top of page
Buscar

“Durante três noites de lua cheia, devo passar três vezes por cima do meu marido...”

Por Fernando Jorge

Crédito: Ganapathy Kumar / Unsplash

Recebi a mensagem de uma leitora, texto bem escrito, no qual ela diz:


“Após ler o seu romance autobiográfico Eu amo os dois, lançado pela editora Novo Século, livro que prendeu a minha atenção do começo até o fim, cheguei a esta firme conclusão, o senhor é bem diferente do meu marido, o seu oposto.”


Li, surpreso, a afirmativa da minha leitora e em seguida ela acrescenta:

“Explico por que o senhor é o oposto dele. O meu marido é moleirão, uma pamonha, não tem nenhuma energia, e o escritor Fernando Jorge tem energia de sobra, pois conforme narra no seu romance autobiográfico Eu amo os dois, largou firmemente a sua namorada, depois de descobrir que ela estava também namorando com um primo”.


Li sempre surpreso o texto da minha leitora e sobretudo esta confissão:

“Quero mudar no meu marido, obrigá-lo a ter energia, a deixar de ser um banana. Consultei uma benzedeira e ela me aconselhou a fazer isto, durante três noites de lua cheia, quando o meu marido estiver dormindo, devo passar três vezes por cima dele, e se o meu marido acordar, dizer que eu estava sonhando...”


A minha leitora pergunta se agir assim, o seu marido mudará, transformando-se num homem enérgico, resoluto, decidido. Dou a resposta, não acredito, proceder dessa maneira parece loucura... Mas dou um conselho a ela, vá à presença de um psiquiatra e exponha tudo a ele. Indague ao especialista como deve proceder com o seu marido. Desconfio que ele é abúlico, vítima da abulia, um distúrbio que tira do abúlico toda energia, toda capacidade de agir, de tomar qualquer decisão.



Fernando Jorge é jornalista, escritor, dicionarista e enciclopedista brasileiro. Autor de várias obras biográficas e históricas que lhe renderam alguns prêmios como o Prêmio Jabuti de 1962. É autor do livro “Eu amo os dois”, lançado pela Editora Novo Século.

Comments


bottom of page