top of page
Buscar

Fredi Jon - o cantador de histórias

Olá amigos, eu sou o seresteiro Fredi Jon e ao longo de minha trajetória musical, frente ao Grupo Serenata & Cia, temos muitas historias emocionantes pra contar, uma delas é esta aqui revelando o poder da música em resgatar memórias e grandes histórias.

Foto: Divulgação

Surpresa Inesquecível


O mês de dezembro é um mês super corrido para a trupe da serenata, e foi justamente num fim de tarde de um domingo do mês de dezembro que recebemos a ligação do Senhor Augusto.


Augusto, um senhor de 85 anos, queria fazer uma homenagem para o grande amor da sua vida, contou estar casado há 60 anos com Matilde, sua primeira e única namorada, ele pediu as músicas que tocavam na década de 50 quando se conheceram, falou que queria tudo do bom e do melhor para homenagear sua amada. E assim ficou tudo acertado, Fredi Jon em quarteto faria a homenagem para Dona Matilde na semana seguinte, com direito a buque de rosas e tudo.


Na data marcada lá foram nossos músicos para o endereço dado pelo contratante, no meio do caminho o flautista que havia ido em seu próprio carro liga meio confuso.


— Alô Fredão…


— Fala meu querido.


— Então, eu já cheguei no local, e acho que tem alguma coisa errada.


— Espera aí que já tô chegando também.


Assim que virou a esquina, Fredi vê o flautista parado na frente de um asilo, os músicos ficaram um pouco confusos, já que no primeiro contato o contratante disse que a homenagem seria na casa deles. Fredi já ia ligar para ele, mas eis que surge o senhor Augusto vindo de dentro do asilo, ele estava todo animado, abriu os portões colocando os músicos para dentro, foi logo pegando o buque e dando as coordenadas. Pediu para que já entrassem cantando porque ela estava sentada na sala e assim fizeram nossos músicos.


As enfermeiras paradas no corredor olhavam tudo com curiosidade com seus respectivos celulares apontados para a trupe, e lá estava a senhora Matilde, sentada em uma poltrona confortável, totalmente alheia a tudo. Os músicos começaram a tocar, e foi no meio da primeira música que algo realmente surpreendente aconteceu: o senhor Augusto entrou com as flores e carinhosamente começou a chamar por sua “Tidinha", a mulher devagarzinho foi abrindo os olhos e de repente deu um enorme sorriso e disse:


— Gostinho, você veio me buscar?!


Os dois idosos se abraçaram longamente e começaram a dançar e no corredor começou um chororô danado. No final da serenata tudo foi esclarecido, Dona Matilde sofre de Alzheimer, e não reconhece mais o marido, o Senhor Augusto resolveu se mudar para um asilo com a esposa para poder dar uma melhor qualidade de vida para ela, e em 10 anos morando lá essa foi a primeira vez que a senhora reconheceu o marido.


Pois é gente, a música faz milagres.


Texto de Fernanda Morena – Confira no site www.serenataecia.com.br outras histórias emocionantes na aba Minuto Serenata

Comments


bottom of page