Buscar
  • Roberto Maia

Brasil e Argentina será teste para a volta dos torcedores em São Paulo

Por Roberto Maia


O clássico entre Brasil e Argentina, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Catar 2022, que será realizado no próximo dia 5 de setembro, na Neo Química Arena, contará com a presença de 12 mil torcedores. O jogo será utilizado pelo Governo de São Paulo como um evento-teste para o protocolo de retorno do público às arquibancadas paulistas previsto para o próximo dia 1º de novembro.


A decisão ocorreu após reuniões entre representantes do governo paulista, Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e Federação Paulista de Futebol. O estádio do Corinthians receberá apenas cerca de 25% de sua capacidade total. Ainda não foi informado como será a venda e distribuição de ingressos.


Importante ressaltar que mesmo a Prefeitura de São Paulo ter anunciado que passará a exigir um “Passaporte de Vacinação” para liberar a entrada em eventos de grande porte, o jogo na arena de Itaquera não prevê a necessidade de comprovação de vacina. A entrada dos torcedores será permitida apenas aos que apresentarem resultado negativo contra a Covid-19 em teste realizado até 48 horas antes do jogo.


A realização do jogo como um teste para a volta dos torcedores aos estádios de São Paulo é importante.

Mascote da Seleção Brasileira, o Canarinho faz festa na arquibancada da Neo Química Arena. (Foto: Matheus Meyohas/CBF)

Principalmente depois do que aconteceu recentemente em Belo Horizonte. Na partida entre Atlético-MG e River Plate, que decidiu a vaga para a semifinal da Copa Libertadores, mesmo com as restrições e regras pré-estabelecidas, houve desobediência às normas e aglomerações entre torcedores, que em maioria não usavam máscaras. A mesma coisa aconteceu no jogo do Cruzeiro contra o Confiança, pela série B do Campeonato Brasileiro.


Diante do que se viu, o prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil, ex-presidente do Atlético-MG, voltou a proibir a presença de público em jogos de futebol.


Em nota oficial a diretoria do Galo discorda da decisão e exige a presença do torcedor nos estádios. Segundo ela, “todas as exigências foram cumpridas e com apenas 30% da capacidade Mineirão e público testado, não representam risco maior do que feiras, shoppings, transporte público e outros”.


Sobre as declarações do prefeito, colocando em dúvida a quantidade de pessoas no estádio, o Atlético-MG afirma que o público total foi de 17.030 pessoas, abaixo, portanto, do limite permitido. Também garante que fez campanha informativa para alertar a torcida sobre o protocolo sanitário, principalmente no que tange ao uso de máscaras, ao distanciamento social e à obrigatoriedade de testagem.

O jogo entre Atlético-MG e River Plate teve aglomerações entre os torcedores do Galo. (Foto: Pedro Souza/Clube Atlético Mineiro)

Agora é esperar para ver se o comportamento dos torcedores de São Paulo será diferente. Se bem que um jogo entre seleções é bem diferente de um envolvendo torcedores de clubes. Todos sabemos que são públicos distintos.



Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo