Buscar
  • Redação JBA

Scooters elétricas compartilhadas chegam ao Campo Belo

O serviço de scooter elétrica compartilhada da Riba Share, que voltou às ruas da cidade de São Paulo com patrocínio do Santander Brasil, aumentou a área de atuação. Agora os clientes também podem circular por diversos bairros, incluindo o Campo Belo.

As scooters são importadas da China e montadas no Brasil. A velocidade máxima é limitada a 50 km/h, com autonomia na faixa de 90 km. Os modelos oferecem seguro contra acidentes e rastreamento em tempo real.


Quem escolhe trocar os carros por aplicativo pelo uso de motos elétricas compartilhadas economiza. Pelo menos é o que diz uma simulação feita pela própria Riba, considerando o valor de locação das motocicletas no serviço: R$ 5,90 pelos primeiros 10 minutos e R$ 0,75 por minuto adicional. A empresa calculou que, para um mesmo trajeto, os consumidores gastariam R$22,80 em aplicativo de transporte de carros, contra R$ 9,65 para percorrê-lo com motocicleta. A procura por motos elétricas no Brasil cresceu especialmente durante a pandemia. Entre maio de 2020 e maio de 2021, houve um salto de 1200% no interesse dos consumidores, de acordo com estudo divulgado pelo Mercado Livre. O aumento da demanda é fácil de ser explicado. O veículo de duas rodas sempre foi uma opção mais barata de transporte, mas sua versão elétrica torna essa economia ainda maior. Isso considerando que atualmente a eletricidade é mais acessível do que combustíveis e que os veículos elétricos possuem poucas peças, o que torna a manutenção mais em conta.


Não precisa ser cliente Santander para utilizar o serviço. Mas os interessados devem cumprir as regras para pilotar moto elétrica no Brasil: ser maior de idade e ter habilitação na categoria A ou a Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC). Isso porque, no Código Brasileiro de Trânsito, esse veículo é classificado como ciclomotor. Também é obrigatório o uso de capacete – uma unidade é disponibilizada pela Riba.


O usuário deve baixar o aplicativo da Riba Share no celular e inserir os dados de um cartão de crédito válido. Depois, basta ir a um ponto de compartilhamento para destravar a moto elétrica. A devolução também é feita pelo aplicativo.