top of page
Buscar

Corinthians comprovas que tudo que está ruim ainda pode piorar

Por Roberto Maia


Mano Menezes comandou o Corinthians em três ocasiões, tendo conquistado três títulos. (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)

No turbilhão de eventos desfavoráveis que têm assolado o Corinthians nos últimos tempos, a demissão do treinador Mano Menezes parece ser mais uma pedra no caminho já tortuoso da nova diretoria que assumiu o comando do clube há pouco mais de um mês. Como diz o provérbio, "tudo que está ruim ainda pode piorar", é exatamente isso que os torcedores corintianos estão testemunhando.


O episódio mais recente da interminável crise corinthiana foi o fim da terceira passagem de Mano Menezes pelo Parque São Jorge. Um dia após a dolorosa derrota para o Novorizontino por 3 a 1 na Neo Química Arena - a quarta consecutiva no Campeonato Paulista. Os números não mentem, e o retrospecto do treinador nessa última fase registra apenas 38% de aproveitamento. Foram 20 jogos, sendo seis vitórias, cinco empates e nove derrotas.


O treinador deixou muito a desejar em comparação com as duas passagens anteriores pelo Parque São Jorge. No balanço das três vezes que o treinador comandou o Timão foram 142 vitórias, 69 empates e 56 derrotas, tendo conquistado três títulos: Brasileirão Série B (2008), Copa do Brasil (2009) e Paulistão (2009).


Nos bastidores, murmúrios indicavam que Mano Menezes já não contava com o respeito dos jogadores, um sinal claro de que tinha "perdido o vestiário" no jargão futebolístico. Polêmicas recentes, envolvendo críticas públicas ao volante Raniele e ao atacante Yuri Alberto - este último xingado de burro durante uma partida - apenas acrescentaram combustível à já tensa situação. A falta de sintonia entre o treinador e o elenco certamente contribuiu para a decisão da diretoria.


Atrito com jogadores como Yuri Alberto que foi xingado de burro por Mano Menezes causaram a demissão do treinador. (Foto: Rodrigo Coca/Agência Corinthians)

Contratado em setembro do ano passado para substituir Vanderlei Luxemburgo e conter a crise, o treinador de 61 anos não conseguiu estabilizar a equipe.


As cifras envolvidas na rescisão do contrato de Mano Menezes também são motivo de discussão. Contrariando especulações recentes de uma multa rescisória de R$ 20 milhões, a verdade é que o valor é inferior a essa quantia. Segundo informações da ESPN, o contrato assinado ainda na gestão de Duílio Monteiro Alves estipula uma multa que diminui gradativamente, chegando a R$ 3 milhões, o mínimo previsto.


Em meio a essas reviravoltas, o Corinthians agora se vê em busca de um novo rumo, de um líder capaz de trazer estabilidade e sucesso ao time. A demissão de Mano Menezes, por mais dolorosa que seja, pode representar uma oportunidade de renovação e redenção para o clube. Resta aos torcedores corintianos aguardar ansiosos por tempos melhores.




Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


bottom of page