top of page
Buscar

Jornadas Fantásticas: Chile - Uísque 12 anos com gelo de milhares de anos? Só na Patagônia chilena!

Por Paulo Panayotis


Glacear San Rafael - Patagônia - Chile. Tal qual um foguete sob as geladas águas do lago San Rafael, o catamarã desliza como se estivesse voando. É minha primeira vez na tão sonhada Patagônia chilena e, de saída, rezo para que não seja última. São 125 milhas náuticas, algo como 230 quilômetros, até chegar à geleira San Rafael partindo de Puerto Chacabuco, onde estou hospedado. Estamos navegando por um dos maiores fiordes da região. Em todo mundo, há outros três lugares onde eles, os fiordes, existem: na Escócia, na Noruega e no Canadá. Já estive em todos, menos nos do Chile. Amigo, garanto: para mim, são os mais impressionantes de todos pela quantidade de fiordes menores que surgem curva após curva. Um gigantesco e interminável emaranhado de pequenos fiordes que acabam desaguando no principal. Por mais que eu tente descrever, só vendo de perto para entender. Fiorde é uma grande entrada de mar entre altas montanhas rochosas, originada por erosão causada pelo gelo de um antigo glaciar (geleira).

Catamarã do hotel Loberías del Sur: um foguete sob as águas

Andei com um catamarã parecido pelas ilhas gregas, mas, honestamente, não imaginava que existisse um tão rápido, moderno e confortável na Patagônia! Durante o percurso, a natureza bruta, selvagem, intocada, se revela em todas as suas cores: pássaros, lobos marinhos e até uma foca leopardo nos observam seguindo o curso da inesperada e explosiva vida local. É fevereiro, auge do verão no hemisfério sul e a vida tem pressa. Nós também! Ao longe vejo se aproximar a magistral geleira que está lá há milhares de anos.

Barcos infláveis Zodiac chegam bem perto da geleira: emoção!

Com segurança e profissionalismo, a tripulação vai chamando os boquiabertos passageiros para embarcarem em barcos infláveis de borracha - zodiacs - para se aproximar o máximo possível desta massa de gelo que desperta curiosidade e temor. Por causa do aquecimento global, a geleira recuou mais de 500 metros nos últimos 33 anos. Mesmo assim, impressiona pelas dimensões e beleza. São mais de 1376 metros de altura e 300 metros de espessura. O silêncio gelado do lago só é interrompido pelas exclamações dos turistas quando uma grande massa de gelo se desprende, vez por outra, e mergulha nas águas cristalinas provocando ondas gigantescas. Por conta disso, os botes de borracha ficam a seguros 500 metros de distância.

A cerca de 500 metros de distância: gigantesca

Mesmo com o derretimento constante, a grandiosidade da geleira é impactante. Durante todo o percurso comidinhas e informações são distribuídas sem estresse. E até mesmo dentro dos botes de borracha, um guia explica como esses “glaciares” ou geleiras em português, se formaram e qual a importância deles para o complexo ecossistema mundial. Nada professoral, nada chato! Uma aula prática, viva, deliciosa!

Raríssima foca leopardo descansa sob o gelo

O passeio faz parte de um pacote oferecido pelo hotel Loberías del Sur, o melhor da região. Mas não se preocupe: não quer ficar hospedado lá? Sem problemas. Basta reservar e chegar na hora marcada ao hotel. De lá, modernas vans levam todos ao catamarã, hóspedes ou não. Eu, honestamente, recomendo ficar no hotel até porque ao retornar, após um dia inteiro de navegação, você vai querer tomar um pisco sour ou um belo vinho para relembrar as aventuras vívidas e se atirar em uma cama bem quentinha!

Uísque doze anos com gelo de milhares de anos

Ah, e um detalhe que eu adorei: quando você retorna para o catamarã, depois de ter chegado bem pertinho da geleira, pode escolher entre um bom chocolate quente para aquecer os ossos ou, como eu fiz, um uísque 12 anos servido com gelo milenarmente cristalino, que acabou de ser levado para bordo. É de aquecer o espírito ou não? Uma experiência que, seguramente, marcará sua vida. Ou como dizia o personagem mitológico Ícaro: o importante não é o destino, o ponto de chegada, mas a viagem que, ao longo do percurso, lhe transforma sem você perceber.

Jornalistas Paulo Panayotis e Jaime Borquez brindam com gelo milenar

Jornalista se hospedou e fez os passeios a convite do hotel Loberías Del Sur com chip A Casa do Chip e seguro de viagem Universal Assistance.


Fotos: Paulo Panayotis


Paulo Panayotis é jornalista profissional, ex-correspondente internacional de Tv, escritor e viaja com patrocínio e apoio Avis e Universal Assistance.


Commentaires


bottom of page