Buscar
  • Redação JBA

Mirantes em São Paulo: conheça a cidade de outro ângulo

São Paulo é caracterizada por uma incrível diversidade, e isso não é diferente em relação à sua topografia e paisagem urbana. Vales, colinas, serras, picos, parques, rios, viadutos, bairros exclusivamente de casas e áreas ocupadas quase que integralmente por prédios garantem à cidade uma configuração única, que revela vistas surpreendentes dependendo de onde se está. Em muitos casos, uma pequena mudança de local ou de direção do olhar descortina um panorama absolutamente diferente.


Vista de cima, a cidade apresenta diferentes personalidades dependendo do horário: desvendada e humanizada pela luz do dia, que permite um alcance maior da imensidão paulistana e ressalta detalhes arquitetônicos, áreas verdes e o cotidiano das ruas; com o romantismo do cenário urbano protagoniza - do pelo sol em vistas de tirar o fôlego durante o amanhecer e o pôr-do-sol; ou, ainda, com o típico mistério e glamour da noite que traz o impacto de se ver todas as luzes de uma das maiores metrópoles do mundo.


Surpreenda-se com as diversas faces da cidade a partir das sugestões de mirantes para conhecer!

1. Edifício Altino Arantes (Farol Santander)

O Edifício Altino Arantes foi, desde sua inauguração em 1947 até o ano de 1953, o edifício mais alto do mundo fora dos Estados Unidos. Com seus 161 metros de altura e formato “bolo de noiva”, é um dos símbolos de São Paulo, podendo ser visto a partir de diversos pontos da cidade. O mirante no topo do edifício oferece uma vista panorâmica de 360° e é aberto à visitação do público gratuitamente. Dele avista-se em primeiro plano o centro antigo de São Paulo, incluindo grandes símbolos da cultura paulistana, como a Catedral da Sé, o Mosteiro de São Bento, o Mercado Municipal, o Viaduto Santa Ifigênia e o Catavento Cultural (localizado no Palácio das Indústrias).

Onde: R. João Brícola, 24 Centro


2. Parque Estadual da Cantareira – Núcleo Pedra Grande

No Núcleo Pedra Grande do Parque Estadual da Cantareira está um dos mais surpreendentes mirantes da cidade. Trata-se de uma formação rochosa de granito de onde se tem uma visão panorâmica da metrópole paulista. Observar a imponente São Paulo a partir de uma das maiores áreas de reserva florestal do mundo situada em área urbana – o Parque Estadual da Cantareira – é uma experiência única. Durante a visita ao Núcleo, tem-se um contato muito próximo com a Mata Atlântica, sua fauna e flora, seus sons, cheiros e cores. Os atrativos são variados e tornam a visita uma excelente opção para finais de semana e feriados. Do mirante da Pedra Grande é possível, em dias claros, avistar a Serra do Mar.

Onde: R. do Horto, 1.799

3. Viaduto do Chá

O primeiro Viaduto do Chá, inaugurado em 1892, contribuiu para a expansão do centro para além do Vale do Anhangabaú, região que antes era apenas uma chá - cara onde se cultivava chá e agrião. Em 1938, derrubou-se o antigo viaduto e em seu lugar foi construído o atual, estilo Art-Déco. A passagem sobre o Viaduto oferece duas belas vistas. De um dos lados, pode-se observar o Vale do Anhangabaú, com o Viaduto Santa Ifigênia e o edifício Mirante do Vale – o mais alto da cidade – ao fundo e, do lado esquerdo, o Theatro Municipal. Do outro lado, avista-se a Praça da Bandeira, emoldurada do lado esquerdo pelo Edifício Matarazzo – sede da Prefeitura da cidade – e do lado direito pelo Edifício Alexandre Mackenzie (Shopping Light).

4. Shopping Cidade Jardim

Este centro comercial de alto luxo possui um terraço que revela a modernidade do mais impressionante eixo de desenvolvimento recente da cidade. Com vários dos mais recentes grandes edifícios comerciais do país, essa região da Marginal Pinheiros destaca-se pela contemporaneidade de impactantes edifícios espelhados ao redor do Rio Pinheiros, coroados pela inovadora Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira. Este cenário é ilustrativo da força econômica da cidade e é uma das caras da São Paulo do novo século. O terraço do Shopping Cidade Jardim também abriga restaurantes com vista panorâmica

Onde: Av. Magalhães de Castro, 12.000

5. Edifício Copan

O Edifício Copan, com sua inconfundível forma em “S”, é um dos principais cartões postais da cidade. Projetado na década de 1950 pelo grande expoente da arquitetura moderna brasileira, Oscar Niemeyer, com a colaboração do arquiteto Carlos Lemos, foi inaugurado em 1966. Da cobertura do prédio tem-se uma impactante vista da urbanidade da região central da cidade. Alguns dos atrativos que podem ser vistos da cobertura do Copan: o Edifício Itália, o prédio do antigo Hotel Hilton, a Igreja da Consolação, a Marginal Tietê e a Avenida Paulista, facilmente reconhecível por suas antenas.

Onde: Av. Ipiranga, 200

6. Viaduto Dr. Arnaldo

Localizado, assim como a Avenida Paulista, em uma das áreas mais altas da cidade, o Viaduto Doutor Arnaldo passa por cima do Córrego da Água Branca, atualmente canalizado. Do alto do viaduto, os dois lados oferecem vistas interessantes: uma voltada ao bairro de Pinheiros, em que se destaca a característica topográfica da cidade em 3 diferentes níveis, além da Igreja do Calvário; a outra escancara a diversidade de paisagens paulistanas, com a clara delimitação de áreas ocupadas por casas ou prédios e a Serra da Cantareira ao fundo do vale.

