Buscar
  • Paulo Panayotis

Conhece Courchevel? A melhor e mais luxuosa estação de esqui do mundo?

Por Paulo Panayotis


Então, saiba um pouco mais pois se Deus quiser e as autoridades brasileiras deixarem, estaremos livres da pandemia por aqui e já, já, voltaremos a viajar! Oxalá!

Courchevel, Les Trois Vallées, Alpes franceses. Minhas pernas bambeiam. Tudo branco ao meu redor! 10 graus negativos. Neva forte! O vento no rosto não me deixa esquecer: é minha primeira aula de esqui! Estou na maior área esquiável do planeta. E também na mais chique! Me sinto estranhamente infantil. Sabe aquela felicidade de criança? Pois é exatamente isso que mostra o rosto de um garoto que olha para cima e tenta pegar neve!

Mamãe, vou pegar a neve!

É a primeira aula dele, penso eu, portanto, não posso passar vergonha! Ou posso? Cair e levantar faz parte da vida. E aqui, em Courchevel, faz parte do dia a dia. Seja rico, famoso ou simplesmente um amante dos esportes na neve, todo mundo cai.. e segue em frente! Fiquei por alguns dias nesta estação de esqui, mais especificamente na chamada “1850” e adorei. Cabe uma explicação: Courchevel refere-se a quatro cidades distintas, cada uma a uma determinada altura na montanha. Courchevel 1300 (Le Praz), Curchevel 1550, Courchevel 1650, (Moriond) e Courchevel 1850, onde fiquei hospedado. Os números se referem exatamente à altura em que estão.

Centrinho de Courchevel 1850: neve, neve, neve!

O detalhe curioso é que, quanto mais altas, mais exclusivas. E caras! A escolha – e o bolso – são seus. Dica: Se estiver em família, fique na 1550. Mais em conta, o clima é bacana e descontraído. Quer esportes de ação de dia e balada durante a noite? Seu destino é Moriond, a 1650. Já se quer realizar seu sonho de glamour e sua conta bancária permitir, dispense o resto e vá direto para 1850! Garanto que jamais esquecerá! No meio de muita neve, gente bonita, elegante e restaurantes de cair o queixo, Courchevel 1850 é um refúgio para quem quer esquiar com luxo e sofisticação e se hospedar em grande estilo. Sou esquiador de primeira viagem, mas algo que me impressionou em 1850 é que muitos hotéis têm saída direta para as pistas de ski (Ski in, Ski out).

Novatos se divertem: pistas para todos os níveis.

Outra dica: é fundamental saber qual é o seu nível de esqui. Raciocine comigo: do que adianta sair direto do hotel para a pista se você não domina a técnica? Vai por mim meu amigo: pelo bem do seu esqueleto, seja humilde na decisão! Agora, se o seu barato é ver os outros esquiar e tiver “bala”, Courchevel 1850 “congelará” seus sentimentos e os aprisionará para todo o sempre em sua memória! E como foi minha primeira vez? Bem, brinquei um pouquinho na neve e preservei meu esqueleto! Até porque fiquei meio constrangido com tanta criança se divertindo a valer e – para meu espanto – caindo pouco!

Cair e levantar: o jogo da vida!

É de Croisette, quase no centro de Courchevel 1850, que partem todos os teleféricos que levam para todas as pistas. É lá também que ficam praticamente todos os instrutores – caso você, como eu, seja um perna de pau – e precise de uma aulinhas... Sem equipamento? Relaxe. Todos os hotéis, em praticamente todos os níveis (1300,1550, 1650 e 1850, óbvio), alugam tudo. E os preços, claro, sobem proporcionalmente com a altura. Minha dica de hospedagem é o hotel Annapurna, um cinco estrelas clássico e tradicional. O restaurante é fantástico e a vista ... meu amigo, a vista é perfeita.

Jornalista Paulo Panayotis

Ah sim: tudo funciona, apesar e por causa da neve, em qualquer nível (cidade) em que resolva ficar. Prova disso são as navettes, ônibus de luxo que ligam todas as cidades de graça!!!!


Fotos: Paulo Panayotis / Adriana Reis - © O Que Vi Pelo Mundo



Paulo Panayotis é jornalista especialista em turismo, mergulhador e fundador do Portal OQVPM - O Que Vi Pelo Mundo. Mora na Europa, tem passaporte carimbado em mais de 50 países e viaja com patrocínio e apoio Avis, Travel Ace e Alitalia.

1 visualização0 comentário