top of page
Buscar

Fome de carinho, de amor

Por Fernando Jorge

Crédito: Freepik

O escritor Josué de Castro é autor de um livro que ficou famoso, intitulado Geografia da fome, mas nesse livro ele não analisa a fome de carinho, de amor. Esta se apodera de certas almas delicadas e faz sofrer, sentirem-se completamente sozinhas no mundo.


A solidão, já disse isto, é um infinito deserto de areias frias, deserto sem sol, gelado.


Conheci, ao longo da minha vida, pessoas que quiseram amar e não conseguiram. Isolaram-se na torre da senhora Tristeza. Ah, o drama desses corações sedentos de afeto, de carinho, e que só encontraram a frieza, a indiferença!

Conheci uma senhora de cabelos brancos que me confessou:


– Sempre quis amar alguém que me compreendesse e nunca encontrei essa pessoa, mas em sonhos ela aparece. Sim, coisa estranha, há anos sonho com um rapaz que nunca vi na minha vida. Ele é meigo e acaricia o meu rosto, os meus cabelos, murmura diante de mim palavras cheias de ternura, e eu, nesses sonhos, choro de felicidade...


Perguntei a essa senhora de cabelos brancos que não se casou, permaneceu solteira, sem nunca se unir a um homem:


– Tem certeza, jamais viu na sua vida esse rapaz dos seus sonhos?


Ela garantiu, nunca, e então expliquei:


– O rapaz dos seus sonhos repetidos é um espírito, uma alma que Deus lhe envia para saciar a sua fome de carinho, de amor.


A senhora de cabelos brancos, encostando a sua cabeça no meu ombro, começou a chorar...



Fernando Jorge é jornalista, escritor, dicionarista e enciclopedista brasileiro. Autor de várias obras biográficas e históricas que lhe renderam alguns prêmios como o Prêmio Jabuti de 1962. É autor do livro “Eu amo os dois”, lançado pela Editora Novo Século.

Comments


bottom of page