top of page
Buscar

Cássia Eller, o Musical faz nova temporada no Teatro Opus Frei Caneca a partir de 4 de agosto


Foto: Marcos Hermes

O espetáculo musical, visto por mais de 400 mil espectadores, retorna a São Paulo em agosto, para uma temporada de 15 apresentações no Teatro Opus Frei Caneca. Desde a estreia, em 2014, Cássia Eller, o Musical percorreu todas as capitais brasileiras. A encenação destaca a carreira de uma das vozes mais marcantes da MPB. “Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher.” Os versos de Renato Russo que Cássia Eller cantou por tantos anos falam muito sobre a personalidade da artista, uma verdadeira fera nos palcos, mas que podia ser um bicho arredio fora dele. Mulher de poucas palavras, cantora de infinitos sons e uma voz tamanha, doce e amiga na vida, foi forte e surpreendente na arte. Com menos de 40 anos de vida e 20 de carreira, Cássia Eller partiu no auge e deixou uma obra eterna. O musical tem direção de João Fonseca e Viniciús Arneiro e foi idealizado por Gustavo Nunes. A direção musical é de Lan Lanh, que tocou anos com Cássia e tem total propriedade na obra da cantora. O texto original é de Patrícia Andrade, que flagra Cássia ainda antes do início da carreira e acompanha toda a sua trajetória musical - dos primeiros passos como cantora em Brasília a sua explosão nacional - sem deixar de lado seus amores, em especial Maria Eugênia, sua companheira com quem criou o filho Chicão.


A autora fez um amplo mergulho na obra de Cássia e entrevistou familiares e amigos que a ajudaram a construir um mosaico fiel sobre a história da cantora. A codireção musical é de Fernando Nunes, baixista da banda de Cássia Eller. A produção é da Turbilhão de Ideias e Andarilho Filmes, apresentado por Volkswagen Financial Services. O roteiro passeia desde uma criação autoral, como Flor do Sol, até canções que ficaram imortalizadas por ela, como Malandragem (Cazuza/Frejat), Socorro (Arnaldo Antunes/Alice Ruiz) e Por Enquanto (Renato Russo). O amigo Nando Reis, que é também personagem do espetáculo, comparece com várias composições no repertório, como All Star, O Segundo Sol, Relicário, Luz dos Olhos e E.C.T., entre outras. O papel-título é interpretado por TACY, atriz e cantora de Curitiba que foi escolhida entre mais de 1000 candidatas que se inscreveram para as audições, quando foi definido também todo o elenco, que conta ainda com seis atores/cantores e cinco músicos.


Os diretores João Fonseca e Viniciús Arneiro não poupam elogios à protagonista: “Tacy é sensacional, muito inteligente e intuitiva, além de ter uma voz incrível”, exalta João. “Ela surpreendeu a todos e, antes mesmo dela cantar, já estávamos magnetizados pela figura tímida e doce que ela é. Ao final da primeira música, ficamos um pouco em silêncio, admirados com o que estava diante de nós. Existem algumas semelhanças entre ela e a Cássia e foi essa pureza de estado que nos arrebatou”, complementa Viniciús. Para João Fonseca, esse é um espetáculo diferente dos musicais biográficos que ele dirigiu anteriormente (sobre Tim Maia e Cazuza). “É focado no essencial, simples e teatral como a própria Cássia. Apenas cadeiras, os atores e os músicos. A Márcia Rubin elaborou uma coreografia diferente, não é uma dança convencional, mas uma movimentação coreográfica”, acrescenta. A ficha técnica do espetáculo completa-se com os figurinos de Marília Carneiro e Lydia Quintaes, iluminação de Maneco Quinderé, cenários de Nello Marrese e Natália Lana e direção de movimento de Márcia Rubin.


Tacy Campos, aprendizado gingantesco


Foto: Marcos Hermes

Depois de quase uma década em que vem interpretando a personagem-título de Cassia Eller – o Musical, Tacy Campos nem de longe lembra a menina tímida revelada nas audições para a estreia do espetáculo em 2014. Depois de sugerir que nossa entrevista acontecesse por telefone e não por mensagem de whatsapp, o que já surpreendeu a interlocutora, o bate-papo rolou bem gostoso. Tacy tem se questionado nesses últimos tempos. “Venho me reavaliando bastante porque minha incursão/experiência no teatro profissional tem sido esse espetáculo e é um aprendizado gigantesco.” A Tacy que pisou no palco do musical pela primeira vez aos 23, 24 anos, hoje tem 33. Conta que sempre teve vontade de sair de Curitiba e realizar a vida profissional no Rio. “Depois que vim pro Rio tentei fazer de tudo para dar certo e para isso tive de amadurecer em vários aspectos.” Nesse processo, ela enxerga seu distanciamento da personagem que interpreta. “Hoje meu trabalho no espetáculo envolve muito mais técnica e atuação do que o lado intuitivo como um dia já foi. É mais estudado porque eu me descobri e nesta descoberta me vi diferente em vários aspectos. Eu me valia desse ponto cego para conseguir emprestar vida à personagem de forma orgânica. Isso vai continuar acontecendo mas agora de maneira mais consciente. Esta é a grande diferença.”


