Buscar
  • Redação JBA

Campanha da Prefeitura de São Paulo alia informação e sensibilidade na busca de pessoas desaparecida

Ação "Se você estivesse aqui..." começa nesta segunda-feira (30/08), com projeções que exibem dados de desaparecidos e desmistificam ideias que podem prejudicar as buscas

Imagem: Volodymyr Hryshchenko / Unsplash

Já faz parte do imaginário popular a ideia de que só é possível reportar um desaparecimento depois de 24 horas, mas poucos sabem que isso é um mito e que pode até atrapalhar as investigações. Informações como esta, além da sensibilização sobre a dor de famílias que vivem com o luto interminável que é ter um familiar desaparecido, fazem parte da campanha "Se você estivesse aqui...", realizada pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) por meio de sua Divisão de Desaparecidos, que começa nesta segunda-feira, 30 de agosto.

A data marca o Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimento Forçado, instituída pela ONU e celebrada pela primeira vez em 2011, que inspirou a campanha sobre as pessoas desaparecidas do próprio município. Atualmente, a Divisão tem um cadastro com 2.629 alertas de pessoas desaparecidas. A campanha "Se você estivesse aqui..." tem início com uma sequência de projeções em dois locais da capital paulista, que acontecem das 18h30 às 22h em pontos localizados nas ruas Augusta e Consolação. As projeções apresentam uma série de vídeos que sensibilizam os visitantes sobre a dor de pessoas que convivem com o pensamento que dá o título à campanha. Mas este é apenas o pontapé inicial. A SMDHC vai manter a campanha viva nas redes sociais e equipamentos do órgão, e pretende produzir novas peças retratando as mais diversas situações da vida em que a falta de uma pessoa querida é sentida de forma mais dolorosa. As quatro peças iniciais falam sobre casamento, nascimento de um neto, momentos de dificuldade e de necessidade de apoio. Além disso, o órgão vai realizar parcerias com organizações do varejo e do terceiro setor para que a mensagem alcance cada vez mais pessoas ao longo dos próximos meses. Serão também exibidos retratos de pessoas desaparecidas do município e progressões digitais, que mostram como seria a aparência delas atualmente, junto ao telefone de contato que deve ser acionado para comunicar qualquer informação sobre elas. "Queremos ampliar o acesso aos dados e imagens de desaparecidos(as) do município para que cada vez mais pessoas possam colaborar com informações que podem ser essenciais para a localização", explica Darko Hunter, coordenador da Divisão de Desaparecidos, que localizou 579 pessoas em 2020, e neste ano já chegou à marca de 529 pessoas. Darko trabalha há 14 anos na localização de pessoas. "Sempre reforçamos a mensagem de que não é necessário aguardar 24 horas para reportar um desparecimento. Todo o tempo que tivermos é valioso para que a busca tenha maiores chances de sucesso", afirma. Outra iniciativa que faz parte da campanha "Se vocês estivesse aqui..." é a iluminação de diversos pontos da capital paulista de laranja, cor utilizada internacionalmente por forças de busca e resgate para identificar suas equipes e também facilitar a localização de vítimas durante um salvamento. Na data, poderão ser vistos de laranja os prédios do Shopping Light, parceiro da ação, a sede da Prefeitura de São Paulo e o Viaduto do Chá, todos no centro, e a Ponte Estaiada. "Chegando há quase um ano e meio de pandemia, a sociedade como um todo enfrenta um sentimento de perda sem igual na história recente. Assim, a campanha busca sensibilizar a população com histórias de famílias que vivem essa mesma sensação, mas que com a ajuda de todos(as) ainda têm a chance de reencontrar seus entes queridos", disse Claudia Carletto, secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

O que fazer em caso de desaparecimento de familiar Na cidade de São Paulo, a Divisão de Localização Familiar e Desaparecidos está pronta para ajudar, desde o momento em que a família perde o contato com a pessoa desaparecida. "O tempo é um fator importante para a resolução dos casos. Quanto antes procurar ajuda, maiores são as chances de reencontro, especialmente quando se trata de desaparecimento forçado ou involuntário", revela Darko. De acordo com ele, a família precisa primeiro tentar esgotar todos os meios de contato possíveis, assim que notar alguma anormalidade no padrão de rotina da pessoa e, se ela não estiver onde deveria estar, sem deixar aviso, deve ser registrado um Boletim de Ocorrência imediatamente, na delegacia mais próxima ou pela internet https://www.ssp.sp.gov.br/nbo. Lembrando que não há necessidade de esperar 24 horas. Após a abertura do BO, ainda na internet, deve ser preenchido o formulário para registro de dados da pessoa desaparecida, no endereço eletrônico: Formulário de cadastramento | Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania | Prefeitura da Cidade de São Paulo . A partir daí, a divisão entra em cena iniciando uma busca pela rede de informações que conecta vários serviços municipais. A Divisão de Localização Familiar atende pelo whatsapp (11) 97549-9770, ou e-mail: desaparecidos@prefeitura.sp.gov.br. Também há um Posto Avançado no centro de São Paulo.

Alerta de pessoas desaparecidas no metrô A SMDHC conta com convênios, firmados com as concessionárias Companhia do Metropolitano de São Paulo, ViaQuatro e ViaMobilidade, para exibir alertas que destacam fotos e nomes de desaparecidos e o telefone do serviço municipal de localização. Veja aqui informações de pessoas desaparecidas que já foram exibidas pela parceria.

Os alertas podem ser vistos na TV Minuto, que é transmitida em centenas de monitores dentro dos vagões das linhas 1-Azul (Jabaquara - Tucuruvi), 2-Verde (Vila Madalena - Vila Prudente) e 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera - Palmeiras/Barra Funda). Além disso, passageiros que utilizam as Linhas Amarela e Lilás do Metrô também podem ver as informações, nas telas que ficam nas estações destas linhas.

Campanha "Se você estivesse aqui..."

Projeções Segunda-feira (30/08), das 18h30 às 22h - Rua Augusta, 476 (próximo ao Parque Augusta); - Rua da Consolação, 1.660 (em frente ao Cemitério da Consolação).


Iluminações Segunda-feira (30/08), no período da noite - Shopping Light (R. Cel. Xavier de Toledo, 23 - Centro Histórico de São Paulo); - Sede da Prefeitura de São Paulo (Viaduto do Chá, 15 - Centro Histórico de São Paulo, São Paulo); - Viaduto do Chá; - Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira (sobre a Marginal Pinheiros).

1 visualização0 comentário