso; combater incêndio em matas e florestas, entre outras. Recriada em 15 de agosto de 1984, a aviação voltou a fazer parte da Polícia Militar do Estado de São Paulo, desta vez com apenas um helicóptero, modelo Esquilo HB 350B, a primeira aeronave, denominada “Águia Uno”. Naquele momento, o então governador de São Paulo, Professor André Franco Montoro, um estadista, disse com orgulho: “...a partir deste momento os helicópteros estarão sobrevoando São Paulo, no combate a criminalidade…”. E isso virou realidade. Com muita dificuldade, numa área cedida pelo 2º Batalhão de Choque, surgia o Grupamento de Radiopatrulha Aérea. Hoje, 37 anos depois, a importância e a qualidade do serviço prestado, transformou-se no Comando da Aviação da Polícia Militar “João Negrão”, com sede própria no Campo de Marte, mais 10 Bases no Estado e 41 aeronaves, sendo 27 helicópteros e 4 aviões. Recentemente foram adquiridos mais três helicópteros que chegarão até 2023. Estrategicamente distribuída pelo território estadual, a aviação paulista permite que 85% da população esteja a 15 minutos de uma aeronave. Citei recriação, pois a aviação na polícia tem história. Criada oficialmente em 17 de dezembro de 1913, na então Força Pública, teve a Primeira Escola de Aviação Militar no Campo do Guapira, na Zona Norte, tendo Eduardo Pacheco Chaves (Edu Chaves) e Cícero Marques como instrutores. E, continuando na história, “João Negrão” que empresta o prestígio do seu nome ao Comando da Aviação Bandeirante, foi Oficial da Corporação, exímio piloto e um marco na aviação paulista e brasileira, integrou a equipe que, pela primeira vez na história, realizou a travessia do Atlântico a bordo do hidroavião Jahu. Os Águias vieram para ficar, continuarão sempre a cuidar da população, nos mais longínquos rincões do Estado, levando segurança, protegendo e salvando pessoas. Parabéns aos integrantes desse grande Comando, orgulho da população paulista.


Coronel Camilo é secretário-executivo da Polícia Militar. É formado em Administração de empresas pelo Mackenzie, com bacharelado em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul e pós-graduado em Gestão de Tecnologia da Informação pela FIAP e em Gestão de Segurança Pública pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Comentarios


bottom of page