top of page
Buscar

O deputado que em menos de 5 minutos, recebeu 8 bofetões de 8 pessoas

Por Fernando Jorge

Imagem: Divulgação

Na época em que fui diretor da Biblioteca da Assembleia Legislativa de São Paulo, um colega me disse, visivelmente nervoso, agitado:


– Você conhece a minha namorada. Ela também é nossa colega, funcionária aqui da Assembleia, e vai tornar-se minha noiva. Moça bonita. O deputado fulano (citou o nome do parlamentar), agarrou-a, tapou a sua boca, ergueu-lhe a saia e quis violentá-la, mas ela resistiu, escapou das garras desse animal, com escoriações no rosto e a blusa rasgada.


Depois o meu colega, tremendo de ódio, resolveu me confessar:


– Vou vingar-me, esse cretino pagará bem caro.


Eu o aconselhei a ser prudente, tomar cuidado. E o meu colega informou:


– O canalha fica na Assembleia até meia noite, no seu gabinete do quinto andar, quando as luzes já estão apagadas e o corredor totalmente escuro, os outros gabinetes vazios, mas de portas abertas.

Perguntei ao meu colega enfurecido:


– E daí, meu amigo?


Limitou-se a soltar estas palavras:


– Amanhã você vai saber.


Concluído o expediente, voltei para a minha casa, pensando assim: o que vai acontecer?


No dia seguinte obtive a resposta. O deputado cretino, ao sai a meia noite do seu gabinete, no quinto andar, começou a atravessar o corredor escuro. Deu dois passos, a porta de um gabinete se abriu e alguém lhe deu um bofetão. Caiu, levantou-se, deu mais dois ou três passos, a porta de outro gabinete também se abriu e ele ganhou mais um bofetão. Foi esbofeteado oito vezes por oito pessoas, em menos de cinco minutos...


Lembrei-me desse fato ao saber que um deputado da Assembleia onde trabalhei, atreveu-se a agredir sexualmente uma colega, no plenário daquela casa. Vários pensamentos me vieram à cabeça, após saber disso. Perguntei a mim mesmo: como alguém com essa selvageria consegue eleger-se? Comprando votos? Ignorância ou amoralidade dos eleitores? Estamos na época dos parlamentares burros, cretinos, animalescos? Acredito, só o meu querido amigo Ronaldo Cortês seria capaz de me esclarecer, de ter resposta a tais perguntas.


Fernando Jorge é jornalista, escritor, dicionarista e enciclopedista brasileiro. Autor de várias obras biográficas e históricas que lhe renderam alguns prêmios como o Prêmio Jabuti de 1962. É autor do livro “Eu amo os dois”, lançado pela Editora Novo Século.

Comments


bottom of page