top of page
Buscar

Cordão Bibitantã lança samba-enredo para o Carnaval 2024

Cordão promove a participação ativa de pacientes com transtornos psíquicos, a partir da parceria entre diversos serviços de saúde; neste ano, bloco faz duas apresentações


Foto: Divulgação

“Na folia da mente, a liberdade reluz; na onda da inclusão, diversidade seduz.” É com o enredo “O Coração no Carnaval” que o Cordão Bibitantã, organizado por Centros de Atenção Psicossocial (Caps), se prepara para a folia deste ano. Inspirado no sentimento de cada um dos pacientes, o cordão celebra o amor, a inclusão e a diversidade.

Neste ano, o bloco promete trazer ainda muito mais alegria e diversão com duas apresentações na zona oeste da capital. O grupo abre o desfile no pré-Carnaval, na sexta-feira (2), a partir das 13h, no Largo da Batata. No sábado pós-Carnaval, no dia 17, fará a abertura do desfile do bloco Velha Guarda – São Domingos, no bairro Rio Pequeno, a partir das 13h. A participação é gratuita.

Fundado em 2006, o Cordão Bibitantã nasceu da parceria entre alguns serviços de saúde, como os Caps Adulto Butantã, Caps Álcool e Drogas (AD) Butantã, Lapa, Perdizes e Itaim Bibi; o Centro de Convivência e Cooperativa (Cecco) Parque da Previdência; além de grupos ligados à cultura popular. O eixo principal dessa parceria é a produção e reprodução da cultura brasileira tradicional como forma de inclusão e cuidado em saúde mental.

“Ver o tanto que o nosso cordão cresceu é motivo de muita felicidade para nós. Em nossos encontros semanais, conseguimos promover a oportunidade de produção cultural coletiva, focando em estratégias que buscam a ampliação da sociabilidade e a participação social, para trocas e, principalmente, afetos”, conta Juliana Fonseca, assistente social do Cecco Previdência e uma das coordenadoras do Bibitantã.


Foto: Divulgação

Hoje, o grupo conta com 25 componentes, entre usuários dos serviços, pacientes, técnicos e artista orientador. Em forma de roda de samba, os ensaios ganham forma e dinamismo diferentes. Os encontros são compostos por oficinas de percussão, construção de adereços e composição musical.

“É nessa perspectiva do pertencer que os pacientes encontram seu lugar no mundo ou ressignificam esse lugar em que, muitas vezes, é estigmatizado pela doença ou deficiência”, conta.

No cordão, os participantes ocupam lugar de artistas, sendo reconhecidos pelas suas potências e habilidades. Com isso, é possível a transformação e a evolução de cada um na constituição coletiva a partir dos encontros que unem pessoas que gostam e são apaixonadas pelo samba, música e cultura popular brasileira.


Desfiles do Cordão Bibitantã

Data: sexta-feira (2)

Horário: 13 horas

Local: Largo da Batata

Data: sábado (17)

Horário: 13 horas

Local: Bairro Rio Pequeno

Comments


bottom of page