top of page
Buscar

Coração de mãe não foge da dor do filho

Por Paiva Netto


Foto: Sidney de Almeida

Em Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade — O Poder do Cristo em nós (2014), anotei que nunca faltarão palavras para homenagear Maria Santíssima, Mãe de Jesus, Mãe Universal da Cristandade, Mãe Cósmica da Humanidade, por toda a abnegação de seu Espírito, desde o anúncio celestial feito pelo Anjo Gabriel, quando a serva de Deus soube que seu ventre seria abrigo de luz para o Salvador dos Povos (Evangelho, segundo Lucas, 1:26 a 38). Por acreditar tanto em Seu Poder e Sua Autoridade, ela O incentivou a realizar o primeiro milagre, nas bodas de Caná (Boa Nova, consoante João, 2:1 a 11). Viu os feitos divinais do Mestre Jesus crescerem, e, boa mãe que era, orgulhosa das maravilhas que testemunhava, “guardava todas estas coisas no seu coração” (Evangelho de Jesus, segundo Lucas, 2:51). E, no momento crucial do Sublime Ministério Crístico, corajosamente suportou, ao lado de seu Amado Filho, o indescritível martírio que Ele sofreu.


Estrela Cintilante da Paz


A obstinação da Mãe Esplendorosa do Divino Cordeiro se tornou um exemplo não apenas para as mulheres, mas para todos os seres humanos de real Boa Vontade, demonstrando que a Verdadeira Fé e o Fiel Testemunho aos compromissos assumidos nos Céus são capazes de superar os chamados impossíveis.


Ao finalizar esta página, não poderia deixar de trazer ao seu Luminoso Espírito esta homenagem da lavra do brilhante poeta Amaral Ornellas (1885-1923), que publiquei em meu livro Ao Coração de Deus — Coletânea Ecumênica de Orações (1990). Quantas vezes o Irmão Zarur, na prece da Ave, Maria!, com sua voz eloquente e transbordante de emoção espiritual, o declamou. E essa pérola da literatura até hoje prossegue no ar, pela Super Rede Boa Vontade de Comunicação (rádio, TV, internet e Boa Vontade Play):


Ave, Maria!

Amaral Ornellas


Ave, Maria! Senhora

Do Amor que ampara e redime,

Ai do mundo se não fora

A vossa missão sublime!


Cheia de graça e bondade,

É por vós que conhecemos

A eterna revelação

Da Vida em seus dons supremos.


O Senhor sempre é convosco,

Mensageira da ternura,

Providência dos que choram

Nas sombras da desventura.


Bendita sois vós, Rainha!

Estrela da Humanidade,

Rosa mística da Fé,

Lírio Puro da humildade!


Entre as mulheres sois vós

A Mãe das mães desvalidas,

Nossa Porta de Esperança

E Anjo de nossas vidas!


Bendito o fruto imortal

Da vossa missão de luz,

Desde a paz da Manjedoura,

Às dores, além da Cruz!


Assim seja para sempre,

Ó Divina Soberana,

Refúgio dos que padecem

Nas dores da luta humana!


Ave, Maria! Senhora

Do Amor que ampara e redime,

Ai do mundo se não fora

A vossa missão sublime!


Ampare, ó Mãe Adorada, os povos da Terra, guiando-os na direção da Paz de Deus!




José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV), membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter). Jesus, a Dor e a origem de Sua Autoridade. Saiba mais em www.paivanetto.com/livros.


Comments


bottom of page