Buscar

Novo 208: com motor flex ou elétrico

Por Vito Zanella


A Peugeot acaba de lançar a segunda geração do 208, que chega ao Brasil com motor flex ou elétrico (o 208 e-GT estará disponível só no ano que vem). Fabricado na Argentina, o hatch compacto da marca francesa terá quatro versões de acabamento: Active, Active Pack, Allure e Griffe, com preços que variam de R$ 74.990,00 a R$ 94.990,00 – o 208 e-GT ainda não tem preço definido. Todas as versões são equipadas com o motor 1.6 16V Flex, de 118 cv de potência e 151,8 Nm de torque, sempre associado a uma transmissão automática sequencial de seis marchas.


Com 4.055 mm de comprimento, 1.738 mm de largura, 1.453 mm de altura e entre-eixos de 2.538 mm, o novo 208 traz nova assinatura visual Peugeot na parte inferior e o famoso “olhar felino”, que ressalta pela iluminação com faróis full LED. O desenho do para-choque dianteiro é composto por uma linha única e uma ampla grade integrada, que passa a ostentar o logotipo ao centro. Já o nome do modelo está posicionado na extremidade frontal do capô. A traseira 208 é caracterizada por um acabamento em black piano, que se estende por toda a largura da tampa do porta-malas, unindo as lanternas – também dotadas de elementos luminosos na forma de três “garras”.



O modelo apresenta uma nova geração do Peugeot i-Cockpit, a 3D, com volante Sport Drive, de dimensões reduzidas e base achatada, painel de instrumentos elevado, central multimídia touchscreen de 7 polegadas com Google Android Auto e Apple CarPlay, e a série de teclas de “alternância”, que permitem acesso direto às principais funções do veículo. O novo cluster dispõe de tecnologia holográfica em 3D, para que algumas informações sobre a condução do veículo sejam projetadas em destaque, mais à frente do visor principal. Há ainda a possibilidade de criar e salvar dois modos de visualização, o que permite a personalização do painel àqueles que fazem uso compartilhado do carro. Conta-giros, mídia em reprodução ou detector de fadiga.


Fabricado no Centro de Produção de Palomar, na Argentina, o novo 208 marca a estreia da produção de hatches na plataforma CMP (Common Modular Platform), uma das mais modernas do Groupe PSA. Trata-se de uma plataforma dotada de características que a tornam bastante completa e versátil: Global, porque é produzida em quatro continentes e oito fábricas do Groupe PSA (França, Espanha, Eslováquia, China, Argélia, Marrocos, Argentina e Brasil); Modular, porque adapta suas dimensões para atender às necessidades de diferentes mercados, clientes e modelos em todo o mundo; Multienergia, pois pode ser otimizada para versões térmicas e elétricas na mesma linha de produção.


É ela também a responsável pela introdução de inovações tecnológicas de assistência à direção, segurança e comodidade do Peugeot Driver Assist, que reúne os seguintes sistemas: Alerta de colisão; Frenagem de Emergência; Alerta e correção de mudança de faixa; Alerta de Ultrapassagem de Linha; Auxílio de farol alto; Reconhecimento de placas de velocidade e Carregamento de smartphone wireless.


Peugeot 208 e-GT

Importado da Europa, o 208 e-GT é 100% elétrico. Segundo a Peugeot, o modelo faz de 0 a 100km/h em 8,3 segundos, tem motor com 260 Nm de torque imediatos e 136 cavalos de potência (100 kW). Há três modos de condução disponíveis, e a escolha fica a critério de quem está ao volante, de acordo com a necessidade do momento. O modo “eco” tem como foco a otimização da autonomia; já o “drive” é indicado para garantir o conforto ideal nos deslocamentos do dia a dia, enquanto o “sport” prioriza o desempenho, utilizando-se da potência e torque máximos. O modelo também oferece dois modos de frenagem distintos, selecionados por meio da alavanca de câmbio e com tipologias de regeneração de bateria adaptadas: “moderado”, para sensações semelhantes às de um veículo a combustão, e “aumentado”, para uma desaceleração controlada pelo pedal do acelerador.



O espaço e o volume do porta-malas são idênticos aos da versão a combustão (265 litros), levando em conta que as baterias, com volume de 220 l, encontram-se debaixo do piso do veículo. Já o sistema de suspensão conta com regulagem e soluções técnicas específicas, com repartição de peso otimizada, garantindo desempenho dinâmico genuinamente esportivo. O 208 e-GT pode ser carregado em tomadas convencionais do tipo residenciais ou carregadores rápidos, como os encontrados em estações de recarga. Dependendo no nível de carga e do carregador utilizado, é possível carregar 80% da bateria em apenas 30 minutos.


Para rodar com plena segurança no Brasil, a Engenharia da marca aplicou um pacote de alterações com reforços específicos para as nossas condições topográficas, climáticas e, principalmente, de pavimentação. O pacote inclui a aplicação de chapas metálicas de proteção em toda a região do assoalho e também na área abaixo do cofre. As bandejas de suspensão também ganharam reforços. Os pneus seguem com as mesmas medidas, mas passam a ser do tipo Classe C, mais reforçados.


A Peugeot informa que quem comprar um 208 e-GT receberá um sistema de recarga das baterias da unidade de potência desenvolvido especificamente para recargas em tomadas convencionais, como as encontradas em nossas casas. Este conjunto foi completamente concebido no Brasil, considerando todo o espectro técnico local, como padrão das tomadas, tensão e frequência da rede.


Vito Zanella é jornalista e já passou pela redação de diversos jornais de São Paulo. Atua como editor de algumas revistas e jornais especializados em automóveis, como Hot Motors, Autos & Afins (do MetroNews), Jornal Farol Autos e Bus Magazine, entre outros.

7 visualizações

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br