top of page
Buscar

Copa do Mundo de 2026 será em três países e terá 48 seleções

Por Roberto Maia


O tricampeonato da Argentina conquistado na Copa do Mundo FIFA Catar 2022 marcou o fim de uma era. A partir da próxima edição, em 2026, que será disputada ineditamente em três países – México, Estados Unidos e Canadá – o maior torneio de futebol do mundo terá um novo formato de disputa e mais seleções.


De acordo com informações preliminares, os EUA deverão receber 75% dos jogos, incluindo a final. Nenhum dos estádios utilizados na Copa de 1994, vencida pelo Brasil, serão utilizados. Dessa vez serão arenas modernas construídas recentemente nas cidades de Seattle, São Francisco, Los Angeles, Kansas City, Dallas, Atlanta, Houston, Boston, Filadélfia, Miami, Nova York.


O Canadá, que receberá a Copa do Mundo pela primeira vez, terá como sedes as cidades de Toronto e Vancouver, onde os jogos serão realizados nos estádios BMO Field e Commonwealth, respectivamente.


O México que já sediou as Copas de 1970 e 1986, terá jogos disputados na Cidade do México, Guadalajara e Monterrey. O Estádio Azteca, na capital mexicana. Será o primeiro a receber jogos de três edições de Copas do Mundo. Também serão utilizados o Akron, em Guadalajara, e o BBVA, em Monterrey.


Os estádios que receberão os jogos de abertura e também a grande final ainda não foram definidos. A nova Copa do Mundo será disputada em 32 dias, tal como no antigo formato.


A Copa do Mundo voltará a ser disputada em junho, no verão norte-americano, e exigirá grandes deslocamentos das seleções, imprensa e torcedores. Os diferentes fusos horários também será um problema a ser resolvido pela organizadora do torneio.


Outra novidade anunciada pela FIFA é que a Copa de 2026 terá a participação de 48 seleções, 16 a mais que nas últimas sete edições. O atual modelo com 32 seleções existe desde 1998, quando a França sediou a Copa do Mundo e conquistou o seu primeiro título mundial.


Com a mudança o número jogos aumentará de 64 para 80. O formato de disputa da Copa do Mundo de 2026 ainda não foi definido pela FIFA. Mas poderá ter 16 grupos com três equipes ou 12 grupos com quatro seleções. As duas melhores colocadas de cada grupo avançam para uma fase mata-mata com 32 equipes.

Copa do Mundo de 2026 será disputada em três países: México, Estados Unidos e Canadá. (Foto: Fauzan Saari/Unsplash)

Assim, sem fazer um pré-julgamento do novo modelo, a dúvida que surge é se com a entrada de seleções de menor nível técnico o torneio conseguirá manter o interesse dos torcedores e patrocinadores.

A FIFA por sua vez entende que com o novo modelo ampliado a Copa do Mundo ficará ainda mais atraente, além de mais lucrativa financeiramente.


A mudança certamente forçará alterações nos atuais modelos das eliminatórias entre os países pleiteantes. Na América do Sul, por exemplo, o formato de turno e returno poderá sofrer alteração.


Em consequência da ampliação da Copa do Mundo, a distribuição das vagas por confederação também vai mudar. A Ásia (AFC) terá 8 vagas diretas e 1 para repescagem; a África (CAF) terá 9 vagas diretas e 1 para repescagem; América do Norte, Central e Caribe (Concacaf) terão 6 vagas diretas e 2 para repescagem; a América do Sul (Conmebol) terá 6 vagas diretas e 1 para repescagem; a Oceania (OFC) terá 1 vaga e 1 para repescagem; a Europa (Uefa) – maior beneficiada – terá 16 vagas diretas.

O tricampeonato da Argentina conquistado no Mundial do Catar marcou o fim do modelo de disputa com 32 seleções. (Foto: Alvaro Palacios/Unsplash)

Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


bottom of page