top of page
Buscar

Brasil é campeão Sul-Americano Sub-20

Por Roberto Maia


A Seleção Brasileira Sub-20 não ganhava o Sul-Americano desde 2011, quando foi disputado no Peru. Apesar de ser o maior vencedor do torneio – agora tem 12 conquistas –, o time comandado por Ramon Menezes não chegou à Colômbia com status de favorito. Isso porque o treinador teve muitos problemas para formar o grupo.


Menezes, que foi campeão como jogador, em 1991, teve nove jogadores convocados que não foram liberados por seus clubes para a disputa do Sul-Americano. Casos de Matheus França e Victor Hugo do Flamengo; Matheus Martins do Fluminense; Endrick e Giovani do Palmeiras; Ângelo e Marcos Leonardo do Santos; e Beraldo do São Paulo.


Certamente a Seleção perdeu em qualidade técnica, mas Menezes soube unir o grupo com os novos convocados e conseguiu a superação dentro do torneio. O Brasil venceu sete partidas e empatou duas na Colômbia. No hexagonal final, O Brasil chegou aos 13 pontos, enquanto o Uruguai ficou em segundo com 12.

No jogo final, em Bogotá, o Uruguai chegou com a vantagem do empate, mas o Brasil venceu por 2 a 0. Os gols foram marcados por Andrey Santos e Pedrinho – aliás a jovem revelação do Corinthians fez um lindo gol nos minutos finais do jogo.


O Brasil chegou à 12ª conquista de maneira invicta. Foram sete vitórias e dois empates. E, além do título da competição, a Seleção Brasileira também garantiu - com duas rodadas de antecedência -, a vaga para a disputa do Mundial da categoria, que será disputada na Indonésia, em maio próximo. Também se classificaram as seleções do Uruguai, Colômbia e Equador.

Brasil conquista o Sul-Americano Sub-20 ao vencer o Uruguai. País não era campeão desde 2011. (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Brabas seguem imbatíveis


No domingo (dia 12) em que a Seleção Brasileira conquistou o título do Sul-Americano Sub-20, o Corinthians se sagrou bicampeão da Supercopa Feminina 2023, torneio que abre a temporada do futebol feminino no País.


As Brabas venceram o Flamengo por 4 a 1 na final disputada na Neo Química Arena diante de um público de mais de 25,7 mil torcedores. O placar começou a ser construído logo aos 40 segundos do jogo. Apesar da vantagem, o time comandado pelo treinador Arthur Elias manteve a intensidade e dominaram as jogadoras do Rubro-Negro.


Millene e Tamires fizeram dois gols cada para o Timão. Daiane diminuiu para o Mengão já no final do segundo tempo. O título rendeu ao Corinthians um prêmio de R$ 500 mil. Com o vice-campeonato o Flamengo faturou R$ 300 mil.


As Brabas chegaram à final após vencerem o Atlético Mineiro por 1 a 0, nas quartas de final, e do Internacional por 2 a 1 na semifinal. Já as meninas do Flamengo passaram pelo Ceará por 10 a 0, no primeiro confronto, e o Real Brasília por 3 a 2 na semifinal.


O bicampeonato da Supercopa consagra a superioridade do time corinthiano no futebol feminino no Brasil. O Timão reativou a categoria em 2016, ano em que conquistou a Copa do Brasil, o primeiro de muitos títulos que viriam. Depois foram três campeonatos Paulista (2019, 2020 e 2022), quatro Brasileiros (2018, 2020, 2021 e 2022) e três Libertadores (2017, 2019 e 2021).

Time feminino do Corinthians é bicampeão da Supercopa do Brasil em jogo que bateu o Flamengo por 4 a 1. (Foto: Adriano Fontes/CBF)

Roberto Maia é jornalista e cronista esportivo. Iniciou a carreira como repórter esportivo, mas também dedica-se a editoria de turismo, com passagens por jornais como MetroNews, Folha de São Paulo, O Dia, dentre outros. Atualmente é editor da revista Qual Viagem e portal Travelpedia.


Comentários


bottom of page