Buscar

Chuvas de verão: Prefeitura desenvolve sistema inédito para monitorar piscinões e túneis

Iniciativa tem como objetivo reduzir os impactos das precipitações na cidade


A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB), desenvolveu um sistema inédito de monitoramento, que está sendo instalado em 23 piscinões e oito túneis da cidade. O objetivo é centralizar o acompanhamento de chuvas, drenagem, operação dos reservatórios e escoamento da água e é novidade no Plano de Chuvas de Verão 2020/2021.

Por meio da rede de telemetria e telemonitoramento, é possível acompanhar o nível e vazão da água, além do funcionamento das motobombas (responsáveis pelo escoamento), por meio de sensores instalados nos piscinões e túneis. O sistema também emite alertas em caso de queda de energia, obstrução e falha mecânica. No caso dos túneis é possível, também, monitorar o nível de CO2 acumulado.


Com estas informações, um centro de controle operacional instalado dentro da SMSUB realizará o acompanhamento à distância e conseguirá viabilizar ações emergenciais como limpeza e reparos de equipamentos de drenagem.


Bombas controladas remotamente

Até pouco tempo, os piscinões - reservatórios que recebem água excedente de rios para evitar transbordamentos, e, posteriormente, o líquido é bombeado de volta - eram operados individualmente pelas subprefeituras, no local e de forma manual. Agora, as bombas controladas remotamente podem ser ligadas e desligadas conforme a necessidade e, na hipótese de queda de energia, geradores serão acionados também à distância. Pela primeira vez a Prefeitura terá um procedimento operacional centralizado para os piscinões.


O sistema consegue definir o melhor momento para o bombeamento e sua intensidade.


No caso dos túneis, as bombas instaladas também serão operadas à distância, assim como os ventiladores que fazem o ar circular, cujo funcionamento pode ser acelerado ou reduzido, dependendo da necessidade.


Dos 34 piscinões sob responsabilidade da SMSUB, 23 já receberam o sistema, cujo escoamento da água é feito por bombeamento. Os demais funcionam por gravidade, isto é, sua localização na parte alta da bacia hidrográfica facilita o curso da água até o rio ou córrego, sem a necessidade de bombas. Há oito túneis na cidade e todos foram contemplados. Entre os 23 piscinões e oito túneis que receberam o sistema e estão em operação estão os piscinões Cedrolândia e Cordeiro RC3, e os túneis Max Feffer e Ayrton Senna.


Manutenção

A Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB) é responsável pela limpeza urbana, manutenção e desassoreamento de 34 piscinões da cidade, entre outras atribuições. Ao longo do ano, diversas ações são realizadas com intuito de reduzir os impactos das chuvas como limpeza de córregos, microdrenagem, conservação de galerias e poda de árvores. Os serviços preventivos também fazem parte da 9ª edição do Plano Chuvas de Verão 2020/2021.


As equipes das subprefeituras retiram detritos das margens e da extensão dos córregos e cortam o mato que cresce nas beiras, para que não haja interrupções no fluxo da água da chuva e evite a proliferação de doenças. A quantidade de detritos removida este ano é 196% maior do que em 2019, além da extensão de córregos limpos também ser superior ao ano passado em 96%.


Microdrenagem

A microdrenagem manual e mecanizada tem o objetivo de desobstruir galerias, ramais, poços de visita e bocas de lobo para garantir o pleno funcionamento do sistema de drenagem da cidade. Este ano, as ações de limpeza de galerias e ramais percorreram uma extensão 23% maior do que em 2019. A quantidade de poços de visita e bocas de lobo também cresceu em 26%.


Essas estruturas também passam por reformas para garantir o pleno funcionamento do sistema de drenagem. A extensão de galerias reformadas é 19% maior em 2020, se comparado a 2019. No mesmo período, as equipes reformaram 10% a mais de bocas de lobo e poços de visita.


Poda de árvores

A poda de árvores é importante para diminuir as obstruções nas vias e os acidentes causados por quedas durante as tempestades. Em 2020, o serviço teve um aumento de 51% em relação a 2019. As ações acontecem durante todo o ano.


Os piscinões retêm parte da água pluvial e reduzem os impactos de alagamento nas vias. As equipes realizam manutenção, desassoreamento e limpeza preventivamente em períodos de pouca chuva e de acordo com a necessidade de cada reservatório, para que estejam aptos a operar em alta demanda. Este ano, a quantidade de detritos retirados é 31% a mais do que em 2019.


Medidas de limpeza urbana

No intuito de minimizar os impactos causados pelas chuvas de verão nas áreas urbanas e periféricas da cidade, a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB) propôs uma série de ações preventivas e emergenciais. Elas foram divididas em duas etapas: preventivas (serviços de limpeza urbana para evitar possíveis enchentes) e corretivas (para controlar os danos causados por pontos de alagamento).


Para compor a nona edição do plano, serão monitorados 1.269 pontos para melhorar o escoamento, que terão a limpeza intensificada em mais de 8 mil bueiros e bocas de lobo. Esses pontos foram identificados por AMLURB, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) e Defesa Civil.


Coleta domiciliar

A fim de evitar pontos de alagamento nas 210 bacias da cidade (depressões formadas nas vias), já estão em andamento os serviços de intensificação e antecipação da coleta domiciliar e dos resíduos de varrição, limpeza de bueiros, túneis, ramais e pontos viciados. Até outubro deste ano, a Prefeitura recolheu cerca de 13,5 mil toneladas de detritos de bueiros e bocas de lobo da cidade.


No caso das regiões que apresentarem ocorrências de enchentes, após a liberação do local pela Defesa Civil ou quando houver condições seguras, as equipes de limpeza irão realizar os serviços de raspagem das vias e logradouros públicos; coleta de materiais diversos; lavagem das ruas e avenidas e limpeza de bueiros e bocas de lobo, para minimizar os danos causados pelas chuvas.


Vale ressaltar que a contribuição da população é fundamental durante esse período de chuvas. Os sacos de resíduos devem ser colocados nas calçadas o mais próximo possível do horário da passagem do caminhão coletor, evitando que os resíduos ensacados fiquem expostos por muito tempo nas vias. Para coleta domiciliar diurna, os resíduos devem ser dispostos até duas horas antes do horário da coleta e, para coleta domiciliar noturna, os sacos devem ser dispostos somente após às 18h.


Colocar os sacos de lixo em vias públicas fora do horário da coleta é passível de multa no valor de R$ 85,51, conforme estabelece a Lei de Limpeza Urbana, nº 13.478/02º, artigo 151.

2 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br