Buscar
  • Roberto Maia

Copinha tem 128 times e transmissão multiplataforma

Por Roberto Maia


A Copa São Paulo de Futebol Junior teve início no dia 2 de janeiro. A maior competição de futebol júnior do Brasil volta a ser realizada depois do cancelamento da edição de 2021 devido a pandemia de Covid-19.


Organizada pela Federação Paulista de Futebol (FPF), está sendo disputada por 128 clubes juniores de todo o país. Na primeira fase as equipes participantes foram divididas em 32 grupos de quatro times cada. Todos se enfrentam dentro de cada grupo, sendo que os dois primeiros se classificam para a segunda fase, onde todos os jogos serão de mata-mata.


Lançada em 1969, a Copinha já revelou muitos craques em suas 52 edições. Organizada originalmente pela Prefeitura paulistana, era chamada de Taça São Paulo de Juniores. Apenas clubes paulistas participaram das duas primeiras edições. A partir de 1971, times de todo o Brasil começaram a ser convidados. Em 1987, o então prefeito Jânio Quadros decidiu não mais realizar a competição - que não aconteceu naquele ano.

O Corinthians de Matheus Araújo é o maior campeão da Copinha com dez títulos (Foto: Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians)

Desde o início, o torneio chamou a atenção da imprensa, torcedores e clubes. Atraiu, também, empresários de todas as partes e portes, pois a competição mostrou ser uma importante vitrine e oportunidade para se descobrir futuros craques.


Em 1972, Paulo Roberto Falcão, jogando pelo Internacional (RS), e Toninho Cerezo, pelo Atlético (MG), foram os primeiros grandes talentos descobertos na Copinha. Depois vieram muitos outros e a relação tem nomes como Djalminha, Dener, Rogério Ceni, Cafu, Raí, Casagrande, Dida, Edinho, Paulo Nunes, Marcelinho Carioca, Fred, Lucas, Kaká, Ganso, Robinho e Neymar entre outros.


A história da Copinha registra também a participação de equipes estrangeiras. O Providência (México) foi o primeiro time estrangeiro a participar, em 1980. Depois vieram o Vélez Sársfield (Argentina), em 1981 e 1982; e o Bayern de Munique (Alemanha), em 1985. Mais tarde participaram o Boca Juniors (Argentina), Peñarol (Uruguai), Cerro Porteño (Paraguai), Universidad de Guadalajara (México), Al-Hilal (Arábia Saudita), Nagoya Grampus Eight, Yomiuri Verdy e Kashiwa Reysol (todos do Japão), além das seleções sub-20 do Japão e da China. O Kashiwa Reysol foi a primeira equipe estrangeira a passar para a segunda fase da competição.


Nos anos de 1994 e 1995, a FPF realizou duas – e únicas - edições da Supercopa São Paulo de Futebol Júnior, que reuniu apenas campeões e vices de edições anteriores. No primeiro ano venceu o Atlético Mineiro e no segundo o Palmeiras. Infelizmente, o jogo final de 1995 ficou marcado por uma tragédia. Torcedores do Palmeiras e do São Paulo se envolveram em verdadeira batalha campal no Pacaembu, que resultou na morte de um torcedor são-paulino.


O maior campeão da Copinha é o Corinthians. O Timão conquistou dez taças – 1969, 1970, 1995, 1999, 2004, 2005, 2009, 2012, 2015 e 2017. Na sequência estão o Fluminense e Internacional (atual campeão) que venceram a competição cinco vezes cada. Como sempre acontece, a final será disputada no dia 25 de janeiro, data do aniversário da cidade de São Paulo.


Transmissão – Pela primeira vez, a Copinha está sendo transmitida em multiplataformas: na TV fechada (SporTV) e na internet gratuitamente pelo YouTube (Eleven Sports e Paulistão Play. A final também será transmissão pela TV Globo.

Com 18 anos de idade, Giovani participou de 14 jogos do time profissional do Palmeiras em 2021 (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.