Buscar
  • Redação JBA

Capital inicia trabalho de campo em censo nacional de saúde bucal

Equipes da SMS iniciou o mapeamento de 66 setores censitários espalhados por São Paulo

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) iniciou em 19 de abril a primeira etapa do SB Brasil 2020, mapeamento epidemiológico que avalia as condições bucais da população brasileira. As informações coletadas definirão novas diretrizes para as políticas públicas e a consequente reorganização do modelo de atenção odontológico, atendendo aos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS).


O censo pretende também identificar os casos mais prevalentes na população, tais como a cárie dentária, doenças periodontais, necessidade de próteses, condições de oclusão, traumatismo nos dentes e o impacto na qualidade de vida, entre outros aspectos.


Para a realização da pesquisa, 66 setores censitários foram selecionados na capital pelo Ministério da Saúde (MS). A SMS disponibiliza em cada setor uma equipe formada por agentes comunitários de saúde, técnicos ou auxiliares em saúde bucal e cirurgiões-dentistas para a coleta de informações nas residências ao longo das próximas semanas. Todos os profissionais envolvidos estarão identificados com crachá da SMS e do SB Brasil 2020.


Na fase 1, o agente comunitário de saúde passou pelas ruas do setor censitário, sob sua responsabilidade, anotando quais são os imóveis residenciais, comerciais ou terrenos sem construção.


Já na segunda fase, iniciada em 26 de abril, é marcada pelas entrevistas diretas nas residências dos setores censitários. Haverá quatro grupos examinados na pesquisa: crianças de 05 e 12 anos; jovens entre 15 a 19; adultos de 35 a 44 anos; e idosos de 65 a 74 anos. O tempo médio de visita será de 20 minutos.


Na fase final do trabalho de campo, com previsão para iniciar em 16 de maio, as equipes do censo realizarão novas entrevistas e exames bucais em munícipes determinados pela metodologia da primeira fase, a de arrolamento.


Sobre a pesquisa

O SB Brasil 2020 será realizado em 422 municípios do país e deve avaliar mais de 50 mil pessoas. O MS e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) são os coordenadores do levantamento nacional. A federal mineira, instituição executora, é responsável pela construção do projeto e desenvolvimento dos processos metodológicos.


Essa é a quarta edição do levantamento nacional. A pesquisa já aconteceu em 1986, 1996, 2003 e 2010. A SMS é responsável pela execução do processo com apoio de professores da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (USP).