Cada vez menos Cássia

Foto: Marcos Hermes

“Muita coisa mudou e hoje me sinto cada vez menos Cássia Eller”, diz, achando graça na própria fala. “Concordo que tem muitos pontos similares quando as pessoas dizem que tenho muito da Cássia Eller, mas estou cada vez menos Cássia. Até peguei um chiado no sotaque”, brinca ela, que já morou no Rio, São Paulo e agora vive em Niterói. As mudanças incluem a vontade de atuar. “O pensamento foi mudando ao longo do processo e tenho vontade de interpretar outros personagens”, diz ela, que sempre frequentou conservatório musical e atualmente cursa faculdade de Letras (no formato de educação à distância). Tacy adora escrever e guarda planos de escrever roteiro de teatro, quem sabe até um musical. “Tenho perdido a vergonha e feito alguns testes para ir me adaptando”, diz, informando que faz musicalização de poemas. “Antes eu era mais tímida, introspectiva, era um horror para dar entrevista, a galera me odiava. A vida força você a aprender. Eu não tive quem pudesse falar por mim. Aí você aprende a negociar, a se virar nos 30. Eu sempre fui uma artista independente, sempre banquei meu trabalhos e projetos autorias. Inevitavelmente isso transforma a gente. Eu ainda sou tímida, mas eu sei falar, estou aqui batendo papo com você. Aprendi a gostar de falar.” Antes da carreira no teatro, Tacy já trabalhava profissionalmente com música. Gravou dois álbuns autorais - O Manifesto da Canção, em 2017, com produção de Fernando Nunes, música do espetáculo, e Quarto Mundo, em 2022. Sobre o musical Cássia Eller, que coserva 70% do elenco original, diz que é uma grande família. “Elenco, músicos, técnicos, a gente é amigo mesmo”. O trio Fake Bahia (“porque ninguém é baiano”)é seu projeto mais recente, com o qual toca guitarra ao lado de um baixista e um baterista. “Encontrei uma galera que comprou o meu barulho e vamos nessa.”


Cássia Eller – o musical

Data: de 4 de agosto a 3 de setembro

Horário: Sexta e sábado: 20h. Domingo: 18h

Shopping Frei Caneca - R. Frei Caneca, 569 - Consolação, São Paulo - SP,

Classificação: 14 anos

Duração: 2h10min


Valores

Plateia Baixa -R$ 150,00 inteira - Meia: R$75,00

Plateia inteira - R$ 130,00 - Meia: R$65,00

Plateia Alta - R$ 100,00 - Meia: R$50,00

Plateia Alta Popular R$ 50,00 - Meia: R$25,00


Ficha Técnica


Texto: Patrícia Andrade. Direção: João Fonseca e Viniciús Arneiro. Idealização e Direção De Produção: Gustavo Nunes. Direção Musical: Lan Lanh. Codireção Musical: Fernando Nunes. Direção De Movimento: Márcia Rubin. Figurinista: Marília Carneiro e Lydia Quintaes. Cenógrafo: Nello Marrese e Natália Lana. Visagismo: Beto Carramanhos. Design De Luz: Maneco Quinderé. Cenotécnico: André Salles e Equipe. Designer e Engenheiro de Som: João Paulo Pereira. Operação de som: João Paulo Pereira. Preparador Elenco (Tacy De Campos): Ana Paula Bouzas.


Produtora de Elenco: Cibele Santa Cruz. Pesquisadora: Barbara Duvivier. Fotógrafo: Marcos Hermes. Assistência de Direção: João Pedro Madureira. Assistência de Direção de Movimento: Luar Maria. Representante do Espólio da Família da Cássia Eller: Rodrigo Garcia. Preparação Vocal: Marco Dantonio. Pianista Ensaiador: Felipe Caneca. Designer: Julliana Della Costa. Coordenação de Produção: Heldi Bazotti. Estagiaria de Produção: Giulia Smidth. Assessoria de imprensa: ArtePlural. Produção: Turbilhão de Ideias. Realização: Andarilho Filmes.


Apresentado por Volkswagen Financial Services. www.vwfs.com.br

Comments


bottom of page