top of page
Buscar

Como o diabetes afeta seu coração


O diabetes aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Entenda como ele afeta o seu coração e quais medidas preventivas podem contribuir para a sua saúde cardiovascular.


O diabetes melito é uma doença crônica que está entre as 10 principais causas de morte no mundo, de acordo com dados da OMS. Além dos desafios associados ao controle do nível de açúcar no sangue, o diabetes também tem um impacto significativo na saúde cardiovascular.


Segundo o Ministério da Saúde, os pacientes acometidos pelo diabetes possuem de 2 a 4 vezes mais chances de sofrer infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e outras doenças cardiovasculares.


A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) aponta que aproximadamente 16 milhões de pessoas sofrem com diabetes no Brasil e cerca de 46% desses indivíduos não têm conhecimento de sua condição.


No dia 26 de junho foi celebrado o Dia Nacional do Diabetes, data criada com o objetivo de aumentar a conscientização sobre os fatores de risco, diagnóstico e prevenção da doença.


Doenças cardiovasculares e diabetes


“O coração de uma pessoa com diabetes funciona de forma semelhante ao de uma pessoa sem diabetes. No entanto, as pessoas com diabetes têm um risco aumentado de desenvolver doenças cardíacas, devido aos efeitos da própria doença no sistema cardiovascular”, descreve Dr. André Feldman, coordenador da Cardiologia nos Hospitais São Luiz, em São Paulo.


Pessoas com diabetes têm uma maior prevalência de doenças cardiovasculares em comparação com indivíduos sem esse diagnóstico. Segundo Dr. Feldman, o diabetes aumenta o risco de um paciente desenvolver aterosclerose, que é o acúmulo de placas de gordura nas artérias, e também aumenta a propensão para a formação de coágulos sanguíneos, o que pode levar ao estreitamento das artérias e reduzir o fluxo sanguíneo para o coração.


“A combinação de acúmulo de gordura com coágulo sanguíneo leva à obstrução ao fluxo de sangue para o coração e consequente infarto. Além disso, o excesso de glicose no sangue é tóxico às células cardíacas e leva ao seu mau funcionamento ocasionando insuficiência cardíaca. O diabetes pode ainda afetar a regulação do coração, uma condição chamada de disautonomia, que pode resultar em problemas no ritmo cardíaco e na regulação da pressão arterial”, explica o especialista.


Ainda de acordo com o médico, o diabetes desencadeia uma elevação do nível de glicose no organismo, o que gera disfunções em vários órgãos. No coração, o excesso de glicose causa:


Desequilíbrio em determinados sistemas do organismo, resultando na formação de coágulos sanguíneos que podem levar ao infarto agudo do miocárdio, também conhecido como infarto.


Alteração da dinâmica da contração muscular, que pode causar dificuldades ao coração em contrair e relaxar adequadamente, comprometendo sua função de bombear sangue para o organismo. Esse quadro é conhecido como insuficiência cardíaca.


Maior probabilidade de desenvolver arritmias cardíacas, sendo a fibrilação atrial uma das mais comuns e graves em pacientes diabéticos.


Sintomas de doenças cardíacas em diabéticos


Diabéticos podem apresentar uma variedade de sintomas relacionados a doenças cardiovasculares, mas nem todos dessa população apresentarão sintomas óbvios dessas enfermidades. Em alguns casos, os sintomas podem ser leves ou até mesmo ausentes.


Dr. André Feldman afirma que os sintomas das doenças cardíacas em pacientes diabéticos podem ser diferentes, principalmente em pacientes acometidos pelo infarto. “O portador de diabetes pode ter comprometimento do sistema nervoso, o que pode levar a uma menor sensibilidade à dor”, descreve o cardiologista.


Segundo Feldman, a dor torácica é o sintoma mais comum do paciente com infarto, mas no diabético esse sintoma pode não ocorrer. “Em diabéticos, a dor do infarto pode ser mais leve ou mesmo estar ausente. Não é raro haver pacientes diabéticos que apresentam infarto e não sentem dor. Obviamente, estes tendem a ir menos ao pronto-socorro e acabam sendo subdiagnosticados e subtratados”, atesta.


Os pacientes com diabetes podem apresentar sintomas atípicos de um infarto, como um leve desconforto ou mal-estar geral. Dr. Feldman afirma que essa manifestação incomum pode dificultar o diagnóstico preciso por parte dos profissionais de saúde ao lidar com essa população.


Cada paciente é único, e as medidas preventivas devem ser adaptadas de acordo com a condição de saúde e as orientações médicas. É crucial seguir as recomendações do médico e colaborar de perto com a equipe de saúde para prevenir doenças cardíacas e preservar uma boa qualidade de vida na pessoa diabética.


Confira “As 7 recomendações para prevenir doenças cardíacas no diabético”, link: https://encr.pw/GKIpn

bottom of page