Buscar
  • Redação JBA

Armários e guarda-roupas podem ser usados como peças de decoração

Móvel vai muito além da função de armazenar roupas e acessórios, e pode ser usado de diversas maneiras para compor um ambiente

Já pensou em utilizar um guarda-roupa ou armário como parte da decoração na casa? A boa notícia é que, na esfera da arquitetura e design de interiores, muitas composições podem ser criadas com elementos que, a princípio, não fazem parte do mesmo universo da decoração. No entanto, com uma dose correta de criatividade, equilíbrio e respeito à harmonia do projeto, pode-se chegar a resultados inusitados e surpreendentes. “Qualquer elemento, peça ou mobiliário se encaixa em diferentes tipos de decoração, seja para integrar o ambiente ou oferecer um toque de estilo. Uma dessas misturas é o uso de alguns tipos de guarda-roupas, que vão dos vários tipos de armários abertos aos com portas transparentes”, comenta Cristina Cardoso, arquiteta dos apartamentos decorados da Yticon, construtora do Grupo A.Yoshii.


Armários abertos

No caso específico dos armários abertos, que podem ser no modelo de araras, eles podem ser de diferentes estilos: romântico, industrial e escandinavo. Ela explica que, de forma equivocada, atribuímos seu uso a ambientes mais despojados, ou a imóveis temporários ou alugados, onde geralmente o usuário não se dispõe a investir muito nesse espaço, tampouco em algo definitivo como marcenaria planejada, por exemplo. “Porém, essa é uma solução que pode ser o destaque do projeto, pensada como armário principal ou apenas apoio, para armazenar peças que serão reutilizadas antes de serem lavadas”, detalha, sugerindo a ocupação de um cômodo fechado ou um quarto extra para ser utilizado como closet ou despensa. “Há inúmeras maneiras de se adaptar um espaço dentro de um ambiente existente com uma nova função.”


Apesar de interessante visualmente, a organização de armários abertos é fundamental para manter o ambiente aconchegante e agradável ao olhar. Cristina diz que existem inúmeras opções de caixas organizadoras, cestos, mini gaveteiros e ganchos que contribuem para que cada objeto tenha seu lugar. “A padronização dos organizadores, cabides e a divisão das roupas por cores, tamanhos e tipos também ajudam a criar um ambiente mais leve e muito mais prático”, acrescenta.


Portas de vidro

Para quem não renuncia aos armários mais tradicionais, com portas e compartimentos internos, a ideia e o visual dos armários abertos podem ser incorporados utilizando portas de vidro incolor. Essa possibilidade de manter o conceito de armário aberto preserva a identidade visual e a ampliação do espaço, apesar do fechamento dos armários. Trata-se de uma solução mais definitiva, que requer um projeto bem detalhado. Nesse modelo, os objetos ficam mais protegidos e a ideia de permeabilidade visual e leveza se mantém.


Cuidados antes de investir

Antes de escolher o modelo, é sempre necessário fazer um levantamento dos itens que serão armazenados e o espaço disponível no ambiente para não faltar nem sobrar áreas. Um desses modelos é o armário estilo cremalheira. “Esses móveis são divididos em basicamente três peças-chave: os montantes verticais instalados direto na parede, as mãos-francesas (que servirão de suporte para prateleiras) e as prateleiras (que podem ser de madeira, compensado, MDF, vidro ou chapa metálica)”, detalha.


Para esse tipo de armário, também existe uma grande variedade de acessórios, cestos, sapateiras, e varões para cabides que podem ser incrementados conforme a necessidade. “Esse modelo se adapta em qualquer espaço de parede disponível, servindo não apenas de guarda-roupa, mas também como armário em escritório, cozinha, lavanderia e despensa.” No entanto, é importante assegurar organização e proteção contra sujeira, poeira, insetos, utilizando potes, caixas, e outros organizadores internos. Para produtos perecíveis é aconselhável usar etiquetas nos potes com os prazos de validade dos produtos.