Buscar
  • Coronel Camilo

DETECTA, Tecnologia de Ponta na Polícia de São Paulo

Por Coronel Camilo


A tecnologia aumenta, exponencialmente, o alcance do trabalho policial, racionalizando recursos e tornando as ações policiais mais assertivas. São Paulo tem investido muitos recursos na segurança pública. Só em 2021 mais de R$ 1,5 bilhão foi investido, boa parte em tecnologia. Desde 2019, foram adquiridos mais de 150 drones, mais de 3.000 câmeras corporais, as conhecidas body cams, foi criada a Divisão de Crimes Cibernéticos (DCCIBER), adquiridos mais de 6.000 Terminais Portáteis de Dados (TPD) para consultas de informações pelo policiamento preventivo.


A utilização dos sistemas inteligentes também foi incrementada. Recentemente o DETECTA, uma plataforma de consciência situacional - sistema que relaciona eventos no espaço e no tempo para a melhor tomada de decisão pelos policiais, tanto no planejamento operacional quanto na investigação -, sofreu uma grande atualização e passou para o processamento em nuvem, ou seja, em um ambiente que o torna mais ágil e permite seu crescimento e utilização em larga escala.


Mais conhecido pela sua funcionalidade de leitura automática de placas (LAP), que envia alertas de veículos furtados e roubados para o Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM) e para as viaturas próximas, permitindo a interceptação e abordagem pelo policiamento ostensivo, o DETECTA é muito mais que isso. Trata-se do maior big data de informações policiais da América Latina e um dos maiores do mundo. O sistema integra bancos de dados das polícias e imagens de câmeras de diversos órgãos que podem ser acessados por todas as unidades policiais do Estado, melhorando a atuação integrada das forças de segurança no combate ao crime.


São mais de 6.000 câmeras integradas ao sistema em todo o Estado de São Paulo, nos centros das cidades, em pontos vulneráveis ao crime e nas principais estradas. Diariamente são “lidas” - capturadas e reconhecidas - mais de 20 milhões de placas de veículos. Desde sua implantação em 2014, essa tecnologia aliada ao trabalho diuturno das polícias Militar, Civil e Técnico-Científica permitiu prender 15.348 criminosos em flagrante, interceptar mais de 32 mil veículos e apreender cerca de 870 armas ilegais, além dos inúmeros delitos evitados com a abordagem antecipada de infratores da lei em veículos roubados ou furtados.


O DETECTA está em constante crescimento, agregando mais câmeras e mais pontos para proteção do cidadão de São Paulo. Isso acontece por meio de convênios. Atualmente, a plataforma contempla mais de 170 convênios firmados com prefeituras e entidades da sociedade civil organizada, para o compartilhamento de imagens e utilização do sistema, que além de fornecer os alertas sobre os veículos irregulares, também permite, quando necessário, que as forças policiais acessem as câmeras para monitorar locais específicos.


Há 23 anos São Paulo vem reduzindo os crimes violentos contra a vida, a taxa de homicídios é a menor do Brasil e uma das melhores do mundo, 6 (seis) homicídios por 100 mil habitantes. Os crimes contra o patrimônio ainda são um desafio, mas a tecnologia vai ajudar a mudar essa situação e o DETECTA é uma grande ferramenta para isso.


Coronel Camilo é secretário-executivo da Polícia Militar. É formado em Administração de empresas pelo Mackenzie, com bacharelado em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul e pós-graduado em Gestão de Tecnologia da Informação pela FIAP e em Gestão de Segurança Pública pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.