Buscar
  • Redação JBA

Dia do Idoso: Dicas para um envelhecimento bem-sucedido

O psicogeriatra da Holiste Psiquiatria, André Gordilho, explica que encontrar satisfação está no centro de um envelhecimento funcional

Imagem: Freepik

No dia 1º de outubro comemora-se o Dia Internacional do Idoso. A data é cada vez mais importante à medida que já existem mais ‘avós’ do que ‘netos’ no mundo. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), são 705 milhões de pessoas acima de 65 anos contra 680 milhões entre zero e quatro anos. No Brasil, a Projeção da População realizada pelo IBGE estima que, em 2043, um quarto da população deverá ter mais de 60 anos, enquanto a proporção de jovens até 14 anos será de apenas 16,3%.


Com a população vivendo mais e melhor, cresce a preocupação sobre como chegar à terceira idade na melhor forma física e mental. Envelhecer com saúde, autonomia e satisfação se tornaram sinônimos de uma velhice bem-sucedida. Para o psicogeriatra da Holiste Psiquiatria, André Gordilho, a base psicológica para um envelhecer bem é encontrar satisfação na vida através das atividades sociais, exercícios físicos ou uma ‘cervejinha’ com os amigos.


É preciso desmistificar que o idoso é um velho reclamando da vida. Esta imagem está ligada à senilidade. Envelhecer não significa ficar sentado numa cadeira sem produzir e sem socializar. O idoso quer sair, namorar, ter relação com a família, fazer atividade física e tomar a cervejinha dele com moderação aos finais de semana. É possível envelhecer bem, curtindo a vida, de maneira saudável e ativa, explica.


Dicas para envelhecer bem

O envelhecimento bem-sucedido significa manter a funcionalidade com a chegada da idade. O Dr. André Gordilho esclarece que é natural que apareçam limitações com a idade, alguns desgastes, e, inclusive, perdas. Contudo, estes aspectos não devem limitar a capacidade do idoso se enxergar como uma pessoa produtiva, com muito a ensinar e a aprender. Em resumo, a velhice faz parte do desenvolvimento da vida e não significa que as possibilidades de viver bem se esgotaram.


O psiquiatra separou algumas atividades que ajudam a se manter ativo e funcional em qualquer idade, mas que na velhice são fundamentais para o bem estar físico, emocional e mental da pessoa idosa:

  • Atividades físicas: Com a devida orientação médica, a prática de atividades físicas colabora tanto com a saúde do corpo e a mobilidade, quanto no bem-estar emocional. Uma caminhada, aulas de dança e outros esportes colocam o corpo em movimento e criam metas e desafios para a vida.

  • Envolvimento social: As atividades sociais são ainda mais importantes nessa fase da vida. O relacionamento familiar, com amigos, as relações afetivas colaboram com o bem-estar e com a manutenção das capacidades cognitivas.

  • Projetos futuros: A velhice não é o fim das possibilidades, pelo contrário. Independente da idade, é preciso pensar em projetos futuros, criar metas e realizar sonhos. É muito importante encontrar satisfação com a nova fase e manter o engajamento com a vida.

Saúde mental de idosos

Hoje, a saúde mental é uma preocupação real para todas as idades - inclusive na velhice. É preciso estar atento às mudanças de comportamento. O isolamento, o descuido com a aparência, o abandono das atividades que antes traziam alegria, podem ser sintomas que a pessoa idosa precisa de ajuda profissional para ressignificar esta nova etapa da vida.


Os cuidados com a saúde passam também pelo cuidado com o bem-estar emocional. Nesses casos, vale visitar um psiquiatra com familiaridade no tratamento de pessoas na terceira idade.