Buscar
  • Cloves Reis

Exposição "Recortes da cidade" apresenta obras inéditas assinadas pelos artistas de rua

Mais de 15 trabalhos expressam vivências e realidades da cidade em telas de grandes dimensões no espaço de 200m2


Por Cloves Reis

Exposição Recortes da Cidade (Imagem: Dionísio Ag)

O Shopping Cidade São Paulo abre novamente espaço para a arte de rua, expressão que representa de forma potente parte importante da cultura viva na cidade de São Paulo. Em cartaz a partir de 11 de fevereiro, a exposição Recortes da Cidade revela em mais de 15 artes (12 telas inéditas), o trabalho de quatro artistas que se destacam na arte urbana da cidade com seus estilos distintos: Autops, Kuêio, Paulo Ito e Rotka.


Instalada no quarto andar do mall, a mostra chega como um diálogo entre os quatro cantos de São Paulo, representados pela ocupação das obras dos grafiteiros de vivências tão singulares, além de uma collab entre eles e outras intervenções artísticas que retratam a diversidade criativa do graffiti.


As obras dos artistas trazem à tona temas de incansável discussão desde as relações sociais e interpessoais e situações cotidianas das grandes cidades. Os trabalhos trazem linguagens particulares em estéticas mais minimalistas, cômicas e até mesmo futuristas.


Com curadoria e produção da agência especializada em artes Dionisio.Ag, as pinturas foram desenvolvidas exclusivamente para que a experiência única valorize o talento, luta e individualidade de casa artista, trazendo reflexões ao público sobre aspectos sociais e culturais.


A exposição que fica em cartaz até 14 de março, segue todas as normas de segurança e saúde, contará com surpresas tecnológicas, a serem divulgadas em breve, nas redes sociais, telão de led do shopping, e conta com o apoio de VMAPPING Produções Visuais, Giro 18 Comunicações, VIDRO, DonkeyFrame, RG produções e Ateliê Uiê.


Confira abaixo mais informações sobre os artistas:

Autops

Theodoro 'Autops' é um artista brasileiro, de São Paulo, conhecido por sua trajetória na cena do Graffiti paulistano. No decorrer dos anos, encontrou um significado maior dentro de suas produções em telas, além dos muros da cidade, desenvolvendo uma linguagem marcante para expressar suas ideias referentes às relações sociais, interpessoais e psicológicas do ser humano. Seu conceito é baseado em temas profundos e existenciais através de uma estética minimalista, sem cores, onde as composições falam por si só, remetendo à um universo nostálgico com caráter de cartoon retrô. As obras convidam o espectador a mergulhar em um universo emocional que, apesar de preto e branco, são recheados de humor, sátiras e metáforas nas quais Theodoro transmite um questionamento existencial contemporâneo.

Kueio

Kueio tem 33 anos e é residente em São Paulo/SP. Artista visual, ilustrador e grafiteiro, teve suas primeiras experiências com o Graffiti em 1999, possuindo uma forte influência dos primeiros grafiteiros da Zona Norte de São Paulo. Na década de 2010, emergiu completamente na cultura Hip-Hop e no universo da pichação, praticando freneticamente “a arte proibida” e se envolvendo com pichadores de São Paulo e Minas Gerais. Foi nesta época que encontrou sua identidade como artista, “o sentido” que o fez trabalhar em suas obras autorais. A partir de então, através de um estilo baseado no cartoon, Kueio apresenta cenas cômicas e personalidades do universo urbano que, de alguma forma, se encontram durante a concepção do Graffiti e da pichação, seja representando a própria ação de “pichar” e seus bastidores, ou mesmo registrando “instantes urbanos” captados sob o olhar do artista.

Paulo Ito

Paulo Ito nasceu em São Paulo, em 1978. Seus trabalhos normalmente são estruturados a partir de críticas à sociedade contemporânea que surgem na forma de intervenções nos muros e paredes da capital paulista. No dia a dia, as obras podem até passar despercebidas, mas basta que o olhar do espectador pouse no Grafitti para que o “tapa na cara” seja dado. Pelo menos essa é a intenção do artista. Dezenas de desenhos recheados de protesto atentam para a miséria, violência contra a mulher e para situações do cotidiano das periferias. Assim como boa parte dos artistas de rua, Paulo Ito prefere os muros ao cárcere de um museu, usa a tinta como meio para propagar suas reflexões e revoltas, e se utiliza da figura de pessoas criando diálogos e frases que enriquecem ainda mais a reflexão do público.

Rotka

Rotka é um artista autodidata e grafiteiro chileno que, desde sua adolescência, percorre as ruas de Santiago, no seu país natal, colorindo muros e mergulhando fundo no universo do “artivismo”. Suas obras buscam construir expressões políticas através de letras em formato geométrico e texturas futuristas, contrastando cores rítmicas com a solidez do aço e a poética da robótica. Idealizador do “Meeting Bajos de Mena” (projeto anual que acontece no Chile e reúne mais de 600 artistas profissionais do mundo todo), ele já participou de diversas mostras e exposições por toda a América Latina. A pesquisa de Rotka permeia uma atmosfera envolvente e o interesse pelo domínio da inteligência artificial nos seres humanos, com uma estética trabalhada através de tons vibrantes que “dançam” dentro da geometria maciça de suas letras.

Recortes da Cidade

De 11 de fevereiro a 14 de março de 2021

Shopping Cidade São Paulo, 4ºAndar

Av. Paulista, 1230 - Bela Vista, São Paulo

Segunda à sábado, das 10h às 22h, domingos e feriados das 14h às 20h

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo