Buscar
  • Redação JBA

Confira quatro dicas de como evitar pelos encravados após a depilação

Rotina de cuidados com a pele do corpo pode evitar reações indesejadas

Os pelos encravados surgem devido ao excesso de queratina armazenado na epiderme que impede que o pelo ultrapasse essa barreira, fazendo com que ele cresça paralelo à pele. Eles também podem inflamar e isso ocorre quando há passagem de bactérias, fazendo com que apareçam as foliculites (inflamação do folículo piloso). “É muito comum o encravamento dos pelos após procedimentos de depilação. Isso acontece porque alguns fios encontram dificuldade para romper a camada da pele e crescer normalmente. A boa notícia é que com alguns cuidados é possível evitar essa reação indesejada”, explica Regina Jordão, fundadora e CEO da rede de franquias Pello Menos, pioneira nos serviços de depilação à cera indolor e sem hora marcada no Brasil.


Para entender sobre o surgimento dos pelos encravados, é importante conhecer as três fases deste processo: a primeira é quando ainda está embaixo da pele; a segunda é quando o pelo inflama, provocando inchaço, vermelhidão e o surgimento de uma secreção; e a última fase é o momento em que ele vira um cisto e, com isso, deixa a região da pele dolorida. Pensando em auxiliar mulheres na prevenção desse incômodo, a especialista listou quatro dicas, confira:


1 - Faça esfoliação regularmente: no ranking das pequenas atitudes de como evitar os pelos encravados, a esfoliação aparece no topo. É recomendada entre três e sete dias antes da depilação, já que vai afinar a camada mais superficial da pele e contribuir para a redução de células mortas. Além disso, deixa a região mais macia, proporcionando um procedimento mais efetivo e menos agressivo.


2 - Evite exposição direta ao sol: o suor excessivo é um dos causadores do encravamento dos pelos. Sendo assim, a exposição direta ao sol deve ser evitada, principalmente nos dias após o procedimento depilatório, período em que a área estará ainda mais sensível.


3 - Evite o uso de lâminas e cremes depilatórios: lâminas e cremes depilatórios são procedimentos que eliminam os pelos superficialmente, isto é, não são retirados pela raiz. Algumas pessoas apresentam reação a estes métodos (por conta da agressão sofrida) e então a pele para se proteger aumenta a produção de queratina, o que irá dificultar a saída dos novos pelos que irão crescer. Com isso, o risco de encravamento aumenta consideravelmente.


4 - Não descuide com o pós-depilação: além dos cuidados que antecedem a sessão, também é muito importante cuidar da região depilada depois, visto que a pele estará mais sensível e suscetível a reações alérgicas:

  • Roupas apertadas: evite o uso de peças muito justas ou de tecidos sintéticos, pois impedem o crescimento livre dos pelos. Além disso, podem facilitar o acúmulo de resíduos nos folículos;

  • Creme hidratante: nada de cremes e óleos hidratantes após a depilação. Isso porque eles podem obstruir os folículos e causar a inflamação dos fios;

  • Higienização: cuide para que não fique nenhum resíduo nos folículos, portanto, higienizar o local depilado logo após o procedimento;

  • Proteção solar: o uso de protetor solar diário é sempre bem-vindo, principalmente na região que foi depilada. É recomendado o uso com FPS de no mínimo 30 para o corpo e de 50 para a pele do rosto.