top of page
Buscar

Campanha da D’Or Consultoria reforça a necessidade da proteção dos raios solares

Para proteger a pele é necessário adotar alguns hábitos, entre eles, o uso do protetor solar também em dias nublados

Dezembro laranja é o mês dedicado à conscientização do câncer de pele e neste ano a D’Or Consultoria, empresa do Grupo Rede D’Or, especializada em seguros e benefícios, ressalta como é necessário se proteger dos raios que queimam na praia e, também na cidade. A campanha leva o nome: O sol arde para todos.


Todos os anos são registrados mais de 180 mil novos casos de câncer de pele no Brasil, o que corresponde a 30 % de todos os tumores malignos do país. E, mesmo sabendo que o maior risco é a exposição solar excessiva, uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Dermatologia de 2019 afirma que 63% da população brasileira não faz uso de proteção.


A campanha traz em seu visual os ambientes da cidade e da praia para reforçar que essa necessidade de proteger-se é para todos os lugares, inclusive em locais fechados e em dias nublados. “Ainda temos uma grande associação com exposição aos raios solares aos ambientes relacionados à lazer como praia e piscina, mas estamos propondo reforçar na campanha que não esqueçam que somos suscetíveis a esses perigos em diversos outros contextos, como em dias chuvosos, dentro de escritórios e, claro, na cidade”, explica Victor Davi, gerente de Marketing & Comunicação da D’Or Consultoria.


Tipos de raios solares e cânceres

As peles claras têm 20 vezes mais risco ao câncer de pele, mas é fundamental ressaltar que todos os tipos e as tonalidades de peles sofrem esse risco. Já os raios solares são divididos em dois tipos: UVA e UVB.


- Raios Ultravioleta A (UVA): possuem intensidade constante durante todo o ano e atingem a pele praticamente da mesma forma durante o inverno e o verão. Penetram profundamente na pele e são os principais responsáveis pelo fotoenvelhecimento, além de influenciarem no surgimento do câncer.


- Raios Ultravioleta B (UVB): são os mais intensos no verão e no período entre 10h e 16h. Penetram superficialmente na pele e causam vermelhidão e as queimaduras solares, além de serem os principais responsáveis pelas alterações celulares que podem causar o câncer de pele.


O câncer ele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem esse que o maior órgão do corpo humano. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas formam três tipos de câncer:


- Carcinoma basocoelular (CBC): o mais comum e menos letal, desde que diagnosticado precocemente. Aparece com mais frequência em regiões com mais exposição ao sol como rosto, orelhas, couro cabeludo, ombros e costas.


- Carcinoma espinocelular (CEC): o segundo mais prevalente e costuma acometer mais homens, se manifestando nas células mais escamosas da pele. Pode ter maior incidência em partes com mais exposição ao sol, mas também pode aparecer em outras regiões do corpo.


- Melanoma: o mais raro e mais letal, apresenta lesões em áreas difíceis de serem visualizadas. Embora seja mais comum nas pernas, em mulheres; nos troncos, nos homens; e pescoço e rosto em ambos os sexos.


Sinais de alerta

Manchas que podem coçar, sinais na pele que mudam de forma ou cor e feridas que demoram a cicatrizar podem ser alguns dos sinais de alerta. “Embora esses indícios sejam importantes para estar atento, nada substitui as consultas regulares ao especialista, podendo ser anual ou conforme a indicação médica.


Somente um profissional pode determinar o diagnóstico de câncer, por meio de exames clínicos, exame dermatoscópico e, quando indicado, a realização de uma biópsia da lesão suspeita”, afirma Dr. Sérgio Hércules, médico e superintendente da Gestão de Saúde D’Or Consultoria.


Tratamentos e proteção

O câncer de pele, sobretudo os do tipo não melanoma, tem 90%% de chance de cura se detectado precocemente. Além das tradicionais radioterapia e quimioterapia, há muitas outras opções de tratamento como imunoterapia e intervenções medicamentosas orais e tópicas.


Contudo, proteger-se é fundamental. E, além do tradicional protetor solar que deve ser aplicado 30 minutos antes da exposição aos raios, diariamente, também é possível usar guarda-sol ou sombrinha, óculos de sol, bonés, camisetas e blusas com tecidos tecnológicos (que oferecem proteção extra).


Não esqueça que o filtro solar deve ser sempre reaplicado em caso de sudorese excessiva e, além de proteger contra o câncer, previne manchas e o envelhecimento precoce. Para mais informações sobre o tema e conferir a campanha na íntegra, acesse: https://dorconsultoria.com.br/portfolio/o-sol-arde-para-todos/


bottom of page