top of page
Buscar

Neymar e a Seleção Brasileira: uma jornada de altos e baixos

Por Roberto Maia


Neymar, inegavelmente um dos jogadores mais talentosos da história do futebol brasileiro, trilhou uma trajetória repleta de altos e baixos ao vestir a amarelinha da Seleção Brasileira. Embora tenha conquistado a admiração de muitos, sua jornada na equipe nacional nem sempre refletiu as expectativas depositadas sobre seus ombros, especialmente durante suas participações em Copas do Mundo.

Embora colecione recordes com a Seleção Brasileira, Neymar participou de três Copas do Mundo sem conquistar nenhuma. O sonho de ser eleito o melhor jogador do planeta também está cada vez mais distante (Foto: Vitor Silva/CBF)

A história de Neymar na Seleção Brasileira foi marcada por alguns momentos negativos. E o mais recente aconteceu na Arena Pantanal, em Cuiabá, em jogo contra a Venezuela válido pelas Eliminatórias Sul-Americanas, quando torcedores jogaram pipoca nele. Independentemente da opinião de cada um, o episódio mostrou que o jogador sempre desperta emoções fortes nos torcedores. Afinal, todos sabemos do seu potencial.


Sua estreia na Seleção ocorreu em 2010, aos 18 anos, em um amistoso contra os Estados Unidos. Naquele momento emblemático, Neymar entrou no segundo tempo e marcou um gol, contribuindo para a vitória da equipe por 2 a 1. A partir desse momento, ele se tornou um dos principais nomes do time, solidificando sua posição como um talento indiscutível.


Entre as conquistas marcantes de Neymar na Seleção estão a Copa das Confederações de 2013 e a Copa América de 2019. No entanto, sua jornada tem sido marcada por momento, turbulentos, evidenciados de maneira dramática em alguns momentos críticos.


Um destes episódios ocorreu na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, onde Neymar marcou quatro gols na campanha da equipe, mas teve sua participação abruptamente interrompida por uma lesão durante o jogo contra a Colômbia. Contusão que o obrigou a deixar o torneio e, posteriormente, a equipe nacional foi chocantemente derrotada pela Alemanha na semifinal, resultando em um marcante 7 a 1 que permanece na memória como o maior vexame do futebol brasileiro. A pergunta que persiste é se a história teria sido diferente com Neymar em campo.

O futuro da carreira de Neymar é incerto. O jogador é alvo de críticas por sua falta de comprometimento e pela frequente participação em baladas e festas (Foto: Vitor Silva/CBF)

Em 2019, a Copa América proporcionou uma oportunidade de redenção para Neymar. Neste torneio, ele não apenas ajudou a Seleção Brasileira a conquistar o título, mas também se tornou o maior artilheiro da equipe em Copas Américas. Esse sucesso evidenciou sua capacidade de liderar o time e contribuir com seu brilhantismo.


Neymar ainda tem muito futebol pela frente e é possível que ainda conquiste grandes títulos com a Seleção Brasileira. Ele tem 30 anos, está boa forma física e iniciando uma nova fase em sua carreia jogando na Arábia Saudita pelo Al-Hilal.


No entanto, o futuro da carreira de Neymar é incerto. Ele tem sido alvo de críticas por sua falta de comprometimento e por frequentar muitas festas e baladas mundo afora.




Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.



Comentários


bottom of page