Buscar
  • Redação JBA

Drogas, vigilância constante

Por Coronel Camilo


Sabemos das graves consequências do uso das drogas, incluindo o álcool, para a saúde e para a convivência sadia entre as pessoas. Sabemos também que a melhor forma de evitar esse uso é começar com orientações dentro de casa, com nossos filhos e nossas famílias. Apesar de amplamente debatido, o tema merece destaque entre as crianças e adolescentes em processo de formação. No último dia 20, comemoramos o Dia Nacional de Combate às Drogas e Alcoolismo.

Os professores também têm papel fundamental nesta questão já que, habitualmente, trabalham na conscientização do jovem, passando valores éticos e morais. Da mesma forma, os policiais militares também desenvolvem um papel de grande valor na nossa sociedade, por meio do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, o conhecido PROERD. Em duplas, os PMs vão às salas de aula ministrar palestras aos jovens os alertando sobre os riscos do uso das drogas e como ela funciona como um verdadeiro caminho sem volta.

Com início em 1993, o PROERD teve a implantação da primeira turma de instrutores formados na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), contando com integrantes até mesmo da polícia carioca. O foco desta medida é justamente a prevenção, com aulas, rodas de conversas e até brincadeiras para os mais novos com casos que remetem ao tema. Ao fim do período, as crianças recebem um certificado das mãos dos policiais, que ministram as aulas fardados, aproximando mais a polícia dos jovens.

São quase 30 anos de uma bela atividade em prol da nossa sociedade. Ensinando crianças a conhecer e resistir aos malefícios causados pelos entorpecentes, tirando jovens – muitos até já adultos – do caminho errado que os leva, muitas vezes ao crack e outras drogas. São quase 30 anos salvando vidas, muitas vidas.

Posso falar com satisfação que os policiais merecem os parabéns por mais essa frente de atuação. Acompanhei de perto, como Comandante-Geral, esse grande trabalho. É uma tarefa importante e necessária para construir um futuro melhor por meio do Proerd. Normalmente, a melhor faixa etária para se trabalhar a questão é até os 12 anos, idade em que geralmente ainda não houve contato com a droga e o sucesso da atividade de prevenção primária é predominante.

Além dos professores, que ficam grande parte do tempo nas classes e conseguem passar e internalizar valores morais e de cidadania, o apoio da família é fundamental e soma-se a tudo isso. Sem internalização de valores, conceitos básicos de cidadania, ordem, moralidade, respeito, o indivíduo fica sem rumo e, muitas vezes, parte para o crime. É assim que se forma o cidadão do futuro.


Coronel Camilo é secretário-executivo da Polícia Militar. É formado em Administração de empresas pelo Mackenzie, com bacharelado em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul e pós-graduado em Gestão de Tecnologia da Informação pela FIAP e em Gestão de Segurança Pública pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br