7. Edifício Itália

Considerado o segundo maior edifício da cidade, com 46 andares distribuídos em 165 metros de altura, o Edifício Itália foi projetado pelo arquiteto alemão Franz Heep e inaugurado em 1965. No topo do prédio encontra-se um dos mais tradicionais restaurantes da cidade, o “Terraço Itália”, com uma linda vista panorâmica. Mas também é possível apreciar a paisagem urbana paulistana em toda sua grandiosidade a partir do alto do Itália gratuitamente durante a semana. Você poderá ver diversos pontos e vias conhecidas da cidade, entre os quais o Edifício Altino Arantes, a Serra da Cantareira, o Elevado Costa e Silva e a clássica vista do Copan com a Avenida Paulista ao fundo.

Onde: Av. Ipiranga, 344 - 41º Andar

8. Parque Estadual do Jaraguá - Pico do Jaraguá

Criado em 1961, o Parque Estadual do Jaraguá é parte do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo, uma reserva de Mata Atlântica declarada patrimônio natural da humanidade pela Unesco em 1994. Conhecido por ser o ponto mais alto da região metropolitana, o pico chega aos 1.135 metros de altitude e conta com mirantes que permitem diferentes perspectivas. O mais alto deles, acessível somente após subir uma escadaria, revela um panorama grandioso que combina a metrópole à natureza exuberante em 360º de uma amplitude até onde a vista pode alcançar. Para se chegar até os mirantes, é possível usar o carro ou passar por trilhas em que se pode observar, além de lagos e nascentes, animais silvestres em seu habitat natural.

Onde: R. Antônio Cardoso Nogueira, 539 (Acesso pela Rodovia Anhanguera, Km 18)

9. Jockey Club de São Paulo

O Jockey Club de São Paulo teve sua primeira corrida em 1876 no antigo Hipódromo da Mooca. Somente 65 anos mais tarde foi inaugurado o presente Hipódromo Cidade Jardim, que atual - mente aloja cerca de 2 mil animais puro-sangue inglês de corrida. Apresenta espetáculos de corridas durante o dia e à noite conta com serviços de bar e terraço panorâmico, de onde se pode ver as pistas com o charmoso horizonte da Marginal Pinheiros e seu skyline ao fundo.

Onde: Av. Lineu de Paula Machado, 1.263

10. Edifício Martinelli

Antes de o edifício Altino Arantes ser considerado o mais alto do mundo fora dos Estados Unidos, o Martinelli já havia sustentado este título por alguns anos – de 1929 a 1936. Sua construção foi um grande acontecimento na São Paulo daquela época. O comendador italiano Giuseppe Martinelli, empreendedor da obra, concluiu sua meta de 30 andares construindo sua própria mansão no topo do prédio. Do terraço tem-se outra visão do centro antigo e outros atrativos da cidade, com destaques como a Serra da Cantareira e o Vale do Anhangabaú, coroados pela majestosa presença do Edifício Altino Arantes em frente.

Onde: Av. São João, 35

11. Praça do Pôr-do-Sol

O nome pelo qual a Praça Coronel Custódio Fernandes, localizada no Alto de Pinheiros, é popularmente conhecido já diz tudo: este é o endereço certo para quem deseja apreciar um belíssimo pôr-do-sol na cidade. Um passeio pela praça oferece uma vista privilegiada de São Paulo, diferente daquela que habita o imaginário coletivo. Uma concentração não tão grande de edifícios e muito verde. Os bairros que rodeiam o local e a Cidade Universitária, do outro lado do Rio Pinheiros, compõem parte do cenário. Alguns edifícios ganham destaque no horizonte, entre os quais o inconfundível prédio do Complexo Ohtake Cultural, projetado pelo arquiteto Ruy Ohtake.

Onde: Entre a R. Desembargador Ferreira França e a R. dos Macunis

12. Vão livre do Masp

Localizado na Avenida Paulista, uma das áreas mais altas da cidade, o terreno outrora ocupado pelo antigo Belvedere Trianon (“belvedere” significa “bela vista” em italiano), demolido na década de 1950, foi doado à municipalidade com a condição de que a visão para o centro da cidade, bem como para a Serra da Cantareira, fosse preservada. Assim, para que a nova sede do MASP (Museu da Arte de São Paulo) fosse instalada, a arquiteta italiana Lina Bo Bardi idealizou um edifício sustentado por quatro pilares, dessa forma permitindo que a condição de manutenção da vista fosse atendida. Esta vista chama a atenção principalmente pela presença de diferentes níveis topográficos, cuja ligação foi possível por meio de túneis e viadutos, passando a impressão de que a cidade e sua vida urbana acontecem em diferentes andares tal como num edifício. Vê-se abaixo a Avenida Nove de Julho, aberta no vale do córrego Saracura, hoje canalizado. O MASP possui a mais importante coleção do hemisfério sul, contando com diversas obras de grandes mestres da arte ocidental, como Rafael, Botticceli, Goya, Velazquez, Renoir, Monet, Rembrandt, Van Gogh, William Turner, Picasso e muitos outros.

Onde: Av. Paulista, 1578

5 visualizações0 comentário