Buscar

Cuidado especial para quem não consegue se proteger

Por Coronel Camilo


Uma realidade nada agradável prevaleceu na rotina policial no fim de semana que passou, quando cinco crianças foram salvas - uma delas recém-nascida - após serem abandonadas. Salvar vidas é o que a PM faz de melhor e faz parte da rotina policial. Mas os casos, praticamente sequenciais, emocionaram não só quem teve conhecimento das ocorrências, mas também quem fez o resgate que, com toda certeza, marcará a sua vida.

Na zona sul, um bebê foi achado dentro de uma caixa de papelão no sábado. Ele estava na caixa de sapato em um saco plástico e logo recebeu os primeiros atendimentos de uma policial que foi chamada pela vizinhança. Praticamente impossível não se sensibilizar. A PM que o carregou nos braços usou uma manta para proteger a vítima, cuja família até então era desconhecida.


Em outro ponto da cidade, duas garotinhas foram localizadas em casa na zona leste sem a presença de adultos. Os policiais alimentaram as meninas que tinham muita fome e tentaram acalmá-las, já que pareciam assustadas com aquele cenário. Seriam filhas de mães diferentes e estavam juntas na residência. 

No centro de São Paulo, um menino estava no chão, com pouca roupa e envolto em um pano molhado, no Brás. Na cidade de Campinas, interior, outra criança, desta vez de 3 anos, estava abandonada na cidade, pois a mãe teria ido a uma festa. O soldado que fez todo o atendimento e permaneceu com o menino no colo até o desfecho da ocorrência. Ele, que é pai, ao se deparar com o menino nas condições que estava, ficou emocionado. O bebê ficou sob os cuidados da Assistência Social. Episódios como os que vimos são classificados como abandono de incapaz, crime previsto no Código Penal.

A emoção de salvar vidas também ocorre no mar, com vítimas em apuros, mas que não necessariamente estão abandonadas. No Guarujá, um bombeiro local resgatou um menino de 4 anos que estava se afogando na praia das Astúrias e acabou chorando pela situação. O garotinho havia sido levado pela correnteza no dia 14. Além dele, outros adolescentes também se afogavam. Com a chegada de dias mais quentes, a recomendação é manter atenção redobrada com crianças a fim de evitar afogamento e crianças perdidas.  


Atuar cada vez mais próxima da população. Esse é um dos maiores objetivos da Polícia Militar, que visa, diariamente, manter as atividades diárias com base na Polícia Comunitária, ou seja, atuar estreitamente junto ao cidadão e ajudar quem mais necessita. Deixo aqui meus parabéns aos policiais do 13º, 48º e 37º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano e 47º Batalhão de Polícia Militar do Interior e Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar). Vocês fazem acontecer!


Coronel Camilo é secretário-executivo da Polícia Militar. É formado em Administração de empresas pelo Mackenzie, com bacharelado em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul e pós-graduado em Gestão de Tecnologia da Informação pela FIAP e em Gestão de Segurança Pública pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.

0 visualização

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br